Não ao nazifascismo na Ucrânia

por PCB [*]

Fascista ucraniano. A Comissão Política Nacional do Partido Comunista Brasileiro (CPN - PCB) manifesta seu repúdio ao golpe de Estado na Ucrânia e expressa sua solidariedade militante aos comunistas do País neste momento difícil em que as hordas nazifascistas, treinadas pela OTAN e financiadas pela CIA, assumiram o governo em Kiev e vêm aterrorizando a população, derrubando monumentos, atacando as sedes do Partido Comunista da Ucrânia, seus militantes nas ruas, além de judeus, ciganos e todos aqueles que não concordam com a nova ordem.

A cumplicidade, o apoio logístico e o financiamento de bandos nazifascistas por parte dos Estados Unidos e da União Europeia demonstram a dupla moral do imperialismo, que fala em democracia e direitos humanos, mas na prática apoia, treina militarmente e financia a escória humana para aterrorizar as nações que não se curvam aos seus interesses.

Nesse momento em que a crise sistêmica global se aprofunda e que as massas se manifestam contra a crise em várias partes do mundo, o imperialismo se torna mais agressivo e mostra sua verdadeira face. Cada vez está mais claro para os povos que o imperialismo não tem escrúpulos: para desestabilizar as nações utiliza os serviços de mercenários pagos a peso de ouro, treina e financia bandos nazifascistas para semear o terror nos países, financia a extrema-direita para provocar tumultos de ruas e até mesmo os fundamentalistas islâmicos da Al Qaeda se tornam seus aliados no Oriente Médio. Isso demonstra a hipocrisia e a decadência do imperialismo neste momento da história.

A atual tragédia ucraniana vem sendo fomentada há vários anos pelo imperialismo, desde a chamada "revolução laranja" até os últimos dias, quando os bandos nazifascistas conseguiram derrubar o governo burguês eleito, valendo-se do descontentamento da população com a continuidade das privatizações e das políticas neoliberais e o aumento da corrupção. Foi nesse contexto que as forças nazifascistas, orientadas pela OTAN e pela CIA, se aproveitaram do descontentamento de parte da população e tomaram o poder para impor a histeria anticomunista e a barbárie no País, a serviço dos Estados Unidos e da OTAN.

A intervenção da Rússia capitalista na Criméia não altera o fato de a disputa principal que se opera hoje na Ucrânia ter origem em contradições interburguesas no país, como parte da disputa interimperialista por posições estratégicas, mercados e riquezas naturais dos povos.

A CPN do PCB conclama todas as forças anti-imperialistas e anticapitalistas a cerrarem fileiras na condenação à ofensiva fascista na Ucrânia e na solidariedade aos trabalhadores ucranianos, na expectativa de que organizem a resistência ao fascismo e a luta para constituir um governo representativo das forças populares, com independência de classe em relação às disputas burguesas e imperialistas e no rumo ao socialismo.

Partido Comunista Brasileiro

O original encontra-se em www.pcb.org.br


Esta nota encontra-se em http://resistir.info/ .
13/Mar/14