Querem ser a cadela do Tio Sam? Então aguentem!

por The Saker

Fiz uma curta pausa na minha vida no mundo real para comentar a grande notícia do dia . A Rússia está a aprovar um embargo de 12 meses sobre as importações de bife, porco, frutas, vegetais, aves, peixe, queijo, leite e produtos lácteos da União Europeia, Estados Unidos, Austrália, Canadá e o Reino da Noruega. A Rússia também está a aprovar uma interdição do espaço aéreo contra companhias aéreas europeias e dos EUA que voam sobre ela rumo ao Extremo Oriente, nomeadamente a região Ásia-Pacífico e está a considerar mudar os chamados pontos de entrada e saída do espaço aéreo russo para voos europeus programados e charter. Além disso, a Rússia está pronta a rever as regras de utilização das rotas trans-siberianas e interromperá conversações com as autoridades estado-unidenses sobre a utilização das rotas trans-siberianas. Finalmente, a partir deste Inverno, podemos revogar os direitos adicionais emitidos pelas autoridades aéreas russas que transcendem os acordos anteriores. Isto é um desenvolvimento de tal modo interessante e importante que exige muito mais uma análise subtil do que o cálculo bruto a fim de saber quanto estas medidas podem custar à UE ou aos EUA. Não tentarei tal cálculo mas, ao invés, destacaria os seguintes elementos.

. Primeiro , isto é uma resposta tipicamente russa. Há uma regra básica que todo garoto russo aprende na escola, nos combates de rua, na tropa ou alhures: nunca prometa e nunca ameace – apenas actue. Ao contrário dos políticos ocidentais que passaram meses a ameaçar com sanções, tudo o que os russos fizeram foi dizer, um tanto vagamente, que se reservavam o direito de responder. E então, BANG!, este embargo vasto e grande alcance o qual, ao contrário das sanções ocidentais, terá um grande impacto sobre o Ocidente, mas ainda muito mais sobre a Rússia (mais a respeito dentro de um instante). Esta táctica "não palavras & só acção" destina-se a maximizar o desencorajamento de acções hostis: uma vez que os russos não explicitam claramente o que poderiam fazer em retaliação, só Deus sabe o que poderiam fazer a seguir! :-)  Para coroar tudo, para maximizar a insegurança, os russos dizem apenas que estas eram as medidas que acordaram, mas não quando serão introduzidas, parcialmente ou plenamente, e contra quem. Eles também deixaram a entender que outras medidas estavam na forja a serem consideradas.

Segundo , as sanções são admiravelmente dirigidas. Os europeus actuaram como prostitutas sem espinha e sem cérebro em todo este caso. Eles opuseram a sanções desde o primeiro dia, mas não tiveram a coragem de dizer isso ao Tio Sam, de modo que acabaram sucessivamente por ceder. A mensagem da Rússia à UE é simples: vocês querem ser a puta do Tio Sam? Paguem o preço! Este embargo foi especialmente dorido para o Sul da Europa (Espanha, França, Itália, Grécia) cuja produção agrícola sofrerá muito. Acontece serem estes países também os mais fracos a UE. Ao atingi-los, a Rússia está a maximizar a inevitável fricção dentro da UE sobre as sanções contra a Rússia.

Terceiro , não só as companhias aéreas da UE sofrerão custos e tempos de voo muito mais elevados na rota muito importante da Europa para a Ásia como também as companhias aéreas asiáticas não os sofrerão, o que lhes dará uma dupla vantagem competitiva. Por que este meio de premiar um lado e prejudicar o outro? A UE deixou uma companhia aérea russa em dificuldade quanto aos seus voos para a Crimeia (Dobrolet) e por isso todas as companhias aéreas da UE podem acabar por ficar em enorme desvantagem em relação às suas contrapartes asiáticas.

Quarto , a Rússia utilizou estas sanções para fazer algo vital para a economia russa. Deixe-me explicar: após o colapso da URSS a agricultura russa estava em desordem e Yeltsin só piorou as coisas. Os agricultores russos simplesmente não podiam competir contra grandes empresas agro-industriais avançadas do Ocidente que se beneficiavam de enormes economias de escala, de investigação química e biológica cara e de alta tecnologia, que tem uma cadeia de produção completa (muitas vezes através de grandes holdings) e uma capacidade de marketing de alta qualidade. O sector agrícola russo necessitava desesperadamente de barreiras e tarifas para ser protegido dos gigantes capitalistas do Ocidente e a Rússia, ao invés disso, cumpriu os termos da OMC e finalmente tornou-se membro da mesma. Agora a Rússia está a utilizar este embargo total para proporcionar um tempo crucialmente necessário para a agricultura russa investir e ocupar uma fatia muito maior do mercado russo. Além disso, recordar que os produtos russos são livres de Organismos Geneticamente Modificados e que eles têm muito menos preservativos, antibióticos, corantes, realçadores de sabor ou pesticidas. E uma vez que eles são locais, não precisam transportados utilizando a espécie de técnicas de refrigeração/preservação que tipicamente fazem os produtos terem o gosto de papelão. Por outras palavras, os produtos da agricultura russa têm gosto muito melhor, mas isso não é suficiente para serem competitivos. Este embargo agora dá-lhes um impulso poderoso para investirem, desenvolverem-se e conquistarem fatias de mercado.

Quinto , há 100 países que não votaram com os EU sobre a Crimeia. Os russos já anunciaram que estes são os países com os quais a Rússia fará comércio para obter quaisquer produtos que não possam produzir internamente. Um lindo prémio por enfrentarem o Tio Sam.

Sexto , pequeno mas saboroso: já notou que a sanções da UE foram aprovadas só para três meses, "a serem revistas" posteriormente? Ao aprovar um embargo de 12 meses a Rússia também envia uma mensagem clara: quem pensa você que se beneficiará com esta confusão?

Sétimo , é completamente errado calcular que o país X da UE estava a exportar Y milhões de dólares para a Rússia e concluir então que o embargo russo custará Y milhões de dólares ao país X da UE. Por que é errado? Porque a não venda deste produto criará um excesso o qual então afectará adversamente a procura ou, se a produção for diminuída, isto afectará custos de produção (economias de escala). Inversamente, para um hipotético país Z não da UE um contrato com a Rússia pode significar bastante cash para investir, modernizar e tornar-se mais competitivo, não só na Rússia mas no mercado mundial, incluindo a UE.

Oitavo , os países bálticos desempenharam um papel particularmente odioso em todo o caso ucraniano e agora algumas das suas indústrias mais lucrativas (tais como a das pescas), as quais eram dependente da Rússia em 90%, terão de encerrar. Estes países já estão numa confusão, mas agora serão ainda mais prejudicados. Mais uma vez, a mensagem para eles é simples: vocês querem ser a cadela do Tio Sam? Então paguem o preço.

Nono , e isto é realmente importante. O que está a acontecer é uma gradual desconexão da Rússia em relação às economias ocidentais. O Ocidente cortou alguns dos laços financeiros, militares e aeroespaciais, a Rússia cortou os laços monetários, agrícolas e industriais. Manter em mente que o mercado dos EUA/UE está a afundar, afectado por profundos problemas sistémicos e enormes questões sociais. Num certo sentido, a comparação perfeita é o Titanic cuja orquestra continuava a tocar música enquanto o navio afundava. Bem, a Rússia é como um passageiro a quem dizem que as autoridades do Titanic decidiram desembarcá-lo no próximo porto. Caramba, isso é muito mau, não é verdade?

O último ponto , mas certamente não o menos importante, é que esta guerra comercial, combinada com a histeria anti-russa do Ocidente, está a fazer para Putin uma melhor campanha de relações públicas do que qualquer coisa com que o Kremlin pudesse ter sonhado. Tudo o que o seu pessoal de RP precisa dizer à população russa é a verdade: "fizemos tudo correctamente, actuámos exactamente conforme as regras, fizemos tudo o que podíamos para desescalar esta crise e tudo o que pedimos era por favor não permitam o genocídio do nosso povo na Novorussia – e o que foi que o Ocidente respondeu a isso? Com uma insana campanha de ódio, sanções contra nós e apoio incondicional ao genocidas nazis de Kiev". Além disso, como alguém que acompanha cuidadosamente os media russos, posso dizer-lhes que o que está a acontecer hoje parece um bocado, parafraseando Clausewitz, "uma continuação da II Guerra Mundial, mas por outros meios", por outras palavras uma luta até o fim entre dois regimes, duas civilizações, as quais não podem coexistir sobre o mesmo planeta e que estão bloqueadas numa luta de morte. Nestas circunstâncias, espero que o povo russo apoie Putin ainda mais.

Por outras palavras, num movimento típico do Judo, Putin utilizou em seu proveito, e em todos os campos, o impulso dado pelo Ocidente à sua campanha anti-russa e anti-Putin: a Rússia beneficiará com isto economicamente e politicamente. Longe de estar ameaçada neste Inverno por alguma espécie de "Maidan nacionalista", o regime de Putin está a ser fortalecido pelo seu manejo da crise (suas classificações estão mais altas do que nunca).

Sim, naturalmente, os EUA tem mostrado que tem um conjunto muito amplo de capacidades para ferir a Rússia, especialmente através de um sistema de tribunais (nos EUA e na UE) que é tão subserviente ao estado profundo dos EUA quanto os tribunais na RDPC o são ao seu próprio "Querido Líder" em Pyongyang. E a perda total do mercado ucraniano (tanto para importações como para exportações) também atingirá a Rússia. Temporariamente. Mas no longo prazo, esta situação é imensamente vantajosa para a Rússia.

Nesse ínterim, o Maidan está a arder outra vez , Andriy Parubiy renunciou , os ukies bombardeiam hospitais e igrejas na Novorussia. O que há de novo?

Quanto à Europa, está em estado de choque e furiosa . Francamente, meu próprio Schadenfreude [NT: regozijo maligno] não conhece limites nesta manhã. Deixem estas arrogantes não entidades como Van Rompuy, Catherine Ashton, Angela Merkel ou José Manuel Barroso tratarem desta tempestade de merda criada pela sua estupidez e falta de espinha dorsal.

Nos EUA, Jen Psaki pensa que a região de Astracã está na fronteira ucraniana , ao passo que o Ministério da Defesa russo planeia "abrir contas especiais em redes sociais e alojar recursos vídeo de modo a que o Departamento de Estado dos EUA e o Pentágono possam receber informação não enviesada acerca das acções do exército russo".

Será que tudo isso é suficiente para sugerir aos líderes da UE que apostaram no cavalo errado?

08/Agosto/2014

O original encontra-se em vineyardsaker.blogspot.fr/...

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
17/Ago/14