Chipre sob a mira:   A morte através do salvamento

por Mike Whitney [*]

Manifestação contra a UE em Nicósia. Supunha-se que fosse um salvamento (bailout). Acabou por ser uma sentença de morte. Dada a variegada e pouco interessante história dos burocratas de Bruxelas, será realmente surpreendente?

Sim, foi alcançado um acordo entre responsáveis do governo cipriota e a assim chamada troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) na 11ª hora de altercação – mas a que custo? Se os 10 mil milhões do salvamento eram destinados a manter Chipre na Eurozona, então a estratégia fracassou. Os controles de capitais que foram instalados para impedir uma corrida bancária efectivamente criam uma divisa de segundo nível, um euro sombra que será posto sob quarentena na ilha. Eis como o economista Frances Coppola resume isso no seu blog Coppola Comment:

"Uma vez impostos controles de capital plenos, um Euro em Chipre já não será o mesmo que um Euro em qualquer outro lugar na área Euro. Ele não pode deixar a ilha. O Euro Chipre será com efeito uma nova divisa interna. A imposição de controles de capital em Chipre é portanto o fim da divisa única na sua forma actual...

Sim, o Eurogrupo afirmará que é "business as usual" na área Euro. Draghi continuará a afirmar que o Euro é "irreversível". O Eurostat continuará a produzir estatísticas para o E17 e o E27 incluindo Chipre. Mas a realidade será que o Euro estará partido em dois. Haverá o Euro Chipre e o Euro "Continente" (se pudermos chamá-lo assim)" ("The Broken Euro", Coppola Comment)

Naturalmente, o Euro cipriota terá menos valor que o Euro continente, o que fará mais difícil para o governo que cumpra os seus objectivos de défice. (Assim, eles nunca reembolsarão o empréstimo). Além disso, criará um sistema de dois níveis em divergência com o plano mestre original da UE. Eis Coppola outra vez:

"A União Europeia foi fundada sobre "quatro liberdades": livre movimento de bens, livre movimento de serviços, livre movimento de capitais e livre movimento de pessoas. Controles de capital são um impedimento directo do livre movimento de capital. De facto é pior do que isso, porque controles de capital estritos também restringem gravemente o livre movimento de bens e serviços e o livre movimento de pessoas – os outros princípios fundadores. Será que outros países desejarão comercial com Chipre, se é difícil extrair dinheiro da ilha? Como pode qualquer outra coisa além do comércio a nível de subsistência operar dentro da ilha se os pagamentos só podem ser feitos em cash?... Com efeito, Chipre já não é um membro pleno da União Europeia.

Pode-se ver que confusão isto é e como a troika fez uma trituração com este salvamento. Finalmente, o povo de Chipre começará a comerciar em outras divisas por comodidade (provavelmente libras britânicas ou US dólares). Eu esperaria que os negócios "tudo em cash" do mercado negro se tornassem o novo modo de conduzir negócios, assim como esperaria que o sistema bancário finalmente entrasse em colapso quando depositantes continuamente retirarem o seu dinheiro em protesto e os empresários também boicotarem o sistema. Vamos ser realistas, sem garantias gerais sobre depósitos, não há razão para manter o seu dinheiro num banco. Um colchão fará a mesma coisa. A troika não parece apreender este simples ponto.

O que estava a troika a tentar alcançar com o seu salvamento grosseiro? Estavam eles a tentar destruir a economia da pequena ilha ou enviar uma mensagem de que a banca perdulária não ficará impune? Quaisquer que sejam os motivos, suas acções condenaram toda a população a uma recessão a longo prazo que provavelmente levará a uma reviravolta política e a uma saída formal do euro. Aqui está uma amostra de uma análise da Society General correctamente intitulada "Depressão para Chipre":

"Nossa previsão do PIB cipriota implica uma queda de mais de 20% no PIB real em 2017. Esta previsão já considerou muito do que foi acordado, mas não o choque de incerteza adicional gerado pela aterradora confusão política da semana passada. Os risco estão claramente na perda financeira e Chipre com toda a probabilidade exigirá nova assistência financeira adicional mais adiante". (SocGen, zero hedge)

Chipre está em apuros. Os influxos de capital foram cortados, depositantes não garantidos, accionistas e possuidores de títulos dos bancos foram liquidados (depósitos garantidos até 100 mil euros serão poupados) e o modelo de banca offshore de Chipre está kaput. O país foi destruído por uns miseráveis 10 mil milhões em empréstimos da UE, menos do que o BCE distribui diariamente através das suas muitas facilidades de liquidez amistosas para com os bancos. Agora dê uma olhadela a algumas das novas regras que estão a ser impostas aos bancos de Chipre. Isto é do Prodigal Greek via naked capitalism:

"Restrições nas retiradas diárias

Proibição de término prematuro de depósitos de poupança

Renovação compulsória de todos os depósitos de poupança ao chegarem à maturidade

Conversão de contas correntes em depósitos a prazo

Proibição ou restrições a transacções não em dinheiro

Restrições à utilização de cartões de débito, de crédito ou pré-pagos

Proibição ou restrição sobre saldar em cheques

Restrições a transferências interbancárias internas ou transferências dentro do mesmo banco

Restrições a interacções/transacções do público com instituições de crédito

Restrições a movimentos de capital, pagamentos, transferências

Qualquer outra medida que o ministro das Finanças ou o governador do Banco Central de Chipre considere necessária por razões de ordem pública e segurança..." ("Will Cyprus be contained", naked capitalism)

Assim, o confisco de depósitos é só o começo das brigas. Também vai ser quase impossível obter seja o que for deixado do seu dinheiro fora dos bancos. Boa sorte com isso!

E pense apenas de como estas restrições estão em vias de esmagar os negócios locais. Estes negócios não estão em melhor posição para obter o seu dinheiro fora dos bancos do que o trabalhador médio. Estão ambos atarraxados. Pensa do que vai ser o desemprego? E quanto ao turismo? Você não será capaz de ter acesso ao seu dinheiro num banco, de modo que é melhor chegar com uma pasta cheia de euros, caso contrário não terá sorte. Tudo isso é uma farsa. Isto acabou por ser o mais absurdo e louco salvamento de todos os tempos. O economista grego Yanis Varoufakis resumiu isto numa entrevista sexta-feira à BBC. Disse ele:

"O modo como a União Europeia manipulou este sonho transformado em pesadelo é notável. Pense disto: em uma curta semana nós colocámos em perigo o sacrossanto conceito do depósito garantido pelo estado, a integridade monetária da Eurozona e temos agora uma União Europeia cujo mercado único principal está sob a ameaça de controles de capital. É totalmente sem precedentes".

"Sem precedentes é um eufemismo. A troika está a apontar uma arma à cabeça de Chipre e a exigir que o seu povo pague pelos excessos criminosos dos oligarcas da banca. Aquilo não é um salvamento. É chantagem.

Ver também:
  • The Battle of Cyprus , de Ellen Brown — ou de como depositantes em bancos podem ser considerados CREDORES dos mesmos e não seus CLIENTES, de acordo com interpretação jurídica do Bank for International Settlements.

    [*] Co-autor de Hopeless: Barack Obama and the Politics of Illusion (AK Press). fergiewhitney@msn.com

    O original encontra-se em www.counterpunch.org/2013/03/26/death-by-bailout/
    .

    Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
  • 28/Mar/13