O "relatório" MH-17

por Paul Craig Roberts

Quando li que o relatório sobre o derrube do avião da Malaysian sobre a Ucrânia estava a ser posto nas mãos dos holandeses, soube que não haveria investigação e nenhuma atenção aos factos.

E não houve.

Não tenciono escrever acerca do relatório, porque a propaganda de Washington já conseguiu, pelo menos no mundo ocidental, atingir seu objectivo de lançar a culpa sobre a Rússia. Contudo, a deturpação do relatório holandês pelos media ocidentais, tais como a NPR , é tão ultrajante que faz com que este comentário seja acerca dos media e não do relatório.

Exemplo: ouvi o correspondente da NPR em Moscovo, Corey Flintoff, dizer que o míssil a ter atingido o avião foi disparado por separatistas ucranianos aos quais falta a habilidade técnica para operar o sistema. Portanto, o míssil tinha de ser disparado por um russo.

Não há nada no relatório holandês, seja o que for, que leve a esta conclusão. Flintoff ou é incompetente ou mentiroso ou está a exprimir a sua visão e não a conclusão do relatório.

A única conclusão a que o relatório chega é a que já sabíamos: se um míssil Buk deitou abaixo o avião, era um míssil de fabricação russa. O relatório holandês não diz quem o disparou.

Na verdade, o relatório não culpa a Rússia, mas coloca a culpa na Ucrânia por não fechar o espaço aéreo sobre a área em guerra. Advogados declararam em resposta ao relatório que famílias dos mortos e a própria Malaysian Airline provavelmente abrirão processos legais contra a Ucrânia por negligência.

Naturalmente, não houve nada disto na reportagem de Flintoff.

Como escrevi no momento da destruição do avião, os media ocidentais já tinham pronta a estória "os-russos-fizeram-isso" no momento em que se relatava o derrube. Esta estória era muito útil para Washington endurecer seus estados vassalos europeus nas sanções contra a Rússia, caso houvesse alguma discordância. O que Washington nunca explicou e os media do ocidente nunca perguntaram é: Que motivo tinha os separatistas e a Rússia para derrubar um avião da Malaysian.

Nenhum em absoluto. O governo russo nunca permitira tal coisa. Putin teria imediatamente enforcado aquele responsável.

A estória de Washington não faz qualquer sentido. Só um idiota podia acreditar nela.

Que motivo tinha Washington? Muitos. A demonização da Rússia tornava impossível para governos europeus resistirem ou abandonarem as sanções económicas que Washington está a utilizar para romper relacionamentos económicos e políticos entre a Europa e a Rússia.

O fabricante russo do míssil Buk demonstrou que se um Buk foi utilizado era de uma versão mais velha que existe só entre militares ucranianos. Desde há alguns anos os militares russos foram equipamento com uma versão substitutiva que tem uma assinatura diferente no seu impacto destrutivo. O dano ao avião da Malaysian é inconsistente com a força destrutiva do míssil Buk em serviço na Rússia. Os relatórios foram dados aos holandeses, mas não foi feito qualquer esforço para replicar e verificar a validade dos testes conduzidos pelo fabricante do míssil. Na verdade, o relatório holandês nem mesmo considera se o avião foi derrubado por caças a jacto ucraniano. O relatório é tão inútil quanto o da Comissão do 11/Set.

Não espere qualquer reconhecimento disto pelos media ocidentais, uma colecção de pessoas que mentem para viver.

A razão porque o Ocidente não tem futuro é que o Ocidente já não tem media, só propagandistas para agendas governamentais e corporativos e apologistas dos seus crimes. Todos os dias os comprados-e-pagos-pelos-media sustentam a Matrix que torna os povos ocidentais politicamente impotentes.

Os media ocidentais não têm independência. Um editor de um grande jornal alemão escreveu um livro, um best-seller publicado na Alemanha, no qual declara que não só ele próprio serviu a CIA como um transmissor confiável das mentiras de Washington como também todo jornalista importante na Europa também o faz.

Obviamente, o seu livro não foi traduzido e publicado na América.

A NPR, como todos os media ocidentais, perdeu sua integridade. A NPR afirma ser apoiada pelos leitores. De facto, é apoiada por corporações. Preste atenção aos anúncios: "A NPR é apoiada pela corporação xyz para vender-lhe este ou aquele produto ou serviço".

O regime George W. Bush destruiu a NPR ao nomear duas ideólogas republicanas para superintender a função pública da NPR. As duas republicanas tiveram êxito em assegurar a estabilidade de emprego, não a integridade de reportagem nem a motivação dos jornalistas da NPR.

Como alguém que trabalhou com o presidente Reagan para acabar a Guerra Fria e a ameaça nuclear associada, estou consternado por verificar que os media ocidentais fracassaram totalmente ao ressuscitar a perspectiva do Armagedão nuclear.

13/Outubro/2015

Ver também:
  • O MH17 malaio foi abatido por caças do regime de Kiev – "O avião não foi atingido por um míssil"
  • Encobrimento?
  • O relatório da comissão holandesa sobre o crash do MH17 malaio "não vale o papel em que está escrito"
  • MH17: Afastar a Malásia da investigação tresanda a encobrimento
  • Surgiram provas: foi um caça dos fascistas ucranianos que derrubou o MH17 malaio
  • The MH17 Malaysian Airlines Crash: From Syria to Ukraine, When Lying Catches Up
  • MH-17: Dutch Safety Board Report Does Not Mention Supposed US Intelligence Data
  • BUK manufacturer says Russian-made air defenses ‘absolutely’ not involved in MH17 crash
  • Russia rejects Dutch report on MH17, but agrees Ukraine should have closed airspace – regulator
  • ‘MH17 report: No clear answers, means there’s no smoking gun evidence’

    O original encontra-se em www.paulcraigroberts.org/2015/10/13/the-mh-17-report-paul-craig-roberts/


    Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
  • 15/Out/15