Será que a oligarquia ainda pode roubar a eleição presidencial?

por Paul Craig Roberts

Cartoon de Sean Delonas. Esta eleição foi preparada para ser roubada de Trump. Era este o objectivo das pesquisas de opinião cujas amostras foram amanhadas pelos apoiantes da Hillary, dando-lhe um peso indevido. Depois de durante semanas ouvirmos resultados de pesquisas em que Hillary estava na liderança, o público não acreditaria numa reclamação de roubo. A votação electrónica torna fácil roubar eleições e já publiquei explicações de peritos sobre como se faz a fraude [1] .

Evidentemente a oligarquia não quer Donald Trump na Casa Branca pois não está segura de que possa controlá-lo e a sua agente é Hillary.

Com a reabertura da investigação de Hillary pelo FBI e escândalos relacionados a explodirem em torno dela, [agora] o roubo da eleição é não só mais arriscado como também é menos provável que sirva os interesses da própria oligarquia.

A imagem, assim como o dinheiro, é parte do poder oligárquico. A imagem da América toma uma grande pancada se o povo americano eleger um presidente que está sob investigação de crime grave (felony).

Além disso, uma Hillary presidente estaria sob investigação durante anos. Com tanta atenção sobre si, ela não seria capaz de servir os interesses da oligarquia. Assim, tornar-se-ia sem valor para a oligarquia e, na verdade, investigações que desenterraram várias conexões entre Hillary e oligarcas poderiam prejudicar os mesmos.

Por outras palavras, para a oligarquia Hillary transformou-se de um activo em um passivo.

Uma presidência Hillary poderia por o nosso país no caos. Duvido que os oligarcas sejam suficientemente estúpidos para pensar que tendo tomado posse Hillary pudesse despedir o director do FBI, Comey, e encerrar a investigação. O último presidente que tentou isso foi Richard Nixon e olhem o que lhe aconteceu.

Além disso, os republicanos na Câmara e no Senado não defenderiam isto. O presidente do Comité da Câmara sobre supervisão e Reforma do Governo, Jason Chaffetz, já declarou que Hillary era "um ambiente rico em alvos. Mesmo antes de chegarmos ao primeiro dia, obtivemos dois anos de material valioso alinhado na fila [de suspeitos]". O porta-voz da Câmara, Paul Ryan, disse que a investigação seguirá as provas.

Se você fosse um oligarca, será que desejaria o seu agente sob esta espécie de escrutínio? Se fosse a Hillary desejaria estar sob esta espécie de pressão?

O que acontece se o FBI recomendar a acusação do presidente? Mesmo americanos indiferentes veriam o encobrimento se o procurador-geral se recusasse a aceitar o processo. Os americanos perderiam toda a confiança no governo. Reinaria o caos. O caos pode ser revolucionário e isso não é bom para oligarcas.

LOLITA EXPRESS

Além disso, se se pode acreditar em reportagens, escândalos libidinosos parecem aguardar o seu momento no palco. Por exemplo: em Maio a Fox News informou:

"O antigo presidente Bill Clinto era um passageiro muito mais frequente num infame jacto de abusadores sexuais do que fora anteriormente informado, com registos de voo mostrando que o antigo presidente fez pelo menos 27 viagens a bordo do "Lolita Express" — aparentemente abandonando o seu Serviço Secreto durante pelo menos cinco dos voos, segundo registos obtidos pela FoxNews.com.

"A presença de Clinton a bordo do Boeing 727 de Jeffrey Epstein em 11 ocasiões foi relatada, mas registos de voo mostram que o número é mais do que o dobro disso e as viagens entre 2001 e 2003 incluíam extensas excursões pelo mundo com Epstein e passageiros amigos identificados nos manifestos pelas suas iniciais ou primeiros nome, incluindo "Tatiana". O jacto fraudulento ganhou a sua alcunha inspirada em Nabokov porque confirmadamente estava equipada com uma cama onde passageiros faziam sexo grupal com garotas".

A Fox New informa que Epstein esteve na prisão por "solicitação e agenciamento de menores para prostituição". Ele alegadamente tinha uma equipe de traficantes que agenciava garotas tão jovens como 12 anos para o serviço dos seus amigos na "Ilha da Orgia", uma propriedade com 72 acres [291 mil m2] na ilha de Epstein, chamada Little St. James, nas Ilhas Virgens estado-unidenses". www.foxnews.com/... Alguns sítios da Internet, cuja credibilidade é para mim desconhecida, ligaram Hillary a estes voos. /truepundit.com/...

Esta espécie de comportamento parece temerária mesmo para Bill e Hillary, os quais estão habituados a escapar de tudo. No entanto, se você for um oligarca já preocupado acerca da reabertura do processo dos emails de Hillary e investigações adicionais do FBI, tal como aquela à Fundação Clinton, e preocupado com o que pode emergir dos 650 mil emails no computador do antigo deputado Weiner e da investigação pedófila do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD), colocar Hillary no Gabinete Oval não parece uma boa decisão.

Nesta altura, eu pensaria que a oligarquia preferiria roubar a eleição a favor de Trump, ao invés de roubar dele, a fim de impedir que americanos despreocupados destruam a reputação da América com a escolha para presidente dos EUA de alguém sob investigações criminais .

Ser uma "nação excepcional" ganha um novo significado quando há um criminoso ao leme.

04/Novembro/2016
[1] Como as máquinas de votar são programadas a fim de roubar eleições

O original encontra-se em www.paulcraigroberts.org/...


Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
07/Nov/16