Nuvens no horizonte

The Saker [*]

Nuvens negras.

Os EUA não deram qualquer resposta à Rússia na sexta-feira (24). Por si só, isto não é muito surpreendente, o nível das lutas internas nas elites governantes dos EUA tornaram impossível chegar a acordo sobre uma resposta em tão curto prazo, especialmente durante as várias celebrações de fim de ano no Ocidente.

Quanto aos russos, eles estão bem com isso, uma vez que o seu próprio prazo era meados de Janeiro. Portanto, até agora nada de significativo mudou, o que observamos é apenas um monte de declarações de qualquer pessoa e toda a gente, a maioria das quais faz pouco ou nenhum sentido e tipicamente todas elas se contradizem umas às outras. Não devemos ficar demasiado agarrados ao "ele disse isto, ela disse aquilo", pois isto, bastante literalmente, não passa de ar quente.

Em termos de acções, assistimos novamente a desenvolvimentos contraditórios: algumas fontes relatam que a NATO está a preparar-se para uma grande guerra, enquanto outras dizem que os norte-americanos e o pessoal do Reino Unido estão a preparar uma evacuação de emergência.

Parece haver uma reunião entre Putin e Biden, segundo as mesmas fontes, depois da Natividade Ortodoxa, em algum momento ou pouco depois de 8 de Janeiro. Se assim for, bem vinda seja.

Além disso, Stoltenberg disse que haverá uma reunião entre a NATO e a Rússia no dia 12. Mas Stoltenberg é um palhaço sem poder, cujas emissões verbais não significam nada. Foi ele que rejeitou totalmente qualquer negociação com a Rússia há apenas uma semana e agora oferece-se para negociar...

Passei os últimos três dias a ler opiniões na Runet [NT], a ouvir talk shows e a observar vários responsáveis e personalidades a exprimirem suas opiniões e quero partilhar convosco a minha conclusão: há evidência esmagadora de que os russos NÃO estão a fazer bluff, de que eles realmente querem dizer cada palavra que disseram. Há mesmo um coro crescente de vozes a dizer que seria melhor para a Rússia se o Ocidente simplesmente rejeitasse liminarmente todas as exigências russas. Muitos esperam claramente que o Ocidente tentará isso, pois isso desataria completamente as mãos da Rússia (ou, se preferir, as garras de urso).

A maioria dos oficiais militares parece acreditar que uma guerra em larga escala contra a NATO não irá acontecer, mas que algum tipo de conflito com a Ucrânia é agora inevitável. Tendo a concordar com eles.

Muitos observadores também parecem estar realmente fartos. Fartos da constante sangria nas LDNR, fartos da presença constante de "conselheiros" militares ocidentais na Ucrânia, fartos das grandiosas e pomposas declarações dos funcionários da UE/NATO que os russos nem sequer levam a sério. Todo este tema tornou-se um enorme abcesso na mente de muitos russos e um número crescente deles quer agora que este abcesso seja aberto, desinfectado e curado. "Mais do mesmo" não é algo que se esteja disposto a aceitar.

Mas apesar de ter a certeza de que os russos não estão a fazer bluff, não tenho tanta certeza se os decisores no Ocidente se apercebem disso. A julgar pelos disparates dos responsáveis ocidentais e dos media anglo-sionistas, eu diria que não, a maior parte não se apercebe (há algumas excepções notáveis como esta).

Por isso, eu diria que há definitivamente nuvens no horizonte.

Mas o facto de os EUA e a Rússia parecerem estar a preparar-se para algum tipo de cimeira é definitivamente um bom sinal, pois mostra que ainda há uma hipótese de os dois lados fazerem algum tipo de acordo evitando o pior (se os EUA americanos apenas quisessem reunir-se para emitir mais ameaças ou para rejeitar as exigências russas, nenhum dos lados se preocuparia em organizar uma reunião).

O maior risco agora é que os estado-unidenses tentem falar da sua saída e simplesmente deixem o relógio correr sem nunca darem uma resposta clara aos russos. O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Riabkov disse que "não precisarmos de negociações, precisamos de garantias de segurança, e muito em breve". Os russos não tomarão medidas unilaterais a menos que e até se convencerem de que o Ocidente não está disposto a restringir-se nem a oferecer quaisquer garantias de segurança legais e verificáveis. A outra face desta moeda é que se o Ocidente não estiver disposto a restringir-se e recusar-se a oferecer qualquer oferta de garantias de segurança verificáveis, então os russos estarão livres para tomar medidas unilaterais. Por outras palavras, os russos estão a dizer o seguinte: olha, conseguiremos o que queremos, de uma forma ou de outra, quer o façamos através de uma negociação bilateral/multilateral ou unilateralmente depende agora de ti. Para nós, de qualquer das formas está bem e alcançaremos o nosso objectivo em qualquer cenário. A mensagem chave aqui é esta: não há nada que vocês, o Ocidente colectivo ou os EUA, possam fazer para impedir esse resultado.

Concluo que o ultimato russo foi realmente o último esforço da Rússia para resolver diplomaticamente o problema. Se este esforço falhar, então é melhor o Ocidente preparar-se para um bocado de acções unilaterais russas.

Como se diz na Rússia "aqueles que não ouvem Lavrov terão de lidar com Shoigu". Até o próprio Lavrov parece concordar.

Em breve descobriremos, suponho eu.

PS: entretanto, as autoridades das LDNR identificaram as substâncias químicas que os contratistas dos EUA trouxeram para as cidades de Mariupol, Krasnyi Liman e Avdeevka: toxina botulínica e dibenzoxazepina. Estas armas químicas foram trazidas dos EUA por aviões contratados pela USAF e são agora utilizadas por 120 mercenários dos EUA.

27/Dezembro/2021

[NT] Runet: A Internet russa.

[*] Analista militar.

O original encontra-se em https://thesaker.is/clouds-on-the-horizon-open-thread/

Este artigo encontra-se em resistir.info

28/Dez/21