Crise das subprimes:
Após o sector financeiro, a próxima vítima será o US dólar

por GEAB [*]

O arresto do 'sonho americano'. Ao contrário do que dizem hoje estes peritos que ontem negavam toda possibilidade de crise financeira associada às 'subprimes', o dólar estado-unidense será a próxima vítima da reavaliação das taxas de câmbio que nos espera.

Assim, ao contrário das análises da maior parte dos medias financeiros nestes dias, não é na zona Euro que o Banco Central Europeu (BCE) injecta agora estas enormes quantidades de liquidez e sim no sistema bancário internacional através dos grandes bancos europeus que também são operadores financeiros internacionais. Estes "euros" na realidade são, no essencial, transformados em US dólares e encaminhados para os Estados Unidos, o actor central da crise global de liquidez. Ao fazer isto, o BCE ajuda a Reserva Federal americana permitindo-lhe injectar menos liquidez (impedindo assim um pânico mais forte na Wall Street, de onde provem o essencial das dificuldades). E, no curto prazo, gerando um diminuição temporária da taxa de câmbio Euro/USD, o que permite ao BCE desembaraçar-se das pressões políticas internas contra o Euro forte.

Mas as perspectivas económicas para os Estados Unidos no 2º semestre ensombram-se (na medida em que os rendimentos bursáteis constituíam o último sustentáculo para o consumo americano – ver GEAB Nº 9 e a Info Décryptée de 5 de Junho, Economia EUA: a transfusão do Fed e da Wall Street que mascara a entrada em recessão – confirmando as antecipações do LEAP/E2020 (como começam a indicar certos números da Reserva de Filadelfia , assim como o afundamento contínuo do sector americano da construção ), ao passo que a zona Euro não experimentará senão um enfraquecimento (ver GEAB Nº 16).

Quando assentar a "poeira" do actual afundamento dos mercados financeiros, os operadores perceberão que a economia dos EUA veio abaixo enquanto a zona Euro permitiu limitar os desgastes. A Ásia, por sua vez, estará numa posição muito delicada devido principalmente às consequências da crise financeira sobre as exportações e as moedas, enquanto o dólar retomará o caminho da sua espiral descendente.

19/Agosto/2007

[*] Global Europe Anticipation Bulletin

O original encontra-se em www.leap2020.eu


Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
23/Ago/07