O país "normal" de Cavaco Silva

por Daniel Vaz de Carvalho [*]

Cartoon de Fernão Campos. Aparentemente a lucidez do PR começa a levantar dúvidas. Será que sabe mesmo o que diz? Vejamos, diz que é necessário "prosseguir o programa de ajustamento, para ir aos mercados e permitir o crescimento e o emprego". Mas tudo isto é contraditório.

Dois anos e meio de ajustamento e o país está pior do que estava sob todos os aspetos. Os "mercados" puseram o país no "lixo" e não têm intenções de o tirar de lá, os juros são uma proporção cada vez maior do PIB e do défice; recessão, desemprego, falências são o resultado obtido com o "ajustamento".

Que diz o PR? Prosseguir…para regressar aos "mercados". Mas os "mercados" não são nenhuma solução, são o problema!

Para o PR, o país tem de parecer normal aos "mercados". Um país normal?! Um milhão de desempregados nos dados oficiais (milhão e meio efetivos), mais metade sem receber subsídio, emigração em larga escala, dezenas de falências de MPME por dia, défice e dívida descontrolados, sucessivas revisões do OE, retroatividade de cortes em reformas atribuídas, constante redução de salários e aumento de impostos sobre a população, generalizada precariedade, aumento da pobreza e desigualdades, montante dos juros superior ao défice previsto para 2014.

Normal é, pois, os sucessivos OE serem anticonstitucionais. Normal é o governo governar contra a Constituição, errar tudo o que prevê, mentir no que promete e não haver eleições que reponham uma real normalidade democrática.

E tudo isto é um êxito, é "normal" e tem de prosseguir…com serenidade. Isto é, as pessoas deixem de pensar, de exercer a sua cidadania e direitos, paguem e calem-se. Senão…ai os "mercados", o que será de nós!

A DIREITA POLITICAMENTE ATACADA DE DOENÇA BIPOLAR

A direita está como aqueles seres mentalmente perturbados daquelas tragédias de Shakespeare em que aparecem fantasmas, neste caso são os "mercados".

A direita tem sucessivos ataques de agorafobia, entra em pânico, vislumbrando ficar perdida em situações sem conseguir ajuda …dos "mercados".

Mais grave, são os sintomas de doença bipolar: ora estamos sem soberania, somos um protetorado devido ao programa da troika, temos que nos libertar da troika, ora se trata da "ajuda" pelos mesmos reclamada, negociada, aplaudida como a salvação para a qual era necessário fazer mais ainda. Ora é para cumprir custe o que custar, ora estamos a fazer sacrifícios, a ter medidas muito duras e, como dizia a ministra das Finanças, "queríamos ter um défice menor, mas os mercados não deixaram". Porém, no momento seguinte regressar aos mercados é apresentado como a via para o paraíso!

Os comentadores de serviço estão atacados da mesma doença, num momento há criticas ao governo, no outro dizem que está a fazer o que tem de ser feito.

O governo vive alternâncias ciclotímicas de euforia ora como o "sucesso" da ida aos "mercados" e de um sazonal acréscimo no PIB, ora transmitindo depressão e pânico pela ação do Tribunal Constitucional ou se for criada "instabilidade", que ele próprio nos dois casos origina.

As jornadas parlamentares do PSD-CDS, exaustivamente propagandeadas na TV, foram dos mais completos indícios de esquizofrenia vistos na cena política. O governo transmitiu durante um dia, como se não tivesse mais nada que fazer, perante uma plateia apática e seguidista, as suas alucinações, ilusões e crenças falseadas da realidade.

Estas "jornadas parlamentares", mais a normalidade que o PR assume, recordam-nos aquela frase de Shakespeare, no Hamlet: "Life is a tale, plenty of sound and fury told by an idiot and meaning nothing"…

[*] Engenheiro.

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
01/Nov/13