O horror petrificado num gráfico

Ángeles Maestro [*]

Gráfico: Mortalidade dos 0 aos 14 anos.
EUROMOMO. Excesso mortes até a semana 49 de 2022 em 26 países europeus,   www.euromomo.eu/graphs-and-maps/

Nas semana 47 de 2022 houve 1049 mortes acima das habituais de meninos e meninas entre os 0 e os 14 anos ;   na semana 46 houve 2083;   na semana 45 houve 1057. Mais de mil em cada uma das últimas três semanas e a linha ascendente continua.

Tudo isso quando em 2020, em plena pandemia, a mortalidade desta faixa etária estava a diminuir. Reflete-se assim a evidência: o risco de sofrer Covid grave e, ainda menos de morrer por isso, de crianças e jovens era e é praticamente inexistente.

A mortalidade nos primeiros meses de 2021 continuava a situar-se abaixo do esperado, até a aprovação de emergência da vacina Pfizer em Maio/2021 para a faixa etária dos 12 a 15 anos. A partir de então, na semana 36, começa a incrementar-se a mortalidade acima do habitual, para continuar a aumentar.

MENTIRA MONUMENTAL

Estas milhares e milhares de crianças sãs, cheias de vida, foram inoculadas após uma campanha asfixiante que as responsabilizavam por contagiar os maiores, em que eram animadas a serem solidárias e “salvar” assim seus avôs e avós. Uma mentira monumental propagada pelos governos, pelo pessoal sanitário, pelos professores – e as crianças foram vacinadas. A Pfizer confirmou diante do Parlamento Europeu aquilo que as autoridades sanitárias já sabiam desde o primeiro momento através da informaçãao sobre os seus ensaios clínicos proporcionadas pelas Agências de Medicamento:  não fora avaliado se as pessoas vacinadas deixavam de contagiar.

Desde então, milhares de meninos e meninas estão a morrer deixando consternadas as suas famílias, amigos e amigas. E tudo isso sob uma muralha de silêncio mediático orquestrada por governos, agências e meios de comunicação que estão subornados ou são propriedade dos Fundos de investimento, acionistas maioritários das multinacionais farmacêuticas, que por sua vez financiam a OMS.

E continuam a morrer na União Europeia, a cada semana, mais de um milhar de meninos e meninas perfeitamente saudáveis, sem que nenhum governo decrete a paralização da vacinação até que se investigue a sua relação ou não com as mortes. Além disso, no Estado espanhol, o governo e as Comunidades Autónomas, como se fosse pouco, vão incluir a vacina Covid no calendário de vacinação geral da infância.

Cada vez mais vozes se levantam, mas o silêncio cúmplice – cúmplice com o assassinato – não se rompe. A ministra da Saúde chegava ao cinismo de dizer há poucos dias, ao responder no Parlamento a uma pregunta acerca da sobre-mortalidade, que “não entra nas prioridades do governo tomar medida alguma a respeito”. Há um ano, quando começou a ser denunciado o injustificável excesso de mortes pelo Observatório de Monitorização da Mortalidade do Instituto de Saúde Carlos III, a mesma ministra dizia “eu também gostaria de saber porque sucede”. E já está há um ano calada, sem pestanejar.

Eles sabem porque se calam, mas nós não podemos continuar a fazê-lo.

Também há um assustador excesso de mortalidade em todas as idades, mais de 30 mil [1] pessoas no Estado espanhol só no ano de 2022, exceto no grupo dos 0 a 4 anos que ainda não recebeu a vacina. Mas hoje através destas palavras quero enviar um grito de raiva pelas vidas ceifadas dos meninos e meninas às mãos do crime organizado.

Nem esquecimento nem perdão. Algum dia pagarão por isso.

Para contactar o grupo estatal “Sobremortalidad: rompe el silencio” clique em www.rompelsilencio.es

[1] https://momo.isciii.es/panel_momo/

02/Dezembro/2022

Ver também:
  • Mortes súbitas? Efeitos adversos? Cancros fulminantes? Eles não querem saber… , Pedro Almeida Vieira, 23/Nov/22
  • Documentos oficiales demuestran que Anthony Fauci y Bill Gates son responsables de desarrollar el virus COVID en un biolaboratorio (El gobierno de los Estados Unidos financió la Alianza de Salud ECO de Peter Daszak por una suma de $ 61,491,183 para fabricar nuevos coronavirus que son infecciosos para los humanos)
  • [*] Médica.

    O original encontra-se em diario16.com/el-horror-petrificado-en-una-grafica/.

    Este artigo encontra-se em resistir.info

    05/Dez/22