Como a fraude do Covid é perpetrada

por Paul Craig Roberts

Manif em França. Tenho apresentado numerosos relatos pormenorizados e documentados que demonstram a falta de evidências que apoiem a narrativa oficial da Covid. Da próxima vez que ouvir propagandistas da Big Pharma dizerem "acredite na ciência", pergunte-lhes em que ciência.

Quando os crentes na narrativa oficial e na vacina Covid são confrontados com factos, eles recuam para uma segunda linha de defesa. Se a ameaça da Covid é exagerada e a vacina insegura, por que todos os médicos e enfermeiras foram vacinados? Se as vacinas não são seguras, por que as mortes e os efeitos adversos previstos não se manifestaram?

A resposta é que nem todos os médicos e enfermeiras foram vacinados, nem acreditam na extensão da "pandemia" ou na ameaça exagerada da Covid – na verdade, muitos consideram o exagero e a vacina como ameaças maiores do que a Covid – e os efeitos adversos das vacinas estão a surgir. Os crentes na narrativa simplesmente não sabem disso porque a escória da imprensa presstituta suprime a informação e não a relata, a não ser para ridicularizá-la e denunciá-la como “desinformação”.

Nem todos os médicos e enfermeiras estão vacinados. Por exemplo, aqui está um relatório de um hospital inteiro – 200 médicos e 1.500 enfermeiras – em greve de protesto contra a tentativa do Macron nazi de forçá-los a vacinarem-se: www.rt.com/news/530095-hospital-strike-france-mandatory-vaccine/

Quanto à alegada crença na narrativa do Covid por parte de médicos e equipes médicas, aqui estão 1.500 profissionais de saúde que dizem que Covid é a "maior fraude de saúde do século XXI": www.globalresearch.ca/the-covid-outbreak-biggest-health-scam-of-the-21st-century-report-by-1500-health-profissionais/5737838

Uma pesquisa da Association of American Physicians and Surgeons descobriu que 60% dos médicos não estão vacinados: www.globalresearch.ca/...

Existem duas razões mais fortes do que a crença dos médicos na eficácia e segurança da vacina que explicam por que alguns médicos são vacinados. Uma é que eles deixam-se vacinar para salvar suas práticas profissionais. Seus pacientes aterrorizados e movidos pelo medo têm medo de serem examinados por um médico que não foi vacinado.

A outra razão é que a principal consequência do Obamacare foi a compra de consultórios independentes por redes de hospitais e organizações de saúde. Isto transformou médicos independentes em funcionários que devem seguir directrizes. Muitos que ignoraram as directrizes ao tratar pacientes com HCQ ou Ivermectina e recusaram a vacinação foram demitidos. As grandes organizações por razões de conveniência e responsabilidade seguem qualquer que seja a linha de NIH, CDC, FDA e OMS. Por outras palavras, a coerção substitui o julgamento médico.

Quanto aos efeitos adversos da vacina, o EudraVigilance, o banco de dados da União Europeia de notificações de reacções suspeitas a medicamentos cobrindo 27 países europeus, relata que em 17 de Julho de 2021, houve 18.928 mortes e 1.823.219 efeitos adversos: www.globalresearch.ca /...

Nos EUA, o banco de dados VAERS relata um total de 463.457 efeitos adversos à saúde entre todas as faixas etárias após a vacinação da Covid, incluindo 10.991 mortes e 48.385 ferimentos graves entre 14 de Dezembro de 2020 e 9 de Julho de 2021: childrenshealthdefense.org/...

Um denunciante do CDC revelou numa declaração juramentada sob pena de perjúrio que as mortes do VAERS divulgadas no relatório são subestimadas pelo menos por um factor de cinco e que o número real no banco de dados do VAERS em 9 de Julho de 2021 é de 45.000: childrenshealthdefense.org/...

Em resposta ao grande número de mortes e reacções adversas associadas às vacinas, o America's Frontline Doctors abriu um processo federal para restringir o uso emergencial das vacinas da Covid:
www.paulcraigroberts.org/...

A homóloga britânica do VAERS dos EUA é chamada sistema Yellow Car. É operado pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde. Com base neste banco de dados, os pesquisadores da Evidence-Based Medicine Consultancy (EbMC) concluíram que as vacinas Covid-19 são "inseguras para humanos". A directora do grupo de pesquisa, Dra. Tess Lawrie concluiu: "O âmbito da morbilidade é impressionante, evidenciando muitos incidentes e o que equivale a um grande número de doenças":
www.globalresearch.ca/... A Dra. Lawrie chegou a esta conclusão com base nos dados do Yellow Card para os primeiros quatro meses de 2021, durante os quais o Reino Unido registou 888.196 eventos adversos de vacinas e 1.253 mortes.

As autoridades reconhecem que os relatórios nas bases de dados dos efeitos adversos da vacina são extremamente subnotificados, captando apenas 1-10% dos efeitos adversos da vacina. Uma razão para a subnotificação é que não é fácil relatar um evento adverso da vacina. O médico ou a organização de saúde que relata tem de ser determinado e persistente. O relatório consome tempo e energia, necessárias para outras exigências. Consequentemente, há pressões para não relatar.

No caso dos efeitos adversos associados à vacina do Covid, forças mais poderosas restringem a notificação. O Partido Democrata não quer que as reacções adversas sejam relatadas. Eles erigiram Fauci como o herói que nos salvou dos discursos de Trump sobre o HCQ e salvou-nos a todos de morrer de Covid ao obter uma vacina a tempo. Organizações de saúde e associações médicas que cumpriram a narrativa oficial desejam proteger sua credibilidade de relatórios adversos a fim de evitar proporcionar motivos a funcionários e membros para exprimirem opiniões divergentes.

Uma colega conta que seu filho teve insuficiência cardíaca e coágulo sanguíneo após a vacinação, o que o manteve hospitalizado durante 22 dias com a vida em risco. O evento adverso não está a ser relatado ao VAERS. Os médicos ou o administrador do hospital evitaram relatar ao VAERS, atribuindo seu caso a um "vírus desconhecido". Seu filho se recusa a denunciar o caso porque ideologicamente é um democrata e os democratas fizeram de Fauci e da vacina o seu tema.

Minha colega também diz que o seu primo, que perdeu o uso das pernas imediatamente após a vacina, assim como um amigo meu perdeu o uso dos braços no dia seguinte, teve um ataque de coração (heart attack) a caminho do serviço de urgência e outro ataque de coração três dias depois que o matou. Os médicos não reportarão ao VAERS. A esposa do primo, ideologicamente uma democrata, defende a vacina e também não denunciará o caso.

Vamos considerar o caso mais optimista de que o VAERS, o Yellow Card e a EudraVigilance capturam 10% dos efeitos adversos da vacina Covid. Isso significa que os bancos de dados cobrindo os EUA e parte da Europa até meados de Julho de 2021 revelariam 299.190 mortes se todas as mortes fossem incluída nos sistemas de notificação e 639.280 mortes se a correcção do denunciante das mortes VAERS fosse usada.

Os bancos de dados que cobrem os EUA e parte da Europa mostram 22.866.760 efeitos adversos (injuries).

Assumindo que o relatório do Reino Unido também inclui 10% dos eventos adversos, durante os primeiros quatro meses de 2021 os britânicos experimentaram 8.881.960 efeitos adversos e 12.530 mortes.

Estes grandes números provêm de uma pequena parte do mundo. Eles não incluem Rússia, China, Índia, o resto da Ásia, Médio Oriente, África, América Latina, Canadá, Austrália. Se a mesma subnotificação for característica destas áreas, as mortes e efeitos adversos da vacina excedem em muito as do Covid.

Brinque com os números. Suponha que os sistemas de notificação adversa da vacina capturem 50% dos eventos adversos. Ainda temos uma situação muito pior do que o Covid.

Existem dois factos condenatórios finais. Um deles é que nunca antes foi usada uma vacina que resultasse em algo próximo aos números dos relatados efeitos adversos oficiais da vacina do Covid. Por que a vacina não foi retirada de uso?

O outro facto condenatório é que a exigência para o uso emergencial de uma vacina não testada e não aprovada é que [alegadamente] não existem curas conhecidas. Sabíamos desde o início que existem duas curas seguras e baratas – HCQ com zinco e Ivermectina com zinco. Para limpar o caminho para uma vacina, estes tratamentos usados por muitos médicos para salvar vidas de pacientes foram demonizados e foram efectuadas tentativas bem-sucedidas de impedir a sua utilização. Agora, existem mais duas curas segundo relatórios.   Qual é então a base para o uso emergencial contínuo das vacinas, muito menos para impo-las às pessoas?

É evidente que a saúde das pessoas não está no primeiro plano do drama do Covid.

É importante entender que a controvérsia da vacina não é entre vacinadores (vaxxers) e anti-vacinadores. A maior parte dos cientistas e médicos independentes que revelaram o lado negativo da vacina não são anti-vacinadores e alguns deles até recomendam a vacina para algumas partes da população. Os críticos da vacina veem-na como um experimento com uma nova tecnologia que se comportou de maneira diferente do esperado, mas continua a ser aplicada sobre a população mundial.

A única parte da narrativa oficial que parece verdadeira é que o vírus é real e pode ser muito perigoso para pessoas com co-morbilidades e sistemas imunológicos fracos. O vírus pode causar morte e doenças graves e prolongadas. É difícil avaliar a extensão da ameaça, porque os hospitais são incentivados a relatar todas as mortes como mortes por Covid, mesmo quando o falecido morreu por outras causas. Aparentemente, existem poucas mortes apenas de Covid.

O que é mais difícil de explicar é o esforçado impulso para a vacinação universal quando sabemos, a partir dos bancos de dados, que a própria vacina é perigosa e temos curas conhecidas. Recentemente, tenho recebido "Coronavirus World Updates". Não assinei o boletim e não sei quem está por trás dele. Eu não ficaria surpreso se eles fosse uma operação da Big Pharma. Eles parecem ter como objectivo manter vivo o medo e usá-lo para encorajar mais vacinações. Ver por exemplo: abcnews.go.com/WNT/video/covid-19-cases-adolescents-grow-rapidly-us-79037046

Nada do que sabemos sobre o Covid justifica o apelo da CNN para punir os não vacinados, segregá-los da sociedade e forçá-los a pagar por testes Covid a cada dia. Um exagero tão hiperbólico como esse indica que a insanidade se apoderou da questão e que o discurso racional é impossível. summit.news/...

A juventude não foi afectada pelo Covid original. Agora, os defensores da vacina afirmam que uma nova "variante" está a atacar os jovens, o que levanta suspeitas. A nova variante também está sendo usada para fins políticos. Por exemplo, o governador republicano da Florida que evitou confinamentos e máscaras obrigatórias está a ser acusado de responsabilidade por um "novo surto" numa área da Florida onde 75% da população está vacinada, uma percentagem maior do que a exigida para imunidade colectiva. É de se perguntar se este "novo surto" é realmente a manifestação de doenças causadas pela vacina.

Para encerrar, direi que penso ter dado uma explicação completa das questões. Isso é difícil de fazer, porque a questão foi politizada pelos democratas e muitas vozes de peritos dissidentes foram censuradas, negando-nos, assim, o benefício de diferentes relatos de especialistas. Se o vírus é tão sério quanto as burocracias dos media e da saúde pública têm apresentado, deveria haver um debate aberto entre peritos de modo a que o público tivesse a oportunidade de entender, ao invés de ser doutrinado por uma só voz.
Quem acredita que minha explicação está errada e pode fazer um trabalho melhor, por favor, dê um passo à frente.

Adenda:
Esta é a admissão de que as vacinas Covid não protegem
https://www.rt.com/usa/530214-fauci-covid19-cdc-masks/

Tirania baseada numa "pandemia" orquestrada

Se existe imunidade colectiva, imunidade natural e curas, não há justificativa para a vacinação universal obrigatória.

Como uma vacina sabidamente tóxica e causadora de mortes e efeitos adversos pode ser obrigatória?

Estas obrigatoriedades certamente não estão relacionados à saúde pública. Estará a vacinação em massa a ser coagida antes de os efeitos adversos terem tempo de se revelarem plenamente?

www.rt.com/news/530241-medical-workers-mandatory-vaccination-bill/

noqreport.com/...

www.rt.com/news/530216-germany-vaccinated-freedom-restrictions/

www.rt.com/news/530171-covid-health-pass-protest-rome/

O original encontra-se em www.paulcraigroberts.org/2021/07/26/how-the-covid-scam-is-perpetrated/

Este artigo encontra-se em https://resistir.info/ .
29/Jul/21