Carregar um automóvel elétrico: mais caro do que encher o depósito de gasolina

Duplicação do preço da eletricidade.

Os nossos idiotas no poder vão arruinar-nos com a eletricidade indexada ao preço da gasolina.

Esta informação poderia ter-se tornado o título deste artigo, mas convém recolocar a questão do automóvel elétrico e da ditadura energética concebida para causar a falência das nossas indústrias e da nossa economia.

Um objetivo da CIA é colocar os seus peões no centro do sistema político, visando principalmente o cargo de ministro da Economia. A CIA entrou no Eliseu através da eleição de Sarkozy, o seu sogro é Frank G. Wisner que foi Diretor Adjunto para os planos da CIA de 1951 a 1959. Eric Besson, ex-ministro de Sarkozy, tinha encontrado a fórmula perfeita para descrever Sarkozy: "Um neoconservador americano com passaporte francês".

Tal como os americanos fizeram na Ucrânia, o cargo de ministro da Economia em França era um objetivo principal para controlar o Estado. Em 2014, a Ucrânia teve um novo governo pró-ocidental e internacionalizado, com uma norte-americana, um georgiano e um lituano. Eram todos eles naturalizados de véspera como ucranianos. Na Ucrânia, uma norte-americana tornou-se assim ministra das Finanças em 2014.

Macron não é exceção a este sistema, foi ministro da Economia sob a presidência de Hollande. Macron é uma "criatura" da McKinsey desde 2014. Este gabinete de consultoria participou na redação da "Lei Macron 2". Apresentada por Emmanuel Macron, então ministro da Economia, em 10 de novembro de 2015, as propostas da lei foram finalmente levadas para outros textos de lei e a "lei Macron 2" foi enterrada.

Para validar a lei Macron 2, a McKinsey criou então o partido En Marche e facilitou a eleição de Emmanuel Macron para continuar a ter lugar no novo governo.

Em relação à eletricidade, a EDF vai tornar-se o novo Enron [NT] francês liderada pela McKinsey.

A McKinsey era a empresa estratégica assessora da empresa americana Enron. Kenneth Lay, presidente executivo, considerou ter inovado ao lançar uma nova política comercial para a eletricidade e matérias-primas. Este caso da Enron é particularmente significativo dos efeitos da desregulamentação sem controlo e dos excessos que o mercado pode gerar. O setor de energia está em perigo em França, já que as reformas a que Macron quer proceder no sector elétrico em França irão levar a EDF à falência.

Thomas-Olivier Léautier, ex-consultor da McKinsey, foi nomeado Economista-Chefe da EDF.

Segundo as nossas informações provenientes do interior da EDF, a empresa irá falir, beneficiando a Total Energies.

Com a estratégia de sanções contra a Rússia, a supressão das importações de gás e o custo da eletricidade indexado a este recurso vital, Macron vai destruir as nossas vidas e a nossa economia.

O novo limite de preço da energia tornará o carregamento de carros elétricos mais caro do que o tanque cheio de gasolina.

Quando o novo limite de preço da energia entrar em vigor em 1 de outubro, carregar um veículo elétrico pode custar mais do que reabastecer, segundo especialistas. Também o Royal Automobile Club, do RU, emitiu um aviso aos motoristas: os veículos elétricos serão mais caros de manter que os carros a gasolina quando o novo preço entrar em vigor em 1 de outubro.

De acordo com avaliações de companhias de seguros, o preço de uma carga total para um veículo elétrico com uma bateria de 64 quilowatts-hora será de £33,80, contra £18,37 atualmente. Como relata o ExpressOnline, os números são representativos do preço ao usar um carregador de sete quilowatts.

Após o anúncio da proibição da venda de novas viaturas a gasolina e a diesel no Reino Unido a partir de 2030, a popularidade dos veículos elétricos cresceu. Conforme revelado pela Society of Motor Manufacturers and Traders, os registos de carros elétricos aumentaram 50% nos primeiros sete meses de 2022 em relação a 2021.

O porta-voz do Royal Automobile Club, Rod Dennis, comentou: "O impacto do aumento do limite de preço da energia certamente será sentido pelos motoristas que carregam os seus automóveis elétricos em casa, com uma carga completa de um SUV elétrico familiar típico custando 84% mais a partir de 1 de outubro do que sob o preço atual".

Apesar das recentes quedas nos preços da gasolina e do diesel, o custo de carregamento em casa ainda é atraente em comparação com o preço de qualquer combustível, mas sublinha uma vez mais a que ponto o aumento do custo da eletricidade vai afetar numerosos aspetos da vida das pessoas.

"Também estamos também cientes de que os operadores de pontos de carregamento públicos não têm escolha a não ser elevar os preços para refletir os custos crescentes no fornecimento que enfrentam, o que terá um impacto significativo sobre os motoristas que não têm outra escolha a não ser carregar fora de sua casa". O Royal Automobile Club continua a apoiar a campanha da FairCharge para que o governo reduza a taxa de IVA cobrada sobre a eletricidade nos pontos de carregamento público para 5%, para refletir a taxa cobrada sobre a eletricidade doméstica".

Haverá quase uma duplicação do custo unitário da eletricidade sob os novos preços de energia, de 50 pence por kWh para 86 pence. Nas últimas semanas, o preço da gasolina caiu – sendo atualmente de £1,70 por litro.

Portanto, será mais caro viajar longas distâncias com um veículo elétrico do que com um carro a gasolina. De acordo com o Royal Automobile Club, as pessoas que possuem um veículo elétrico Jaguar i-PACE gastarão £99 a mais para percorrer a mesma distância que um motorista de veículo a gasolina.

O condutor de um veículo a gasolina poderá percorrer cerca de 400 milhas APÓS ter enchido o depósito, o que lhes custará cerca de £50. Pelo contrário, com a versão elétrica precisará de numerosos carregamentos para fazer as 400 milhas, o que custará £99 a mais depois de outubro.

Isto também se aplica a carros menos caros, acrescenta Dennis: "Uma carga completa de um SUV elétrico típico de tamanho familiar custará 84% mais a partir de outubro do que sob o preço atual atual".

30/Agosto/2022

[NT] A Enron Corporation foi uma empresa de energia dos EUA, uma das líderes no mundo em distribuição de eletricidade, gás natural e comunicações, com múltiplas ramificações em numerosos países e operações em centros bancários offshore. A faturação atingia 101 mil milhões de dólares antes do escândalo financeiro que ocasionou sua falência, por fraudes contabilísticas e fiscais, e com uma dívida de 13 mil milhões de dólares. As investigações revelaram que a Enron manipulou os balanços, com a ajuda de consultoras e bancos, tendo inflacionado artificialmente os lucros.

Ver também:
  • Um grande especialista revela segredos dos centros bancários offshore
  • www.glasgowlive.co.uk/news/new-energy-price-cap-make-24879819
  • O original encontra-se em www.geopolintel.fr/article3220.html e em www.legrandsoir.info/la-recharge-de-la-voiture-electrique-plus-chere-qu-un-plein-d-essence.html

    Este artigo encontra-se em resistir.info

    11/Set/22