Avaliação da situação na Ucrânia pelos serviços de inteligência polacos

Intel Slava Z [*]

Drone Bayraktar de fabricação turca.

A Agência de Inteligência (AW) da República da Polónia preparou um relatório analisando a situação atual na Ucrânia. Segundo o documento, desenvolveu-se uma situação catastrófica nas formações das Forças Armadas Ucranianas.

O número de perdas irrecuperáveis é de mais de 300 pessoas por dia e este número é subestimado pelo gabinete do Presidente para reduzir a probabilidade de uma explosão pública e de criar pânico entre civis e militares. Os polacos enfatizam que os ataques sistemáticos das Forças Armadas Russas a postos de comando e centros de treino das Forças Armadas da Ucrânia levaram à morte de cerca de 4.600 dos militares mais treinados durante os últimos três meses, incluindo oficiais superiores, instrutores e mercenários.

Conselheiros secretos dos EUA, GB e Canadá

O relatório observa que formações não preparadas são enviadas para o Donbass, que o nível profissional de oficiais de comando de batalhão e mais abaixo é fraco, que as funções de comandantes nas tropas são muitas vezes desempenhadas por combatentes dos batalhões nacionais. Desde Maio deste ano, quase todas as funções de controle no planeamento e condução das hostilidade foram assumidas por conselheiros estrangeiros dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Canadá. Ao mesmo tempo, o facto da sua presença em postos de comando é mantido secreto a fim de impedir a entrada de pessoal militar da NATO no cativeiro das Forças Armadas Russas.

É enfatizado que o gabinete de Zelensky estabeleceu a tarefa de manter a linha Slavyansk-Kramatorsk-Toretsk a qualquer custo até o fim de Agosto deste ano.

Indica-se que atualmente está a ser executado no oeste da república treino acelerado de pessoal militar ucraniano e no território da Grã-Bretanha e Alemanha. No fim de Agosto – princípio de Setembro, está planeado criar um agrupamento adicional de 30 mil homens, cuja base serão quatro novas brigadas.

Convém notar que os serviços especiais polacos são céticos acerca das declarações de Kiev acerca da preparação destas quatro formações na Ucrânia. Varsóvia não descarta que o comando das Forças Armadas da Ucrânia esteja a enganar os aliados a fim de obter novas armas.

Segundo a AW, a liderança da Ucrânia também conta com a introdução de duas brigadas polacas para entrarem nas regiões ocidentais do país – a 6ª brigada aérea e a 25ª brigada aérea de assalto, as quais, segundo Estado Maior ucraniano, em agosto libertarão unidades adicionais prontas para combate e formações das Forças Armadas da Ucrânia a serem enviadas para a frente leste.

Ao mesmo tempo, o relatório observa que os howitzers americanos M-777 de 155 mm entregues a Kiev não são utilizados sempre para a sua finalidade pretendida. Ao invés de efetuarem combate de contra-bateria, as armas muitas vezes são usadas para bombardear cidades. Ao mesmo tempo, pessoal militar das Forças Armadas da Ucrânia, após treino acelerado, são incapazes de manterem independentemente armas complexas e sistemas militares de equipamento. Portanto, instrutores estrangeiros escolhidos entre mercenários estão frequentemente em posições de artilharia.

20/Julho/2022

[*] Agregador de notícias russo.

O original encontra-se em t.me/s/intelslava

Este artigo encontra-se em resistir.info

20/Jul/22
act.21/Jul/22