Protestos na Ucrânia são cuidadosamente orquestrados

– O papel do CANVAS, o grupo de treino em "revoluções coloridas" financiado pelos EUA

por F. William Engdahl [*]

Homenagem a Stepan Bandera. Os recentes protestos na Ucrânia têm o fedor de uma tentativa orquestrada a partir do estrangeiro para desestabilizar o governo de Vikor Yanukovych depois de este se ter afastado da assinatura de um Acordo de Associação com a UE que teria conduzido a uma profunda divisão entre a Rússia e a Ucrânia. A estrela do box transformada em guru político, Vitaly Klitschko, tem-se reunido com o Departamento do Estado dos EUA e é um aliado próximo da CDU de Angela Merkel.

O acordo de associação com a Ucrânia enfrenta a resistência de muitos estados membros da UE que por si próprios já têm problemas económicos profundos. As duas figuras da UE que mais pressionam por ele – os ministros dos Negócios Estrangeiros sueco e polaco, Carl Bildt e Radoslaw Sikorski, respectivamente – são bem conhecidos na UE como aliados próximos de Washington.

Os EUA estão a pressionar fortemente a integração da Ucrânia na UE, assim como esteve por trás da fracassada "Revolução Laranja" de 2004 para separar a Ucrânia da Rússia num lance destinado a isolar e enfraquecer a Rússia. Agora ucranianos descobriram provas do envolvimento directo do grupo de treino de Belgrado financiado pelos EUA, o CANVAS, por trás dos protestos cuidadosamente orquestrados em Kiev.

Foi obtida uma cópia do panfleto que foi distribuído em Kiev a protestantes da oposição. Trata-se de uma tradução palavra a palavra e desenho a desenho do panfleto utilizado em 2011 pelos organizadores do CANVAS, financiado pelos EUA, nos protestos da Praça Tahrir, no Cairo, que derrubou Hosni Mubarak e abriu a porta à Fraternidade Muçulmana apoiada pelos EUA. [1] A foto abaixo é uma comparação, entre as duas:


A foto à esquerda é da Praça Tahrir; a da direita de Kiev e aqui abaixo está o original em inglês utilizado pela ONG CANVAS de Belgrado:

A CANVAS, antigamente OTPOR, em 2000 recebeu quantias significativas de dinheiro do Departamento de Estado dos EUA para encenar a primeira Revolução Colorida com êxito contra Slobodan Milosevic, na então Jugoslávia. Desde então eles foram transformados numa "consultora de revolução" em tempo integral dos EUA, fazendo-se passar por um grupo sérvio de base que apoia a "democracia". [2] Quem alguma vez pensaria que uma ONG de base sérvia seria uma frente para operações de mudança de regime apoiadas pelos EUA?

A estranha "oposição" ucraniana

. Fontes directas em Kiev com que tenho contactado informam que os protestantes anti-governo foram recrutados com dinheiro entre estudantes universitários e desempregados para virem de autocarro ao centro de Kiev. Os aspecto revelados é a espectacular emergência do campeão de box Vitaly Klitschko como presumivelmente o político sábio que conduzirá a Ucrânia para o futuro. Sem dúvida passar uma vida a bater outros boxeurs até torná-los inconscientes é uma magnífica preparação para se tornar um estadista, embora eu tenha as minhas dúvidas. É de recordar a escolha de um actor de Hollywood de segunda categoria, Ronald Reagan, como presidente. Mas mais interessante acerca de Klitscho, este porta-voz da oposição, é quem são os seus amigos.

Klitschko está a ser apoiado pela secretária de Estado assistente dos EUA, Victoria Nuland. Nuland, antiga embaixadora junto à NATO, é uma neoconservadora casada com um dos principais falcões neoconservadores, Robert Kagan, e ela própria foi conselheira de Dick Cheney. [3]

Klitschko também é amigo da chanceler alemã, Angela Merkel. Segundo uma reportagem recente da Der Spiegel, Mergel quer apoiar Klitschko na sua candidatura a presidente da Ucrânia em 2015. [4]

Mais provas de que uma agenda negra esconde-se por trás desta oposição "democrática" é o facto de que as exigências dos protestantes partiram da exigência de acesso à UE e saltaram para a da renúncia imediata do governo Yanukovich. Klitschko e a oposição utilizaram uma infeliz acção policial sobre os protestantes para expandirem maciçamente o protesto de algumas centenas de pessoas para dezenas de milhares. Em 18 de Dezembro, o governo retirou parcialmente a força de Klitschko ao assinar um importante acordo económico com Moscovo no qual a Rússia concordou em reduzir o preço do gás russo exportado para a Ucrânia em um terço, baixando-o para US$268,5 por 1000 metros cúbicos quando o nível anterior era de superior a US$400 e, além disso, em comprar US$15 mil milhões de eurobonds da dívida da Ucrânia. Isso dá à Ucrânia espaço para respirar, evitar o incumprimento da sua dívida soberana e negociar calmamente quanto ao seu futuro.

21/Fevereiro/2014

Notas
[1] SysAdmin, Pamphlets in Ukraine handed out during protests and pamphlets that were handed out in Egypt, December 12, 2013, acessado em 12160.info/photo/photo/show?id=2649739%3APhoto%3A1376645 .
[2] Nebojsa Malic, Invasion of the Mind Snatchers: Empire's Revolution Business, AntiWar.com, June 24, 2011, acessado em original.antiwar.com/malic/2011/06/23/invasion-of-the-mind-snatchers/ .
[3] NTDTV, Ukrainian Opposition Vitaly Klitschko Meets US Official Victoria Nuland, December 6, 2013, acessado em www.youtube.com/watch?v=0miz548u0WY .
[4] Die Zeit, Merkel unterstützt Klitschko, 8. Dezember 2013, acessado em www.zeit.de/politik/ausland/2013-12/merkel-klitschko-ukraine .


Ver também:
  • CANVAS treinou venezuelanos para o derrube de Chavez
  • Wikileaks Info on CANVAS (Otpor) from Stratfor Leak
  • Le président de l'UE et le premier ministre polonais d'accord sur le financement de l'opposition ukrainienne à Varsovie !
  • "L'Ukraine est un terrain de jeu pour l'Union européenne et les USA face à la Russie"
  • Los comunistas ucranianos crean milicias populares para luchar contra el fascismo
  • Quando a "Revolução" muda de rumos
  • Dossiê Ucrânia: os neonazistas a um passo do poder
  • Ukraine's Southeast seeks to restore constitutional order, thousands gather in Kharkov
  • Exposed: Viral "I am a Ukrainian Video" Produced by PR Company Linked to ‘Regime Change’ NGO
  • 'I'll be fighting Jews and Russians till I die': Ukrainian right-wing militants aiming for power

    [*] Autor de A Century of War: Anglo-American Oil Politics in the New World Order. Seu sítio web é www.engdahl.oilgeopolitics.net

    O original encontra-se em www.globalresearch.ca/...


    Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
  • 22/Fev/14