Desafio-Resposta simétrica

– Como a Rússia está a conter os movimentos ocidentais contra ela

Moon of Alabama

Cartoon de Latuff.

Desafios:

3/Março: Zelensky says 16,000 foreigners have volunteered to fight for Ukraine against Russian invasion
O presidente ucraniano Volodymir Zelensky disse quinta-feira que 16 mil estrangeiros voluntariaram-se para combater pela Ucrânia contra a invasão russa.
Num vídeo emotivo postado no seu canal Telegram, Zelensky referiu-se à “legião internacional” de 16 mil voluntários estrangeiros que ele tem procurado “juntar à defesa da Ucrânia, da Europa e do mundo”. O país na semana anterior levantou temporariamente exigências de visto para voluntários estrangeiros que desejem nele entrar e juntar-se ao combate contra forças russas.

8/Março: 450 Arab and foreign extremists from Idlib arrive in Ukraine
Cerca de 450 extremistas árabes e de nacionalidades estrangeiras chegaram à Ucrânia provenientes de Idlib para combater contra forças da Rússia, menos de três dias depois de terem deixado a Síria, passando pela Turquia.
Parentes de extremistas que também chegaram à Ucrânia contaram à Sputnik que combatentes sénior do grupo terroristas Hayat Tahrir al-Sham (a versão redenominada da Jabhat Al-Nusra, isto é, Al-Qaeda) efectuaram uma série de reuniões com líderes superiores do grupo do Partido Islâmico do Turquistão e dos grupos Ansar Al-Tawhid e Hurras al-Din, e concordaram em permitir a entrada de alguns dos seus combatentes na Ucrânia através de solo turco.

Respostas:

11/Março: President of Russia: Meeting with permanent members of Security Council
Sergei Shoigu: Estamos a receber um enorme número de pedidos de todos os tipos de voluntários de diferentes países, que gostariam de vir às repúblicas populares de Lugansk e Donetsk para participar no movimento de libertação, como eles dizem. O maior número de pedidos, mais de 16 mil, provém do Médio Oriente. Acreditamos que devemos atender a estes pedidos, especialmente porque o assunto não diz respeito a dinheiro mas sim a um desejo genuíno destas pessoas. Conhecemos muitas delas; elas ajudaram-nos a combater o ISIS no período mais difícil, durante os últimos 10 anos.

Vladimir Putin: Tudo bem, muito obrigado. Relativamente à mobilização de mercenários de todo o mundo e ao seu envio para a Ucrânia, podemos ver que os patrocinadores ocidentais da Ucrânia e o regime ucraniano não estão a ocultar este facto. Eles estão a fazê-lo abertamente e a ignorar as normas do direito internacional. Assim, se virmos que alguns voluntários gostariam de vir ajudar o povo de Donbass, especialmente sem pagamento, então deveríamos encontrá-los a meio caminho e ajudá-los a deslocar-se para a zona de guerra.


Estou certo de que os combatentes da Síria e de outros países que lutarão do lado da Rússia receberão algum pagamento deste ou daquele patrocinador, muito provavelmente do Irão. Algum multimilionário russo poderá também estar disposto a contribuir. Mas é importante para Putin mostrar que estes não são mercenários como os do outro lado – portanto, não recebem pagamento oficial.

Houve um par desafios-respostas adicionais no que diz respeito à Ucrânia.

Shoigu mencionou também todas as entregas de armas estrangeiras que a Ucrânia recebeu. Disse a Putin que as forças russas haviam capturado grandes quantidades de armas pesadas e ligeiras, incluindo mísseis Javelin e Stinger derivados dos EUA. Propôs-se a entregá-las às milícias das repúblicas de Donbass.

Putin concordou com isso.

Um terceiro desafio-resposta é o imenso número de forças que a NATO mobiliza actualmente e avança rumo à sua fronteira oriental. Shoigu pensa que a NATO planeia que essas tropas aí permaneçam para sempre. Em breve, irá propor um novo arranjo de forças russas para potencialmente as contrariar.

Putin disse que decidiria isso separadamente. Algumas horas mais tarde teve uma reunião com o Presidente da Bielorrússia Alexander Lukashenko. Os dois provavelmente discutiram o estacionamento de tropas russas e armas como a defesa aérea e sistemas de artilharia de mísseis na Bielorrússia. Isso tornaria qualquer movimento potencial da NATO mais complicado.

Nos pares desafio-resposta acima mencionados a resposta russa é simétrica ao desafio. Combatentes estrangeiros versus combatentes estrangeiros, entregas de armas versus entregas de armas, e movimentos de tropas versus movimentos de tropas.

Os desafios que a Rússia ainda não respondeu também são as miríades de sanções que o "Ocidente" decretou contra ela. Aí as respostas só podem ser assimétricas.

Pergunto-me o que é que Putin espera para torná-las públicas. Será que quer mantê-las em reserva?

11/Março/2022

O original encontra-se em www.moonofalabama.org/2022/03/challenge-response-how-russia-is-countering-western-moves-against-it.html

Este artigo encontra-se em resistir.info

12 /Mar/22