Operação extermínio: O plano para dizimar o sistema imunitário humano com um patógeno gerado em laboratório

Mike Whitney [*]

"Se alguém quisesse matar uma parte significativa da população mundial durante os próximos anos,
os sistemas que estão a ser postos em prática neste momento o permitiriam".
Dr. Mike Yeadon, ex-Vice-Presidente da Pfizer

"E este é o espírito do anticristo, do qual já ouviram falar; e agora já está no mundo".  1 João 4:2-3


Bill Gates

Pergunta: A vacina Covid-19 danifica o sistema imunitário?

Resposta: Sim, danifica. Prejudica a capacidade do organismo de combater infecções, vírus e doenças.

Pergunta: Se isso é verdade, então porque é que não morreram mais pessoas depois de terem sido vacinadas?

Resposta: Não percebo o que quer dizer. Esta vacina já matou mais pessoas do que qualquer outra vacina na história. "Até agora, nos Estados Unidos, o número de mortes é três vezes superior ao total de todas as vacinas nos últimos 35 anos". Isso é simplesmente espantoso. Assistimos também a um aumento constante da mortalidade por todas as causas e do excesso de mortes nos países que lançaram campanhas de vacinação em massa no início do ano. Por vezes, o aumento chega a ser de 20% em relação à média de cinco anos. Trata-se de um pico maciço de fatalidades e é em grande medida atribuível à vacina. Então, o que quer dizer quando pergunta: "Porque é que não morreram mais pessoas"? Esperava ver pessoas a agarrarem o coração e a cairem mortas depois de terem sido injectadas? É uma compreensão muito ingénua de como funciona a injecção. (Ver: " Mortes COVID antes e depois dos programas de vacinação", You Tube; 2 minutos)

Pergunta: Tudo o que estou a dizer é que a percentagem de pessoas que morreram é bastante pequena em comparação com as dezenas de milhões que foram vacinadas.

Resposta: E tudo o que estou a dizer é que se a vacina é um agente patogénico gerado em laboratório – e penso que é – então certamente não foi concebida para matar pessoas no local [onde foi aplicada a injecção]. Ela foi engendrada para produzir uma reacção retardada que gradualmente mas implacavelmente mina a saúde do vacinado. Por outras palavras, o impacto total dos coágulos sanguíneos, hemorragias, problemas auto-imunes e outros danos gerados pela vacina só será plenamente sentido numa data posterior através de incidentes crescentes de ataques cardíacos, AVC, doenças vasculares e até mesmo cancro. (Veja a "última tendência de atendimentos cardíacos pelo Serviço de Ambulância Escocês – isto é “excesso” acima da norma de 2018-19. Enorme pico no Verão, 500 chamadas de ambulância por semana acima do normal, principalmente com idades entre os 15-64 anos. Estava a instalar-se, depois voltou a aumentar desde finais de Outubro". Unidade Escocesa - Grupo Edinburgh)

Atendimentos cardíacos por ambulância.

Resposta: O gráfico ao lado mostra porque é que as questões cardíacas têm merecido muita atenção ultimamente, mas os danos no sistema imunitário são ainda mais preocupantes.

Pergunta: Pode explicar o que quer dizer sem se tornar demasiado técnico?

Resposta: Posso fazer melhor do que isso. Posso dar-lhe um pequeno recorte de um artigo que cobre as últimas pesquisas. Consulte-o:

"Um estudo de laboratório sueco (intitulado "SARS-CoV-2 Spike Impairs DNA Damage Repair and Inhibits V(D)J Recombination In Vitro", NIH) divulgado em meados de Outubro descobriu que a proteína spike... entra no núcleo das células e interfere significativamente com as funções de reparação de danos no ADN, comprometendo a imunidade adaptativa de uma pessoa e talvez encorajando a formação de células cancerígenas....

"Mecanicamente, descobrimos que a proteína espigão (spike) se localiza no núcleo e inibe a reparação de danos no ADN", escreveram eles. "As nossas descobertas revelam um mecanismo molecular potencial através do qual a proteína pico pode impedir a imunidade adaptativa e sublinhar os potenciais efeitos secundários das vacinas baseadas no pico". ( "A proteína spike no vírus COVID e as vacinas enfraquecem o sistema imunitário, podem estar ligadas ao cancro": Estudo sueco", Lifesite News)

O que os investigadores descobriram é que a proteína pico bloqueia a produção das enzimas necessárias para reparar o ADN rompido o que, por sua vez, impede a "proliferação" de células B e T que são necessárias para combater a infecção.

Pergunta: Pode explicar isso em inglês simples?

Resposta: Certamente. Significa que a vacina provoca um curto-circuito no seu sistema imunitário que abre o caminho à infecção, doença e morte prematura. Talvez pense que pode ter uma vida longa e feliz com um sistema imunitário disfuncional, mas penso que está errado. O sistema imunitário é o escudo que o protege de todos os tipos de vírus, bactérias e infecções potencialmente letais. Não é apenas a primeira linha de defesa, é a única linha de defesa. Sem a protecção total das células B e T para combater os intrusos de fora, as perspectivas de sobrevivência são, na melhor das hipóteses, minúsculas.

Para sublinhar este ponto, veja este vídeo do Director Funerário Britânico (British Funeral Director), John O' Looney, que tem fornecido actualizações regulares sobre o que está a ver no terreno dez meses após o lançamento da vacinação. É um relato perturbador da catástrofe que agora se desdobra diante dos nossos olhos:

(30 segundos) "Então o que estamos a ver é um número anormalmente elevado de mortes devido a ataque cardíaco, AVC, aneurisma; e tudo isto resulta de tromboses... Embolias nos pulmões, vários sítios estão a provocar estas mortes que estão bem documentadas pelos médicos legistas locais e bem documentadas em todo o país. E ninguém parece estar preocupado com o aumento alarmante de (coágulos de sangue) que vi mais neste ano do que nos últimos 14 anos....

Esta é uma das espécies de morte que estamos a assistir, a outra espécie é das pessoas que agora estão a ficar doentes quando os seus sistemas imunitários finalmente se dão por vencidos. Assim, elas tiveram as injecções talvez há 6 ou 8 meses atrás e isso esteve a corroer o seu sistema imunitário e agora estão a lutar para combater coisas como o resfriado comum. Assim, estamos no Inverno, há constipações e gripes no ambiente e estas pessoas não conseguem combatê-las. Os governos são muito rápidos a rotulá-lo como "Omicron"...mas eles estão doentes com o resfriado comum. Os seus sistemas imunitários estão dizimados. É muito semelhante a um doente com cancro, que passa por quimioterapia e esta dizima o seu sistema imunitário. E têm de ser muito cuidadosos porque a constipação ou gripe comum pode matá-los. E isto é o que estamos a assistir agora...

Já se passaram quase 12 meses desde o início das primeiras injecções, de modo que os seus sistemas imunitários estão a desfazer-se; essa é a realidade e é isso que estou a ver... e eles já não conseguem lidar com uma constipação. ... Quando fui à reunião em Westminster, em Setembro, o cientista previu que era isto que iria acontecer e eis o que está a acontecer. As pessoas estão a ficar doentes e a morrer..... É assustador". ( "Omicron é 'lesão vacinal'; não é mais do que isso". John Looney, Rumble)

Estará ele certo? Será que o aumento das fatalidades NÃO se deve a mais uma onda de Covid mas sim aos efeitos de uma injecção citotóxica que visa o sistema imunitário deixando milhões de pessoas indefesas contra infecções e doenças de rotina?

Isto soa factível e certamente ajusta-se à agenda de despovoamento que requer uma biologia híbrida que não mata o seu alvo directamente, mas basicamente desmantela os sistemas de defesa críticos que tornam possível a sobrevivência humana. Ao disfarçar uma "proteína assassina" como um antigénio inofensivo, os nossos gestores da pandemia foram capazes de ter acesso às correntes sanguíneas de milhões de pessoas, o que lhes permitiu inserir uma bomba relógio que devasta populações cruciais de células T e B, deixando as vítimas vulneráveis a seja qual for o vírus que esteja a circular na população. Como Looney observa, cientistas advertiram para este mesmo resultado quando a vacinação em massa foi proposta pela primeira vez. Naturalmente, as opiniões contrárias foram ignoradas e censuradas. Eis aqui mais de um documento de investigação pré-impresso (pre-print) no servidor medRxiv. Isto ajuda a explicar o impacto da vacina sobre o sistema imunitário:

"Investigadores na Holanda e Alemanha advertiram que a vacina da Pfizer-BioNTech ... A vacina (COVID-19) induz uma reprogramação complexa das respostas imunitárias inatas que deveriam ser consideradas no desenvolvimento e utilização de vacinas baseadas no mRNA.... A seguir a vacinação, as células imunitárias inatas tiveram uma resposta reduzida ao receptor toll-like 4 (TLR4), TLR7 e TLR8 – todos os ligantes (ligands) que desempenham um papel importante na resposta imunitária à infecção viral....

"Múltiplos estudos mostraram que as respostas imunitárias inatas a longo prazo podem ser aumentadas (imunidade treinada) ou desreguladas (tolerância imunitária inata) após certas vacinas ou infecções"...

Estes resultados demonstram colectivamente que os efeitos da vacina BNT162b2 vão para além do sistema imunitário adaptativo... A vacina BNT162b2 induz também a reprogramação de respostas imunitárias inatas, e isto precisa de ser tido em conta"... ( "A investigação sugere que a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 reprograma as respostas imunitárias inatas" ("Research suggests Pfizer-BioNTech COVID-19 vaccine reprograms innate immune responses") New-Medical net)

Quantas pessoas teriam sido vacinadas se soubessem que iriam reprogramar o seu sistema imunitário?

Provavelmente nenhuma e é por isso que os nossos funcionários da saúde pública nunca abordaram o tema. Qualquer coisa que se desvie mesmo ligeiramente da narrativa "as vacinas são boas para si" é omitida da cobertura geral e apagada nas redes sociais. Mas será que as pessoas não têm direito a saber o que se passa, o que está a ser injectado nos seus corpos e que impacto terá na sua vida e saúde? Não é isso o que se entende por "consentimento informado" ou será que esta é outra vítima da pressa de inocular todas as pessoas no planeta Terra? Aqui está um recorte de uma breve entrevista com o patologista Dr. Ryan Cole:

"Quando aplicamos estas injecções, podemos ver os tipos de glóbulos brancos no corpo... e temos uma vasta gama de células imunitárias que trabalham em conjunto para combater os vírus e manter os cancros sob controlo. Já estamos a ver no laboratório os sinais de diminuição das células T de importância crítica que você precisa... no seu sistema imunitário inato. Estes são os fuzileiros navais do seu corpo; combatendo os vírus que combatem o cancro.... Mas o que estamos a ver no laboratório depois de as pessoas receberem estas injecções, estamos a ver um bloqueio muito preocupante e pouco visível destas importantes células T assassinas que são precisas no seu corpo. (células CD8) E o que elas fazem é manter todos os outros vírus sob controlo.

O que é que estou a ver no laboratório? Estou a ver um aumento de vírus da família Herpes, estou a ver herpes-zóster (Shingles), estou a ver Mono, estou a ver um enorme aumento do vírus do papiloma humano... Estamos literalmente a enfraquecer o sistema imunitário destes indivíduos.

O mais preocupante de tudo, é que existe um padrão destes tipos de células imunitárias no corpo que mantêm o cancro sob controlo. Desde 1 de Janeiro, (no laboratório) tenho visto um aumento de 20X do cancro endometrial em relação ao que vejo anualmente". ( "Patologista Ryan N Cole da Clínica Mayo sobre o que vemos nos resultados do laboratório", Rumble; 2 minutos)

"Herpes, Shingles, Mono, e até mesmo cancro"! Que raio se está a passar? Isto não pode ser verdade, não é?

Sim, é verdade; a imuno-supressão leva a todo o tipo de resultados terríveis para a saúde. Alguns leitores devem lembrar-se de como o vacinologista canadiano Dr Byram Bridle fez afirmações semelhantes numa entrevista há poucas semanas atrás. Eis o que ele disse:

"O que vi demasiado foi pessoas que tinham cancros que estavam em remissão, ou que estavam a ser bem controlados; os seus cancros ficaram completamente fora de controlo após a aplicação desta vacina. E sabemos que a vacina causa uma queda no número de células T, e essas células T fazem parte do nosso sistema imunitário e são parte das armas críticas que o nosso sistema imunitário tem para combater as células cancerígenas; de modo que há aqui um mecanismo potencial. Tudo o que posso dizer é que já tive demasiadas pessoas a contactar-me com estes relatórios para me sentir confortável. Eu diria que essa é a minha mais recente grande preocupação de segurança e é também a que vai ser a mais subnotificada na base de dados de efeitos adversos, porque se alguém já teve cancro antes da vacina, não há maneira de os responsáveis da saúde pública alguma vez a ligarem à vacina". ("Fala o Dr. Byram Bridle", Bitchute, :55 segundos)

Mais uma vez, quantas pessoas teriam decidido vacinar-se se soubessem que isso poderia disparar um surto de vírus adormecidos ou cancros em remissão? Quem correria esse risco?

Mas elas não sabem que estão a assumir um risco, pois a verdade não lhes foi dita. E a razão pela qual não lhes foi dita a verdade é porque elas são um alvo numa guerra de extermínio que está a ser travada contra elas. Por vezes é muito difícil para as pessoas admitirem o que sabem ser a verdade, mas a verdade está à vista. Os nossos gestores da pandemia e os seus soldados de infantaria nos media, na saúde pública e no governo querem fazer-nos mal, querem injectar-nos com uma substância misteriosa que irá arruinar o nosso sistema imunitário e encurtar as nossas vidas. Isto não é apenas uma luta pela liberdade pessoal ou pela autonomia corporal, é uma batalha pela sobrevivência. Estamos a defender o nosso direito a viver. Aqui está algo mais da imunologista viral Dra. Jessica Rose:

"Há estudos a sair agora, e há amplos sinais nos dados dos eventos adversos, de que estes produtos (vacinas Covid) não estão apenas a imuno-modular o sistema imunitário e a causar hiper-inflamação; há agora sinais de que estão a afectar muito negativamente as populações de células T CD8. Para aqueles que não sabem, esta é uma notícia extremamente má. Por enquanto, só algumas pessoas [têm conhecimento], mas os dados não parecem bons até agora. Estas células T são as chamadas "células assassinas". A sua tarefa...é matar células infectadas viralmente que mostram marcadores estranhos na sua superfície. Portanto, se estas populações estão esgotadas, então isso é muito mau, porque não temos uma população de células no sistema imunitário adquirido para remover células infectadas viralmente....

Há sinais claros que começam a surgir, de que existe uma "síndrome de imunodeficiência" em resultado destes produtos (vacinas)... Como resultado da hiper-estimulação... das células T estarem (diminuídas) e da constante presença de injecções repetidas de uma proteína citotóxica... Eu nunca, nunca recomendaria a alguém que é imuno-comprometido a aproximar-se destas coisas, porque quase lhe posso garantir que a sua condição vai piorar. Outra coisa que estamos a ver no VAERS é cancros que saem da remissão e muitos médicos estão a relatar isto sobre o terreno. E a propósito – isto nunca aconteceu antes, nem nesta escala; nem sequer perto... Assim, passa-se aqui algo que merece mais investigação e não parece bom". ( "A imunologista viral Dra. Jessica Rose explica a informação preocupante que emerge sobre a imunidade comprometida dos vacinados", Odysee)

Já consegue ver o padrão? Conseguem ver como todos estão a dizer a mesma coisa? Porquê?

É porque é a verdade, a verdade pura, não envernizada.

O caso que estamos a tentar demonstrar não pode ser sobrestimado: A vacina é uma arma biológica produzida pelo homem, gerada em laboratório, que desactiva o sistema crítico de defesa do organismo, o que aumenta a susceptibilidade à doença em muitas ordens de magnitude. Com cada injecção adicional, a pessoa é menos capaz de montar uma resposta suficiente a infecções, gripes ou vírus de rotina. Isso vai levar a um tsunami de doenças que provavelmente irá sobrecarregar o nosso sistema de saúde pública e mergulhar o país mais profundamente na crise. Será esse o plano? É isso que os nossos super senhores globalistas têm reservado para nós?

Veremos. Agora veja este último vídeo do vacinologista Geert Vanden Bossche:

"A primeira coisa que gostaria de destacar é que a Covid-19 não é uma doença de pessoas saudáveis. As pessoas com boa saúde têm um sistema imunitário inato saudável que pode lidar com uma série de vírus respiratórios sem qualquer problema. Estas pessoas não só estão protegidas contra a doença como podem mesmo – em muitos casos – prevenir a infecção. Estas são pessoas que podem contribuir para a esterilização da imunidade e para a imunidade do rebanho, o que é muito, muito importante. Portanto, ouçam:   Jamais permitam que alguém ou qualquer coisa interfira ou suprima o vosso sistema imunitário inato. Você mesmo pode fazer um mau trabalho para si próprio levando uma vida pouco saudável, que vai suprimindo a sua imunidade inata, mas pior ainda são os anticorpos induzidos pela vacina que suprimem a sua imunidade inata. E estes anticorpos vacinais não podem substituí-lo porque perdem a sua eficácia contra o vírus e tornam-se cada vez menos eficazes. Em contraste com os anticorpos inatos, eles não podem evitar a infecção, não podem esterilizar o vírus. Portanto, contribuem para a imunidade do rebanho....

Se suprimirmos estes anticorpos inatos em crianças, isso pode levar a doenças auto-imunes. Isto é um “Não avance” absoluto. Não podemos vacinar as nossas crianças com estas vacinas. A supressão da imunidade inata já é um problema entre os vacinados, e elas vão, de facto, ter dificuldade em controlar uma série de doenças, não só a Covid-19, mas também outras doenças ...e exigirá uma mudança muito dramática nas estratégias para ajudar os vacinados – e o meu coração está com eles – porque precisarão de tratamento extensivo em muitos casos...

... Reforçá-los – o que significa dar-lhes uma terceira dose – é absolutamente insano, porque o que isto fará é aumentar a pressão imunitária dos anticorpos vacinais, sobre a sua imunidade inata. Portanto, reforçar é disparate absoluto; é perigoso e não deveria ser feito....

Então, o que é que a ciência nos diz? Diz-nos que é a imunidade inata que nos protegerá, não a vacina". ( "Geert Vanden Bossche on Vaccines and the suppression of innate immunity" , Rumble)

Assim, agora sabemos que – juntamente com os coágulos sanguíneos, a hemorragia, os ataques cardíacos, os AVC, as doenças vasculares e neurológicas – a vacina é também concebida para estripar (eviscerate) o sistema que nos protege da doença e da morte, o sistema imunitário. Quão profundamente alguém deve estar mergulhado na negação para não ver o mal que agora está entre nós.

Ver também: Dr. Nathan Thompson- A vacina Covid induz a Auto-imunidade, Odysee,
https://odysee.com/@EndYourSlavery:8/My-Jaw-DROPPED-when-I-Tested-Someone's-Immune-System-After-the-2nd-Jab:d

E isto: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida por Vacina (VAIDS) (Vaccine Acquired Immune Deficiency Syndrome, VAIDS): ' "Deveríamos antever esta erosão imunitária de forma mais vasta", Americas Frontline Doctors,
https://americasfrontlinedoctors.org/news/post/vaccine-acquired-immune-deficiency-syndrome-vaids-we-should-anticipate-seeing-this-immune-erosion-more-widely/

08/Dezembro/2021

Do mesmo autor:
  • Você recusa-se a ser vacinado, mas está pronto para ser um pária?, 25/Mar/21
  • Injecção letal: Médico na linha de frente dá um relato gélido de doenças inabituais induzidas pela vacina, 22/Nov/21
  • A vacina Covid-19: O objectivo é a imunidade ou a despopulação?, 04/Dez/20
  • Os teóricos da conspiração estavam certos: Isto É uma "injecção de veneno mortal", 16/Set/21
  • A proteína Spike aumenta os ataques cardíacos e destrói o sistema imunitário, 01/Dez/21
  • Excesso de mortes aponta para uma agenda de despopulação, 05/Nov/21
  • [*] Editor e investigador.

    O original encontra-se em www.unz.com/mwhitney/operation-extermination-the-plan-to-decimate-the-human-immune-system-with-a-lab-generated-pathogen/

    Este artigo encontra-se em resistir.info

    21/Dez/21