Crise sistémica global
Abril de 2007: Ponto de inflexão da fase de impacto e entrada em recessão da economia dos EUA

por Global Europe Anticipation Bulletin
N°12, 15/Fevereiro/2007

Tal como anunciado no GEAB nº 11, em Janeiro último, a névoa estatística dissipa-se e doravante a evolução da economia estado-unidense aparece claramente (venda a retalho em ponto morto em Janeiro de 2007, défice comercial récorde em 2006, revisão em baixa do crescimento dos EUA em 2006, confirmação da desaceleração económica pelo Fed, falências em série dos organismos de empréstimos hipotecários, continuação do afundamento do imobiliário americano, …). Assim, em função das evoluções próprias de cada componente da economia estado-unidense, é o mês de Abril de 2007 que constituirá, segundo LEAP/E2020, o ponto de inflexão da fase de impacto da crise sistémica global, ou seja, o momento em que as consequências negativas da crise crescem de maneira exponencial. Mais precisamente, isto vai marcar o momento em que todas as tendências negativas vão convergir, transformando múltiplas "crises sectoriais" numa crise generalizada, uma "depressão muito grande", afectando o conjunto dos actores económicos, financeiros, comerciais e políticos.

É portanto em Abril de 2007 que nove consequências directas desta crise irão convergir, a saber:
1- aceleração do ritmo e da importância das falências de sociedades financeiras nos Estados Unidos: de uma por semana hoje a uma por dia em Abril
2- alta espectacular dos arrestos imobiliários americanos: 10 milhões de americanos lançados à rua
3- afundamento acelerado dos preços dos imóveis americanos: -25%
4- entrada em recessão da economia dos EUA em Abril de 2007
5- baixa precipitada das taxas da Reserva Federal dos EUA
6- importância crescente dos conflitos comerciais China-EUA
7- venda chinesa de dólares americanos / retorno do comércio efectuado em Yen
8- queda brutal do dólar americano em relação ao Euro, ao Yuan e ao Yen
9- queda da Libra esterlina

No número de Fevereiro do GEAB (por assinatura), a equipe LEAP/E2020 pormenoriza a natureza e encadeamento destas evoluções a fim de permitir aos actores afectados anteciparem as consequências desta aceleração dos acontecimentos, quer sejam operadores nos mercados monetários ou financeiros, investidores, operadores comerciais internacionais, decisores políticos ou económicos, ou analistas. A estratégia é em primeiro lugar dominar o tempo! E este número do GEAB é um instrumento que ajudar a dominar as evoluções do próximo trimestre que as nossas equipes esforçaram-se por construir.

A equipe LEAP/E2020 apresenta neste comunicado público uma destas nove consequências directas que são desenvolvidas no GEAB nº 12 (por assinatura), a saber:

A alta espectacular dos arrestos imobiliários americanas na Primavera de 2007: 10 milhões de cidadãos americanos lançados à rua no ano em curso.

Com efeito, após uma alta de 42%, doravante os arrestos imobiliários em 2006 nos Estados Unidos afectam em média um lar americano em cada 92. Regiões inteiras, como o Colorado, a Califórnia, o Ohio e o Texas atingem taxas de um lar sobre cada 35 ou 40, vítimas de arresto imobiliário. No Ohio, entre Outubro e Dezembro de 2006, foram arrestadas 3,3% das casas e apartamentos [1] . Assiste-se a uma aceleração dos processos de arresto devido à insolvabilidade de um número crescente de famílias americanas (v. GEAB nº 10 acerca desta questão da insolvabilidade): em 2006 foram efectuados mais de 1,2 milhão de arrestos imobiliários [2] que afectaram directamente entre 4 e 5 milhões de cidadãos americanos (contando 3 a 4 pessoas por habitação).

Taxa de arrestos imobiliários nos EUA em Dezembro de 2006
(ordem crescente do cinza para o vermelho):
Arrestos imobiliários nos EUA em Dezembro de 2006.

Para o LEAP/E2020, o ano 2007 vai experimentar pelo menos uma duplicação do número de arrestos imobiliários [3] uma vez que é neste ano que chega ao mercado o maior número de empréstimos imobiliários a refinanciar (cerca de US$ 2000 x 10 9 ). Orienta-se portanto para dois a três milhões de domicílios arrestados e cerca de 10 milhões de cidadãos americanos lançados à rua durante o ano em curso. Se alguns ainda duvidam que os Estados Unidos tenham entrada numa "depressão muito grande", eles que venham ao terreno para constatar o impacto devastador da crise imobiliária e financeira sobre milhões de americanos [4] . Já surgiu uma multidão de blogs que tentam examinar a catástrofe imobiliária em curso e o seu cortejo de dramas humanos [5] . Considerando os três meses de intervalo entre o primeiro não-pagamento dos juros e o arresto do bem imobiliário, para LEAP/E2020 será certamente em Abril que a segunda grande vaga de arrestos irá atingir o mercado estado-unidense.

Notas:
(1) "Home foreclosures are highest in Ohio", Beacon Journal , 11/01/2007
(2) "More than 1,2 million foreclosures reported in 2006", Yahoo Finance , 25/01/2007
(3) "Foreclosures increase 19% in January", United Business Media , 12/02/2007
(4) "Texas riddled by foreclosures", Austin Business Journal , 26/01/2007
(5) Como por exemplo, My Real Estate Money ou Foreclosure Pulse .


O original encontra-se em http://www.leap2020.eu/

Este comunicado encontra-se em http://resistir.info/ .

22/Fev/07