Acerca do reconhecimento da "independência" das "repúblicas populares" do Donbass

KKE

Manifestação em Atenas frente ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, 21/Fev/22.

O KKE e a KNE juntamente com as organizações pró-paz e anti-imperialistas estão a reforçar a luta contra o envolvimento do país nos planos militares do trio EUA-NATO-UE para que o território grego não seja utilizado para operações na Ucrânia, que o acordo Grécia-EUA sobre a extensão das bases militares dos EUA na Grécia não seja ratificado e que todas as bases e infra-estruturas militares euro-atlânticas sejam imediatamente encerradas.

Neste contexto, ontem, 21 de Fevereiro, o Comité de Luta contra o Acordo de Bases Militares Grécia-EUA organizou uma manifestação diante do Ministério dos Negócios Estrangeiros em Atenas com a participação de delegações do Comité Grego de Distensão Internacional e Paz (EEDYE), sindicatos, sindicatos de estudantes, associações da Federação das Mulheres Gregas (OGE), organizações de trabalhadores independentes, etc. Analogamente, houve uma manifestação em Salónica, na sequência de um apelo do EEDYE às organizações de massas da cidade.

Ao mesmo tempo, o serviço de imprensa do CC emitiu uma declaração sobre o reconhecimento da "independência" das "repúblicas populares" do Donbass:

"A decisão da Federação Russa de proceder ao reconhecimento das "repúblicas populares" de Donetsk e Lugansk na região do Donbass, que se separou da Ucrânia em 2014, é um novo passo que complica ainda mais a situação nesta região e conduz à escalada da competição imperialista, no contexto do confronto entre o trio EUA-NATO-UE e a Rússia. Está sem dúvida ligada à intervenção do trio EUA-NATO-UE na Ucrânia, bem como ao ataque armado desencadeado nos últimos dias pelo governo ucraniano (equipado pelos EUA e NATO) contra a população de Donbass. Estes desenvolvimentos perigosos são uma das consequências da situação trágica para os povos surgida após o derrube do socialismo e a dissolução da União Soviética.

No seu discurso, Putin procurou justificar a sua posição actual com uma escalada anticomunista e um ataque contra os bolcheviques, Lenine e a União Soviética. No entanto, nada pode manchar a contribuição do socialismo na União Soviética, que era uma união multinacional de Estados iguais, nem pode esconder o sofrimento causado pela restauração capitalista, na qual Putin desempenhou o seu próprio papel. Na prática, este ataque serve de cobertura para os perigosos planos estratégicos da liderança russa na região.

O "reconhecimento" pela Rússia das "repúblicas populares" de Donetsk e Lugansk não pode resolver os problemas existentes, mas reproduz os becos sem saída do modo de produção capitalista que conduzem às guerras imperialistas e à exploração de classes. Também dificultará a luta comum dos povos contra o ódio nacionalista fomentado pela burguesia e pelos Estados imperialistas para a promoção dos seus interesses na região.

A KKE opõe-se à guerra imperialista e exige o fim da participação grega nos planos EUA-NATO-UE na Ucrânia, o encerramento das bases EUA-NATO e que nenhuma força armada grega seja enviada para a Ucrânia ou para outras missões imperialistas! A KKE apela também ao povo para intensificar a luta pela desvinculação das uniões imperialistas, tendo o povo como senhores da sua terra.

A KKE expressa também a sua solidariedade com os comunistas e os povos da Rússia e da Ucrânia. Apela a que reforcem a sua luta contra o nacionalismo e o chauvinismo, que lutem para evitar que milhões de trabalhadores fiquem presos num conflito étnico que mascara as verdadeiras causas do conflito e que reforcem a sua luta pela única alternativa que existe para os trabalhadores e que pode ser encontrada noutro caminho de desenvolvimento, ou seja, o socialismo".

22/Fevereiro/2022

Ver também:
  • PCFR: Já é tempo de por um fim às acções da NATO visando transformar a Ucrânia num Estado fascista
  • A versão em inglês encontra-se em inter.kke.gr/en/... e aquela em francês em solidarite-internationale-pcf.fr/...

    Esta declaração encontra-se em resistir.info

    23/Fev/22