O crime organisado: Covid-19 e Antrax-01

Heiko Schöning
entrevistado por KLA TV

Capa de 'Game Over'.

No seu novo livro “Game Over” (“Jogo acabado”) o médico e oficial da reserva Heiko Schöning prova as maquinações criminosas em torno do Covid-19. Os autores do crime de hoje, tal como num copiar e colar, dezoito anos antes cometeram um crime semelhante com a bactéria mortal do antrax. Os pormenores criminosos e o poder de dedução de Heiko Schöning levaram-no à seguinte conclusão:   as mesmas empresas e clãs estão ainda e sempre implicadas neste jogo diabólico. Mesmo o ex-presidente Trump nele desempenha um papel ... Na sua entrevista exclusiva à KLA TV, Schöning dá uma primeira aproximação das suas revelações explosivas.

Heiko Schöning:
“De facto, temos agora a melhor oportunidade desde há mais de cem anos de ultrapassar este sistema, este sistema criminoso no qual vivemos. A verdadeira diferença em relação aos anos e décadas anteriores, onde já havia mentiras de guerra que conduziram milhões pessoas à morte, é que agora, aqui no Ocidente, recebem atenção. Porque demasiadas pessoas, inclusive eu próprio, têm desviado o olhar deste crime organizado ao longo de décadas. Milhões de mortos no Vietname, no Iraque. Será que nos importamos mesmo? Será que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance? E agora é a nossa vez. E esta é a mensagem principal. Temos agora, como pais, funcionários públicos, oficiais, médicos responsáveis – toda a gente, de nos juntar e dizer:   Não à máfia! Porque mais cedo ou mais tarde será a nossa vez e é isso que estamos a perceber agora, económica e fisicamente. Não só somos tratados com desprezo, controlados, doutrinados, como as nossas vidas estão em perigo, bem como as das nossas famílias".

Apresentadora:
Heiko Schöning, fundador da Comissão de Inquérito do caso Covid e vice-presidente da “World Freedom Alliance, acaba de publicar um novo livro. O título é “Game Over”. Fiel aos pormenores mas ainda assim compreensível, ele prova ao longo de cerca de 500 páginas que o COVID-19 é um crime planificado. Dezoito anos antes, os autores do crime de hoje cometeram um crime semelhante com a bactéria mortal do antrax (Antrax-01), como num processo de copiar e colar.

A Kla.TV fez uma emissão acerca do ataque com o antrax (em francês: www.kla.tv/16694; em castelhano: www.kla.tv/16561 ). Também em 2001 foi atiçado o pânico, leis de emergência foram promulgadas e vacinações em massa foram efectuadas. O sucídio estranho do único designado como culpável, o Dr. Bruce Ivins, e sua ligação com o fabricante da vacina contra o antrax, a Emergent BioSolutions, atraíram a atenção do médico Schöning. Isso o levou a efectuar, durante anos, investigações discrfetas. Os conhecimentos que ele obteve permitiram-no prever publicamente, em Setembro/2019, que um outro pânico ligado aos agentes patogénicos era previsível em 2020 – alguns meses antes do Covid-19.

Os pormenores criminosos e o seu poder de dedução levaram-no à seguinte conclusão:   a Emergent BioSolutions e seus decisores preparam coisas bem maiores. Mas o crime organizado joga tudo por tudo e perderá a partida quando os criminosos forem revelados. Este será o “Jogo acabado” para eles!

Na sua entrevista exclusiva à Kla.TV, Schöning faz uma primeira abordagem das suas revelações explosivas. Ajude-nos a dar a conhecer os criminosos que se ocultam na sombra, difundindo esta entrevista candente e de actualidade!


Entrevistador:
Sr. Schöning, bom dia! Estou feliz em que possamos fazer hoje esta entrevista. Trataremos hoje do vosso novo livro, intitulado “Game Over”. Um livro que cita os autores e os actos, tal como os descreveu e como disse previamente que daria indicações para que as pessoas possam saber do que se trata.

Mas em primeiro lugar, façamos uma pequenas apresentação do Sr. Heiko Schöning. O senhor não é apenas um escritor mas também um médico e portanto do lado ganhador do sistema actual. Em termos de reputação e de vantagens financeiras, tem portanto as cartas boas na mão.

O que é que leva uma pessoa como o senhor a dizer agora “Jogo acabado”? Haverá talvez algum acontecimento chave que vos levou a seguir este caminho, que não é fácil?

Heiko Schöning:
Sim, muito obrigado! Pois bem, estamos em Setembro/2021 e minha motivação de base não é apenas a profissão de médico, mas é também o facto de que sou um pai, portanto que tenho a responsabilidade pelos meus filhos e, mais do que isso, sou também um oficial da reserva nas forças armadas alemãs e também prestei um juramento num certo momento de proteger as pessoas. Devemos simplesmente saber que aquilo que se passa é um crime organizado mundial.

Entrevistador:
E para retornar a este acontecimento chave, será que houve alguma coisa que o tenha preocupado, ou será que deduziu alguma coisa que parecia incongruente?

Heiko Schöning:
Sim, exactamente. Vou dizer simplesmente como cheguei a esta constatação. Trabalhei em três continentes no decorrer da minha formação. Estudei no [hospital] Charité de Berlim, assim como na Austrália e na Inglaterra. Tratei dos suicidas com paracetamol em três continentes, ou seja, pessoas que deliberadamente tomaram uma sobredose do analgésico paracetamol E em 2008 houve um presumido suicídio de um assassino que se teria matado com paracetamol e era o criminoso da arma biológica antrax, de Setembro/2001. E para resumir, segui este caso porque me perguntei:   “Espere um minuto, um microbiologista como ele matar-se-ia com paracetamol?”. É como seu um piloto de Fórmula 1 tal como Sebastian Vettel, tomasse uma bicleta para se chocar contra uma árvore com a intenção de se matar. Fiz então investigações mais aprofundadas e verifiquei que este suicídio não era de facto um suicídio e, assim, descobri uma coisa após a outra.

Entrevistador:
Portanto trata-se de algo em que disse que aquilo não pode ser, não é plausível, o paracetamol não é uma droga particularmente poderosa para se matar. Com a analogia da bicicleta é fácil compreender. E, no decorrer da vossa carreira de conferencista, aconteceu igualmente de vos impedirem de falar. Soube que em Setembro/2020 o senhor foi interrompido e preso no Hyde Park em Londres, no célebre Speaker's Corner, quando queria ali fazer um discurso. Trata-se de um lugar, como aprendemos nos cursos de inglês, onde desde há 900 anos, mesmo os maiores dissidentes e críticos do governo sempre puderam dizer o que queriam sem serem impedidos. Será isto um sinal de uma sociedade e de um governo hiper-nervoso?

Detenção do Dr. Schöning no Speaker's Corner.

Heiko Schöning:
É infelizmente o sinal de um crime mundial e o senhor tem razão. Esta boa tradição de 900 anos de liberdade de expressão no Reino Unido, em Londres, no Speaker's Corner, chegou ao fim em 26 de Setembro de 2020 quando fui preso, levado com algemas porque falei, sobre um caixote, muito pacificamente, diante das pessoas acerca do Covid-19, portanto sobre o Coronavírus. E estas imagens deram a volta ao mundo. E aquilo que disse lá eram informações importantes, eram provas de que não há vírus mortal. Trata-se antes de uma gripe sazonal normal e todas as medidas que existem ocultam por trás um crime organizado mundialmente.

Disse isso ali e fui preso, numa ilegalidade absoluta. Isso deu a volta ao mundo mas, naturalmente, o conteúdo é muito mais importante e, como acabo de dizer, uma vez que desvendei um suicídio, o caso do assassino do antrax de 2001 que supostamente se teria matado com paracetamol e que em seguida foi estigmatizado como o único culpável, reuni então as provas para afirmar:   Primeiramente, este homem não se suicidou e, em segundo lugar, ele não é o único responsável.

Ele era empregado da Emergent BioSolutions, uma empresa americana de vacinas que tinha o monopólio da vacina contra o antrax, 20 anos atrás.

Estes ataques que mataram pessoas desencadearam enorme pânico! Assim como hoje é o Covid, Covid, Covid, na época era o antrax, o antrax, o antrax.

E qual é a ligação agora? A ligação é que hoje a maior parte das vacinas são igualmente produzidas – como posso provar – por esta sociedade criminosa: a Emergent BioSolutions. Conhecemos as marcas AstraZeneca, Johnson & Johnson, Janssen, Novavax e outras. E para todas estas marcas, é a sociedade Emergent BioSolutions dos Estados Unidos que produz a vacina para eles.

E o Dr. Bruce Ivins era um empregado directo da Emergent BioSolutions de 2000 a 2001, no momento do crime. Esta sociedade ganhou milhares de milhões de dólares com aquilo e hoje novamente com o Covid-19. Isto é apenas um breve resumo. Foi o que eu tentei dizer em Londres. Fui convidado a tomar a palavra diante de dezenas de milhares de pessoas na Trafalgar Square, em Londres. Em meio a esta manifestação pacífica, a polícia interrompeu-a no momento em que eu tinha o microfone e algumas horas mais tarde – como o senhor já disse – fui ainda preso no Speakers Corner.

Entrevistador:
Talvez este acontecimento vos tenha motivado a continuar a trabalhar no vosso livro. É disso que queremos falar. Chegamos ao livro “Game Over”. Na entrevista à cadeia “Auf1” o senhor disse que foi impedido de falar em várias ocasiões aquando de manifestações em toda espécie de lugares, não apenas no Speakers Corners. Finalmente, o vosso livro tem quase 500 páginas. E depois leio aqui que é o primeiro volume. Portanto, do vosso ponto de vista, ainda há muitas coisas mais que é preciso dizer, mesmo que não se queira ouvi-las. Fale-nos disso.

"Ruptura económica provocada deliberadamente"

Heiko Schöning:
Só posso dizer uma coisa com toda a seriedade:   que o que estamos a experimentar agora – o Covid – é um engano, uma ilusão. E isso no mundo inteiro. É muito grave. E muitas pessoas já estão mortas por causa destas medidas. Com as medidas de confinamento, estão a morrer pessoas na Índia e também em África porque têm fome. Vemos também aqui, claro, as medidas repressivas, nomeadamente em matéria de economia. E este é, por assim dizer, o objectivo principal, ou seja, a economia de média dimensão, que é destruída, por uma ruptura económica deliberadamente provocada. E qual é o pretexto, o estratagema? É um vírus, que foi propagado – eu já havia avisado em Setembro/2019 numa longa entrevista – vírus propagado em Setembro de 2019. E nesse momento pude prever que criminosos planeavam para 2020 um grande pânico com agentes patogénicos. Isto foi quatro meses antes do início da crise da Covid.

Entrevistador:
É interessante, portanto isso quer dizer que o senhor foi capaz de prever alguma coisa que realmente se verificou? Que género de prova circunstancial dispunha para poder dizer isso?

Heiko Schöning:
Sim, esta entrevista de Setembro/2019, que foi então difundida, está também incluída no livro. O livro contém também dois DVD, o que significa que o vídeo original ali se encontra. Na época, eu investigava os ataque com antrax de Setembro/2001 e podia afirmar que alguns dos mesmos autores planeavam um pânico patogénico maior para 2020 e que o mesmo está novamente ligado à sociedade Emergent BioSolutions. Porque eles também disseram, por exemplo, que iriam duplicar sua facturação em dois anos. E, sim, eles mais do que realizaram isso.

Entrevistador:
Agora quando muitas pessoas se perguntam:   “Como pode o senhor chamar a isto um crime organizado internacional?” Numerosas pessoas agora se interessem pelos vírus, pelas proteínas spike e por toda essa espécie de coisas e, como há uma grande confusão, as pessoas pensam:   “Pelo amor de Deus, todos nós vamos morrer”. E outros pensam:   “Isso não pode ser verdade, eles são loucos”.

E em numerosos lugares – como pode ler nos media – pretende-se que é assim mesmo, que tudo está correcto. Isso significa que o senhor deve explicar de maneira concludente porque pensa que se trata de um crime e não de uma pandemia mundial, como se diz.

HeikoSchöning: Sim, exactamente. E foi feito exactamente isto. Criámos uma comissão de inquérito extraparlamentar sobre o caso do coronavírus quando este explodiu e este livro, “Game Over”, apresenta o relatório final, por assim dizer, com dois DVD, que contém igualmente os factos médicos, onde pode ouvir as audições de peritos com professores e médicos de renome internacional, ou seja, toda a história do que se passou está nele incluída.

"Estamos a tratar com criminosos"

O senhor pode ouvir isso da boca de peritos. Mas é bem mais importante compreender que estamos a tratar com criminosos. Criminosos de que se pode provar claramente que cometeram crimes há 20 anos. É o que demonstra o livro e a ligação a fazer é concluir:   “Se já sabemos que é um quase Al Capone ou um Dr. Josef Mengele que cometeu crimes terríveis durante a Segunda Guerra Mundial, não se dará mais confiança a estas pessoas”. E são exactamente os mesmos autores que hoje estão novamente activos em torno do Covid-19.

E todas as ligações entre as pessoas desta organização criminosa estão descritas no livro. E o bom é que não é apenas texto, mas também mais de uma centena de infografias, para que também se possa compreender visualmente como tudo está ligado.

Entrevistador:
E ainda há o baralho de cartas sobre a mesa. É uma outra abordagem que considerei especial. Poderia dizer mais a este respeito?

Baralho com as caras dos criminosos.

Heiko Schöning:
É claro que se torna muito confuso. Quando há um crime, as pessoas tentam sempre encobri-lo e trapacear. É semelhante no exército, camuflagem e engano. É por isso que é relativamente complicado. Para representar algo, é preciso colocá-lo numa ordem já conhecida. E um baralho de 52 cartas é conhecido. Pode jogar skat, póquer e muitos outros jogos. E aqui os 52 personagens principais, nomeadamente os autores, estão representados, e pode-se compreender a ordem. Tem os ouros, paus, copas e espadas, compreende a ordem, tal como se tivesse o ás ou os sete ou a rainha e o rei. E também coloquei estes mafiosos individuais nesta ordem para que possam compreender quais são os diferentes clãs que estão a operar.

Para além do livro acrescentámos também este baralho de cartas em alemão e em inglês, a fim de que se possa ter uma imagem destas pessoas. Porque quando se ouve um nome, é muito mais fácil recordá-lo se se tiver um rosto correspondente. E é isso o que este baralho de cartas pode fazer.

No livro estes criminosos são sempre representados, desenhados. Isto é que é importante e é novidade. Este livro ousa não só chamar os autores pelo seu nome como também mostrar as suas caras e as ligações criminosas.

Entrevistador: Se estamos agora a tratar de uma máfia, como disse, o senhor não está a assumir um grande risco?

Heiko Schöning:
Já me perguntaram acerca disso em Setembro de 2019, pois o projecto do livro "Game Over" já estava em cima da mesa há dois anos e eu pude exibir algumas provas diante da câmara e também mencionei conexões. Muitas pessoas que o viram ficaram chocadas. Esse vídeo foi então também censurado, foi removido do YouTube assim como muitas outras coisas. E como disse no início, fui muitas vezes impedido de falar, não só em Londres, mas também em Berlim em 1 de Agosto de 2020, quando havia mais de um milhão de pessoas nas ruas, seis horas de manifestação pacífica e a seguir nós, médicos, devíamos falar no palco. E depois a polícia tomou o palco de assalto. Foi a 1 de Agosto de 2020 em Berlim.

De facto, infelizmente, ainda há muitas outras coisas que verificamos:   a censura reina aqui.

Entrevistador:
Bem, este livro está disponível a partir de agora, se bem compreendi, ou ainda está em fase de planeamento?

Heiko Schöning:
O livro agora está terminado. Além disso, muitas outras coisas foram nele integradas. Ao invés de publicá-lo imediatamente, caso em que faria referência principalmente ao antrax de 2001, decidi dizer que os novos crimes, que são muito mais importantes agora, que são muito maiores como o do Covid-19, devem ser incluídos a fim de mostrar que são os mesmos criminosos que os planificaram. E aqui o pré-conhecimento criminal é a chave para provar que o Covid-19 é uma fraude.

E este livro prova simplesmente que alguns dos principais responsáveis tinham um conhecimento prévio criminal do Covid-19. Não era uma surpresa, tudo estava previsto. E vemos também que tudo está orquestrado, a nível mundial!

Entrevistador:
Falamos do mundo inteiro. Assim, como observador, pode-se indagar, por exemplo, a Austrália aplicou uma das estratégias anti-covid mais rígidas: “Zero Covid” – extremamente rápida, extremamente dura nos confinamentos e pergunta-se: Por que a Austrália?

Heiko Schöning:
Sim, é preciso compreender, como disse no jogo de cartas, que os diferentes clãs mafiosos estão congregados, por assim dizer. E há um clã mafioso que agora é novo, a que chamei de máfia tecno. É preciso ver que as empresas que se ocultam por trás têm um grande conhecimento do comportamento das pessoas graças às estragégias publicitárias e outras. E deve pensar no Covid-19 como um produto. Será como um lançamento de um novo produto.

O que nos espera na Europa e nos EUA

E isso não se faz por toda a parte e subitamente de modo igual a 100%, mas zonas de testes são criadas primeiro. E infelizmente a Austrália e a Nova Zelândia são mercados de testes ocidentais para estes criminosos, para testar até onde podem ir com estas medidas, com este confinamento, com estas medidas repressivas. E agora o exército é igualmente utilizado contra o povo para aplicar as medidas coercivas. E é exactamente isto que nos espera na Europa e nos Estados Unidos.

Entrevistador:
Esta era a minha próxima pergunta: O senhor diz que se as coisas continuarem assim haverá cenas enormes como aquelas que vemos actualmente na Austrália.

Heiko Schöning:
Absolutamente. Já vimos isto antes e é óbvio. E isto foi também o que eu disse no início de 2020. E desta vez também em Berlim a 29 de Agosto de 2020, nesta grande manifestação de milhões, onde pude falar diante de mais de um milhão de pessoas. Naquele discurso em Berlim, eu disse:

Na Austrália, a fase de confinamento é como uma demonstração deste desdobramento. E exactamente estas medidas serão aplicadas na Europa. E estas medidas chegaram de facto. Como já deixei claro em entrevistas, estamos confrontados pela lei marcial médica. E é isto que estamos a viver aqui.

Entrevistador:
Pois bem, a pergunta é:  O que é que se pode fazer agora? É uma pergunta que preocupa muita gente. Havia e há pessoas que, na base de discussões na Internet, tinham grandes esperanças nos Estados Unidos, no presidente Trump, e acabou por nada acontecer. Portanto, podemos dizer que a atitude de esperar para ver já não é apropriada. Então, o que aconselha as pessoas a fazer e como é que elas podem, por exemplo, apoiá-lo?

Heiko Schöning:
Por um lado, devo dizer que todos aqueles realmente puseram suas esperanças no presidente Trump foram enganados. Porque se trata de um golpe montado. O sr. Trump é igualmente um dos criminosos, um dos membros de um pequeno clã mafioso. A velha máfia de Reagan está por trás de tudo isso, os “Reaganitas”. E eles estão em concorrência com um grande clã mafioso, chamado “o establishment”, que pode consultar em pormenor. Mas neste livro é também claramente declarado que Donald Trump está em contacto com um dos principais criminosos e o seu nome é Edwin Meese, o qual em Outubro/2019 recebeu uma medalha de Donald Trump no Salão Oval. E este é um dos principais criminosos. Em suma, Donald Trump é também um dentre eles.

Humanos divididos em dois campos

E devemos igualmente perceber que nós, os humanos, estamos em vias de sermos divididos em dois campos:   os vacinados e os não-vacinados. E os Estados Unidos agora também se arriscam a não serem mais os Estados Unidos e sim a tornarem-se os Estados não-unidos. Portanto é muito importante que permaneçamos pacíficos, que permaneçamos em diálogo, que vençamos a censura e que não nos deixemos dividir. Porque é precisamente esse o seu cálculo. Porque: “Quando dois discutem, o terceiro fica feliz”.

Edwin Meese, como braço direito de Ronald Reagan, também forneceu armas a ambos os lados:   os negócios do Irão-contra, por exemplo, foram um dos seus principais crimes. E o Irão e o Iraque, ambos os lados, receberam armas durante oito anos, massacrados e, no final, as empresas americanas tomaram conta de um Iraque enfraquecido. E o Irão será confrontado com uma situação semelhante.

Não posso senão dizer que se trata de um golpe montado. E este livro mostra igualmente as grandes estruturas, as estruturas históricas, como se chegou lá. Eis porque é tão importante compreender o que se passa no princípio. Esta é a razão pela qual o livro está estruturado desta maneira; para passar da actualidade e da simplificação ao intemporal e ao aprofundamento. Portanto vale realmente a pena ter a coragem de ler este livro. Ele contém numerosas ilustrações originais, de numerosas fontes e o leitor pode igualmente verificá-lo por si mesmo.

Entrevistador:
Sim, também é muito importante. Certamente haverá uma pessoa ou outra que fará investigações. Mas o senhor disse que é um jogo orquestrado, é internacional. Eis porque vamos talvez retornar ao nível internacional. É certamente vantajoso não continuar a reinventar a roda, mas reagrupar as iniciativas e associações existentes, aprender e aproveitar umas das outras. O senhor é membro e vice-presidente da “World Doctors Alliance” (“Aliança mundial dos médicos”), do ACU 2020 e da World Freedom Alliance. Todas elas são organizações que o senhor apoia ou fundou. Fale-nos da importância destas redes internacionais.

Heiko Schöning:
Uma coisa é o conhecimento. De facto, digo que devemos efectuar cinco acções. A primeira: devemos mostrar que eles são criminosos – e e' o que este livro mostra, que são criminosos e que se trata também de crime organizado. Agora a questão é:  O que faremos nós – como entrar em acção? E aqui é importante que nos reunamos; nós, em conjunto, e que tomemos medidas contra tudo isto. Quanto a isto, eu já havia criado a “Comissão extra-parlamentar de investigação Covid19”, em Maio/2020, e em Junho tivemos a primeira reunião de lançamento com as primeiras audições. Está também nos DVD aqui, portanto as provas estão integradas para que se possa consultá-las. E em pouco tempo conseguimos igualmente reunir mais de 1000 médicos na Alemanha que também apresentaram abertamente seus nomes no sítio web a fim de dizer:

“As medidas que são tomadas aqui são absolutamente exageradas!” E de facto, mais ainda – estamos também a dizer com a Aliança Mundial pela Liberdade, a organização guarda-chuva dos movimentos globais pela liberdade – que isto é um crime orquestrado, global, e estamos a ir ainda mais longe para oferecer uma alternativa melhor. Porque não se trata apenas de apresentar os problemas, mas também a solução ao mesmo tempo. E aqui tive a honra, como disse com razão, de ser também vice-presidente desta associação médica mundial e também... desta federação do movimento pela liberdade "The World Freedom Alliance.org".

Entrevistador:
Sr. Schöning – muito obrigado por ter discutido hoje acerca do livro. Desejo-vos muito êxito, que o maior número de pessoas possível o leia, que seja algo que faça avançar as pessoas, que as congregue. Não posso senão subscrever estas propostas. Não resolveremos o problemas senão em conjunto, ou não o resolveremos de todo.

Esta é a oportunidade do século. O senhor também disse no discurso preliminar que é algo que dá esperança, que queremos também transmitir às pessoas. Ainda há alguma coisa que o senhor gostasse de dizer aos telespectadores, para concluir?

Heiko Schöning:
Sim, com certeza! O senhor tem toda a razão. É verdade que temos agora a melhor oportunidade desde há mais de cem anos para ultrapassar este sistema. Este sistema criminoso no qual vivemos e não simplesmente aceitar esta “nova normalidade” criminosa e oligárquica, mas criar uma “melhor normalidade”. É isto que defende a Aliança Mundial para a Liberdade e é também o que defende o programa económico "Wirkraft", wirkraft.org/.

A verdadeira diferença em relação aos anos e décadas precedentes, onde as mentiras de guerra que existiam implicaram a morte de milhões de pessoas, é que agora, aqui no Ocidente, dá-se atenção. Porque demasiadas pessoas, inclusive eu próprio, desviaram o olhar deste crime organizado ao longo de décadas. Dos milhões de mortos no Vietname e no Iraque. Será que nos importamos mesmo? Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance? E agora é a nossa vez. E esta é a mensagem principal. Temos agora, como pais, funcionários públicos, oficiais, médicos responsáveis – todos, temos agora de nos juntar e dizer:   Não à máfia!

Porque mais cedo ou mais tarde será a nossa vez e é isso que estamos agora a perceber, económica e fisicamente. Não só somos tratados com desprezo, controlados, doutrinados, mas também as nossas vidas estão em perigo, bem como as das nossas famílias.

Portanto, unamo-nos agora! Transmitam as provas, estas são resumidas no relatório final da Comissão de Inquérito Covid-19. Transmitam-nas! Muito obrigado.

Entrevistador:
Sim, muito obrigado. A Kla.tv vos agradece por esta jornada.

03/Novembro/2021

Game Over, de Heiko Schöning, encadernado, 452 páginas, mais de 100 infografias, incluindo dois DVDs, ISBN: 978-9-49326-207-2, em alemão, está disponível em https://www.buchkomplizen.de/buecher/verschwoerungspraxis/game-over-ausgabe-ohne-dvds.html

Vídeo em castelhano: https://www.kla.tv/_files/video.kla.tv/2021/11/20442/CrimenOrganizadoCovid19YAnthra_480p.webm

A versão em francês encontra-se em https://www.kla.tv/20334

Este artigo encontra-se em resistir.info

04/Dez/21