Agora é momento de aguardar

The Saker [*]

Distritos militares da Rússia.

Sim, os russos receberam uma resposta escrita dos EUA e da NATO.

Contudo, os documentos reais ainda não foram divulgados (mas, é claro, que o serão).

Lavrov disse que existem alguns aspectos substantivos, mas as principais exigências russas não foram satisfeitas. Recordou que todos os Estados membros da OSCE, incluindo os EUA, assinaram a Declaração de Istambul de 1999 e a Declaração de Astana de 2010. Ambos os documentos referem-se à natureza indivisível da segurança e fazem a promessa de respeitar este princípio. Assim, embora estes documentos defendam o direito de cada país escolher quaisquer alianças a que queira aderir, proíbe os estados membros de o fazerem à custa da segurança de qualquer outro signatário.

Agora, a Rússia enviará uma carta a cada Estado membro da OSCE perguntando-lhes por que razão estão a renegar a sua promessa escrita.

Então, o que sabemos nós?

É evidente que após um mês e meio de "consultas", o Partido de Guerra prevaleceu. Dificilmente uma grande surpresa.

A Rússia não está obviamente satisfeita com as respostas que obteve. As autoridades russas já o admitiram.

Área de cobertura dos sistemas de defesa aérea S-400 Triumph instalados na Rússia e Bielorússia.

As forças armadas russas estão também envolvidas em exercícios militares verdadeiramente grandes envolvendo toda a Marinha russa (quatro frotas), forças e estruturas de comando das regiões orientais da Rússia. A Rússia está também a destacar forças aéreas, unidades de guerra electrónica (EW) e mísseis de defesa aérea S-400 para a Bielorrússia. Finalmente, Putin ordenou um exercício de teste das forças de dissuasão estratégicas russas. Em suma, as forças que a Rússia está a colocar em alerta máximo estão agora a tornar-se bastante significativas e terão um impacto muito maior do que apenas o Donbass.

Fora isso, é demasiado cedo para se chegar a quaisquer conclusões. Como dizem os franceses, "é preciso dar tempo ao tempo", o que significa que embora exista um desejo natural de finalmente obter os resultados finais e de fazer grandes declarações sobre o que acabou de acontecer ou irá acontecer a seguir, a verdade é que agora NÃO é o momento para chegar a tais conclusões (pelo menos se se preocupar mais com o mundo real do que com a sua impaciência).

Os media ocidentais condicionaram literalmente o seu público na Zona A a "análises" ou "notícias de última hora" e outras palavras-chave que rapidamente vomitam de forma irresponsável, mas, considerando a capacidade de atenção e a passividade intelectual do seu público, escapam sem quaisquer consequências.

Sugiro aqui não "actuar como a CNN", tomar o tempo necessário para obter os "factos reais" e que não nos precipitemos em quaisquer conclusões prematuras.

Convém esperar um dia ou dois antes de chegar a quaisquer conclusões.

27/Janeiro/2022

  • Ver também o vídeo:  Putin faz-se entender
  • [*] Analista militar.

    O original encontra-se em https://thesaker.is/now-is-the-time-to-give-time-to-time/

    Este artigo encontra-se em resistir.info

    28/Jan/22