Será que Putin acordará a tempo de salvar a Rússia?

– A quinta coluna no interior do país

Paul Craig Roberts [*]

Armazenamento das reservas de divisas do BCR.

Alguns leitores encaram como actos de guerra a apreensão pelo Ocidente dos activos e divisas externas russas e perguntam-se porque é que Putin não os declara como tal. As sanções são armas que estão a ser utilizadas num esforço para destruir a Rússia, tal como se fossem armas militares. Os países que impõem sanções à Rússia estão tão envolvidos no conflito como se tivessem tropas a combater na Ucrânia.

Putin reconhece as sanções como tal. Declarou que as sanções são "uma agressão total não dissimulada" e "uma guerra travada por meios económicos, políticos e informativos". Mas a Rússia não respondeu como o faria se estivessem envolvidas tropas ocidentais. A razão é que Putin considera a guerra, especialmente a guerra nuclear, como mais prejudicial do que as sanções. Ao invés de desencadear as suas forças, ele está a preparar a Rússia para sobreviver às mesmas enquanto põe em prática sistemas que tornam a Rússia imune a sanções, algo que já devia ter sido feito há muito tempo.

Isso não foi feito devido à extraordinária influência sobre Putin de três traidores russos – Anatoly Chubais, Alexei Kudrin e a governadora do banco central Elvira Nabiullina. Trata-se de pessoas que representam o Ocidente, mas a que Putin dá ouvidos. A Bloomberg, uma fonte noticiosa pouco fiável, informou que "a conceituada governadora do banco central russo Elvira Nabiullina procurou demitir-se depois de Vladimir Putin ter ordenado a invasão da Ucrânia", mas não foi permitido que abandonasse o seu posto. Ao invés disso, Putin nomeou-a para outro mandato. https://www.bloomberg.com/news/articles/2022-03-23/russia-central-banker-wanted-out-over-ukraine-but-putin-said-no

Quer a reportagem da Bloomberg seja ou não notícia falsa, repare que a Bloomberg News anti-Putin descreve Nabiullina como "altamente considerada" (a Bloomberg quer dizer no Ocidente) e prossegue informando que "Nabiullina, é favorecida pelos investidores e louvada por publicações que incluem [as revistas] Euromoney e The Banker como um dos melhores decisores de política monetária do mundo". A razão pela qual ela é favorecida pelos investidores e publicações financeiras ocidentais é que ela dirige o banco central russo de formas que enriquecem o Ocidente e empobrecem a Rússia. Pode apostar a sua vida que se ela estivesse a ajudar a Rússia, não seria "altamente considerada como um dos melhores decisores de política monetária do mundo". É evidente que a Bloomberg está a fazer tudo o que pode para a manter no cargo, servindo os interesses financeiros ocidentais.

O economista russo, quase o único economista russo, Sergei Glazyev tem avisado Putin acerca de Nabiullina durante anos, sem qualquer efeito até recentemente, quando Putin ordenou que a energia russa fosse facturada a "países inamistosos" em rublos. Glazyev conseguiu finalmente fazer Putin entender que a política de Nabiullina de exportar (e privatizar activos da Rússia) por divisas estrangeiras era uma política para enfraquecer o rublo e torná-lo vulnerável ao mesmo tempo que apoiava o fortalecimento das divisas dos inimigos da Rússia. https://www.paulcraigroberts.org/2022/03/24/will-putin-wake-up-to-the-threat-of-russias-atlanticist-integrationists/

Com excepção da influência mortal de Chubais, Kudrin e Nabiullina, que juntos conseguiram programar Putin com desinformação económica, Putin iria perceber que tinha armas mais poderosas contra as sanções do que a guerra. Tudo o que a Rússia precisa de fazer para pôr fim à crise nos termos da Rússia é desligar a energia à Europa, especialmente à Alemanha, e nacionalizar sem pagamento a propriedade estrangeira dos activos russos. A Rússia é incapaz de usar o seu poder, porque o Bando dos Três convenceu Putin de que a Rússia, sozinha no mundo, precisa de cumprir as suas obrigações contratuais a fim de manter linhas de crédito totalmente desnecessárias (e inutilizáveis) abertas com o Ocidente e ser capaz de pedir emprestadas divisas estrangeiras, um auto-flagelamento totalmente danoso para a Rússia.

Se a Rússia estiver a sofrer, e se este sofrimento resultar numa guerra mais vasta, a razão será que Putin não pode libertar-se da influência de Chubais, Kudrin, e Nabiullina. O Bando dos Três tem Putin firmemente nas garras do Ocidente.

Chubais demitiu-se do governo de Putin e fugiu para o Ocidente – e pode apostar que os seus milhares de milhões roubados escondidos nos bancos ocidentais não estão congelados. Nabiullina queria segui-lo, mas não teve boa sorte na sua partida, Putin manteve-a no cargo, onde continuará a prejudicar a Rússia. Se as sanções forem bem sucedidas, elas deverão a sua eficácia a Nabiullina, a qual garantiu que o Ocidente seria capaz de confiscar a maior parte das reservas de divisas estrangeiras da Rússia, de tornar a Rússia vulnerável pela expulsão do sistema de compensação SWIFT, e de ameaçar a Rússia com uma possível convulsão económica que poderia resultar na destituição de Putin.

Se Putin está a manter por perto e debaixo de olho a sua perigosa inimiga, deveria pelo menos despojá-la de poderes decisionais.

25/Março/2022

[*] Economista.

O original encontra-se em www.paulcraigroberts.org/2022/03/25/will-putin-wake-up-in-time-to-save-russia/

Este artigo encontra-se em resistir.info

26/Mar/22