Surgiram provas:
foi um caça dos fascistas ucranianos que derrubou o MH17 malaio

– Esta notícia foi omitida nos media portugueses

por Vladimir Markin [*]

A investigação obteve provas da participação de um avião militar ucraniano na queda do Boeing 777 malaio, informaram hoje representantes do Comitê de Investigação da Rússia.

"O detector de mentiras confirmou a veracidade das declarações da testemunha da catástrofe do Boeing na Ucrânia", comunica essa organização.

Segundo Vladimir Markin, chefe do Comitê de Investigação da Rússia, este estuda a questão de conceder à testemunha segurança estatal conforme o respectivo programa.

Ontem o jornal russo Komsomolskaya Pravda publicou um artigo com o comentário de um funcionário da base aérea ucraniana sobre a catástrofe do Boeing malaio na região de Donetsk. Segundo ele o avião de assalto ucraniano Su-25 tinha levantado voo do aeródromo com mísseis ar-ar, mas retornou sem a carga de combate e o piloto estava muito assustado.

Os investigadores russos estabeleceram contato com este ucraniano e planejaram interrogá-lo como testemunha.

O avião, que fazia rota entre Amsterdam e Kuala Lumpur, caiu em 17 de julho, na região de Donetsk. A bordo do avião seguiam 298 pessoas, incluindo 43 cidadãos da Malásia. Todas elas morreram.

Ver também:
  • Another MH17 Cover-Up: Hiding a Key Autopsy
  • Rússia propõe testar no polígrafo piloto ucraniano Voloshin
  • No dia da catástrofe do MH17 o caça ucraniano Su-25 retornou sem carga de combate
  • MH17: Afastar a Malásia da investigação tresanda a encobrimento
  • Análise do crash do voo MH17 da Malaysian Airlines
  • O relatório da comissão holandesa sobre o crash do MH17 malaio "não vale o papel em que está escrito"
  • Por que os media e a administração Obama ficaram silenciosos acerca do MH17?
  • O MH17 malaio foi abatido por caças do regime de Kiev
  • Ordenaram ao MH17 que voasse sobre a zona de guerra no Leste da Ucrânia

    A versão em português encontra-se em portuguese.ruvr.ru/...


    Esta notícia encontra-se em http://resistir.info/ .
  • 25/Dez/14