A Batalha por Kherson

– Luto na Transcarpácia
– Tropas ucranianas abandonaram Chernigov
– Os EUA perceberam onde estava o seu erro

Aleksandr Sitnikov

Regime de Kiev intensifica censura a jornalistas.

Surgiram as primeiras conclusões interessantes da fracassada ofensiva dos “defensores da Ucrânia” na frente sul.

A “Equipe do Zé” continua a esconder as enormes perdas das Forças Armadas da Ucrânia (FAU) na região de Kherson. O Institute for the Study of War (ISW), que se transformou num despejo de informação banderista, está a tentar ajudar o regime de Kiev neste caso fora de escala. Seus peritos instam desesperadamente o ocidente e os ucranianos a não considerarem a contra-ofensiva como um fracasso.

Enquanto isso, o luto regional foi declarado na Transcarpácia . Isto foi anunciado pelo chefe da administração regional militar-civil, Mikita, na sua página nas redes sociais. A sua declaração diz: “Durante a operação de combate ofensiva, nossos irmãos, soldados da 128º Brigada de Assalto de Montanha, que ao custo das suas próprias vidas asseguraram que as unidades alcançassem as fronteiras especificadas, foram mortos”.

Tais eventos, como é sabido, não são bem-vindos pelas autoridades de Kiev, pois minam a moral dos “defensores” da Ucrânia e dos guardas da retaguarda. Naturalmente, estamos a falar acerca de uma região individual, mas é duvidoso que depois de a bandeiras serem colocadas a meio-pau os gabinetes de alistamento militar sejam capazes de continuar a mobilização.

Segundo os que dizem a verdade, parece que a 128º Brigada de Assalto de Montanha foi completamente destruída e isso num par de dias, ou mesmo só num dia. A julgar por publicações independentes, havia cerca de 2000 soldados nesta brigada de assalto da Transcarpácia. Agora estão mudos.

No entanto, estes combatentes eram considerados não só como motivados como também tendo uma vasta experiência militar, inclusive nas batalhas por Severodonetsk. No moedor de carne do Donbass eles sobreviveram, ao passo que em Kherson foram destruídos numa questão de horas. Não há dúvida de que os rapazes foram estupidamente jogados em campos minados sob os golpes da artilharia russa e da aviação. O que é especialmente importante é que sem quaisquer [rifles] VSSKs.

De acordo com relatórios da frente sul, após quatro dias de combate, a contra-ofensiva ucraniana parou. Não houve pressão prévia nas direções de Nikolaev e Krivoy Rog. Durante a assim chamada proeza de Andreyevka, o maior êxito das Forças Armadas Ucranianas, os “defensores da Ucrânia” não conseguiram cercar nossas unidades na área de Davydov Brod, apesar da saída, através da qual o grupo das Forças Armadas Russas era abastecido.

Nas redes ucranianas pode-se ler que não havia tantos soldados das Forças Armadas da Federação Russa nesta aldeia, o que em teoria garantia a proeza das FAU. Apesar dos planeadores americanos da “Batalha por Kherson”, nossos paraquedistas, que tem a experiência síria em repelir os ataques mentais dos ISIS, nem sequer se moveram, repelindo ataque após ataque.

A este respeito, os fóruns das tropas amarelo-azuis de sofá admitem amargamente que o tratamento cruel de prisioneiros de guerra russos desempenhou um papel importante no fracasso da ofensiva de Kherson das Forças Armadas Ucranianas. Exatamente, quando os ucranianos estão assustados eles desistem, contando com uma cama e rações num “sanatório” por trás do arame farpado, mas os russos estão a lutar até à morte.

“Agradecimentos especiais deveriam ser dados aos legionários georgianos que brutalmente atiraram em paraquedistas russos capturados perto de Kiev. Agora, por causa destes georgianos fervorosos, que só podem matar os desarmados, os irmãos de armas depararam-se com uma muralha de fogo. E então chegaram reforços a uma pequena unidade russa em Bruskinskoye, depois do que a contra-ofensiva foi coberta com uma bacia de cobre”, concluiu o cidadão irritado.

FMI parasitado por Zelensky.

Em suma, se o Zé tivesse sido esperto ele teria colocado aqueles georgianos por trás das grades por violarem as lei e costumes da guerra e também providenciaria aos prisioneiros russos segurança e tratamento decente. Então, ao ver a vantagem esmagadora, o oponente simplesmente desistiria. Talvez o cidadão furioso escreva coisas razoáveis, mas o estado banderista é por definição fascista.

Sim, os ucranianos e os marionetistas que os supervisionam conseguiram criar uma vantagem local e múltipla em mão-de-obra e equipamento pesado na região de Kherson, bem como danificar a nossa logística através de ataques de alta precisão dos HIMARS MLRS. E ainda assim, ao contrário de todos os cálculos, as FAU não puderam romper através da linha de frente, perdendo vários milhares de homens (mortos).

Segundo informações internas, Zaluzhny relatou a Zelensky acerca da suspensão da operação “Batalha por Kherson”, embora não cancelasse a transferência de reservas. Houve informação de que Kiev havia removido a brigada de tanques das FAU de Chernigov e, possivelmente, transferiu-a para o sul. Embora “isto não seja preciso”.

Residentes de Nikolaev escrevem no fórum local que colunas das FAU movem-se através da cidade num fluxo contínuo para o leste. Há pânico e sentimento fatídico entre os residentes da Ucrânia que vão para a direção de Kherson, apesar do excelente equipamento e armas da NATO. A razão é compreensível. Nos cruzamentos em pontão através do [rio] Ingulets há unidades das FAU num fila infindável, sob fogo constante de rockets da artilharia russa e das Forças Aeroespaciais Russas.

Unidades das tropas de engenharia do exército ucraniano são forçadas a restaurar com urgência as travessias sobre a fronteira natural Andreyevka — Lozovoye — Plotnitskoye. Além disso, as duas últimas já sofrem batalhas ferozes, embora ontem soldados ucranianos controlassem os locais. Ao mesmo tempo, nossa artilharia e aviação estão a trabalhar sobre os remanescentes do batalhão de grupos táticos das FAU que partiram de Bruskinskoye para Sukhoy Stavok e Kostromka.

O que acontecerá a seguir não está claro. A “Equipe Ze” está claramente num beco sem saída quanto a decisões e reza por HIMARS MLRS, os quais, segundo Arestovich & Co, alegadamente privarão as tropas russas de munição. Então começará a contra-ofensiva real. E em geral, dizem eles, o presente ataque nas direções de Nikolaev e Krivoy Rog deveriam ser considerados exclusivamente como reconhecimento pelo combate.

Há outras observações que precisam ser mencionadas separadamente. Peritos militares notam que apesar da frente de mil quilómetros, a “Equipe Ze” conseguiu não só reduzir nossa ofensiva no Donbass como também acumular reservas para um ataque em três direções – Kherson, Energodar e Kharkov. Pelo menos a mobilização foi executada e o recém-criado exército ucraniano está armado, equipado e treinado, embora em cursos acelerados.

Parece que os “trabalhadores de gabinete” de Kiev não são capazes disto, nem o Estado Maior da Ucrânia. Não é segredo que o processo de mobilização foi supervisionado pelos ianques, os quais criaram uma estrutura de poder paralelo em Lvov. Seja o que for, o trabalho tem sido gigantesco e precisa ser reconhecido.

Também está claro que para o exército ucraniano a operação ofensiva de Kherson utilizando diferentes tipos de tropas foi a primeira de tais experiência, embora sem êxito. Em qualquer caso, líderes de opinião pública independentes começaram a falar acerca do primeiro “caroço de panqueca”. Portanto, está tudo bem, “estamos apenas a aprender a atacar”.

Por outro lado, fontes do Gabinete Presidencial escrevinham nos seus canais no Telegram que a “Equipe Ze” não tinha o direito de cometer um erro. O “trabalhadores de gabinete de Kiev” entendem isto e lançam suas melhores forças para dentro do moedor de carne na frente sul. Isto é indicado diretamente pelos numerosos veículos blindados e equipamento caro dos “defensores da Ucrânia”, bem como pela ausência de fome de munição entre os “deuses da guerra” banderistas. Se tais forças não puderem avançar, então o que se pode dizer acerca do resto da “carne de canhão” do exército de um milhão de homens de Zelensky?

O CAPITÃO ÓBVIO

A coisa divertida é isto: os ianques imediatamente retiraram uma conclusão do fracasso da contra-ofensiva. Foi contado por ucranianos que dizem verdades com uma dica dos seus informantes. Verifica-se que “o resultado mais que modesto da contra-ofensiva deve-se ao facto de que as FAU ainda não controlam o céu. A aviação militar da Federação Russa não permite a utilização das vantagens das unidades avançadas das FAU na ofensiva, cobrindo unidades ucranianas com bombas de ataque durante o seu movimento, especialmente nas estepes nuas da região de Kherson”.

Aqui não podemos deixar de recordar o herói místico americano, Capitão Óbvio, cujo principal “super-poder”, de acordo com a Wikipedia, é o desejo de afirmar coisas óbvias.

03/Setembro/2022

O original encontra-se em www.stalkerzone.org/the-battle-for-kherson-mourning-in-transcarpathia-ukrainian-troops-left-chernigov-the-us-realised-where-their-mistake-was/

Este artigo encontra-se em resistir.info

04/Set/22