resistir_info Não à guerra pelo petróleo.     Referendo de 11 de Fevereiro. 18/Jan/2007

PSICOGUERREIROS
. Robert A. McClure, chefe de um grupo estadunidense de guerra psicológica, descreveu assim a reorientação da população de um país ocupado:
Primeiro, o encerramento total de todos os media; segundo, operação pelas forças americanas de instrumentos seleccionados de informação – rádios, jornais, etc; e terceiro, uma mudança gradual destes instrumentos, através de licenças, para pessoas cuidadosamente seleccionadas.
Estas regras têm estado em vigor desde o restabelecimento do 4th Psychological Operations Group, em Fort Bragg. O símbolo do regimento é cinzento, branco e negro, representando os três tipos de operações psicológicas. O branco a acção aberta; o negro as operações atribuídas a terceiros; o cinzento as actividades conduzidas sob o anonimato. Quem explica isso são os seus próprios veteranos, em www.psywarrior.com
BLOQUEAR A ESCALADA NO IRAQUE
George W Bush quer enviar mais tropas para o Iraque (mais 21.500 soldados) e engordar assim o complexo militar-industrial. O novo Congresso dos EUA tem o poder de impedi-lo — mas falta saber se o utilizará. A proposta de escalada de Bush tornará o mundo inteiro menos seguro, provocará mais devastação e tornará mais difícil por termo à guerra. Os povos de todo o mundo levantam-se em protesto, inclusive o dos EUA.
Assine a petição internacional pelo bloqueio da escalada no Iraque .
NATO QUER MATAR MENOS CIVIS
A linguagem é orwelliana: "A única coisa que fizemos errada e que estamos a nos esforçar arduamente por melhorar foi a matança de civis inocentes". A afirmação é do brigadeiro Richard E. Nugee, chefe dos porta-vozes da NATO na International Security Assistance Force, no Afeganistão.
A notícia está em The Boston Globe
Cartoon de Latuff.
QUANDO OS ABUTRES JULGAM
Quaisquer que fossem os crimes de Saddam Hussein, eles são insignificantes perante os dois milhões de mortos que o imperialismo americano já produziu no Iraque. Diante da magnitude dos crimes de Bush pai, Clinton e Bush filho, Saddam Hussein parece uma criatura verdadeiramente angelical. O tribunal fantoche de Bagdad, constituído sob a bota da tropa de ocupação estadunidense & britânica, não tem qualquer legitimidade, legalidade e nem sequer decência para julgar seja quem for. A verdadeira justiça no Iraque só poderá começar quando forem expulsos os invasores. Até lá, a execução de Saddam Hussein será apenas mais um dos milhentos crimes perpetrados pelo imperialismo americano.
A GUERRILHEIRA
O filme mostra a história do ingresso e treinamento de uma jovem, Isabel, nas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Este documentário, do dinamarquês Frank Poulsen, tem 01h14m de duração e foi filmado num acampamento na selva colombiana. Ele descreve a difícil transição de uma vida normal para as fileiras das FARC e o árduo treinamento que Isabel tem de enfrentar.
"As pessoas perguntam-se porque Isabel deixou tudo para trás a fim de se unir às FARC", considera o realizador do filme. E responde: "Bem, o presidente da Colômbia é um narcotraficante. O seu regime assassina as pessoas que se atrevem a criticar a sua política". Assim, conclui Poulsen, "seria melhor perguntar: o que fazemos nós ao apoiar este tipo?".
Ligue o alto-falante antes de carregar o filme.


PORTUGAL INTEGRA-SE MAIS NO ESPAÇO SCHENGEN
A obsessão pelo controle dos cidadãos é característica do chamado Espaço Schengen. Nele, a electrónica põe-se ao serviço das polícias europeias e para isso foi concebido o Cartão do cidadão , dotado de chip. Poucos países europeus aderiram ao dito cartão, mas aqui essa foi uma das prioridades estratégicas escolhidas pelo governo Sócrates.
Trata-se de um negócio de vulto, pois as maiores empresas de informática do mundo estão envolvidas em tal projecto. Seria interessante saber quanto vai custar ele para Portugal e depois comparar esse valor com o benefício de substituir cinco cartões já existentes (BI, contribuinte, Seg. Social, Serv. Nac. de Saúde e de eleitor) por apenas um. Mas, seja comor for, pode-se suspeitar que este benefício seja o engodo destinado a obter a colaboração dos cidadãos sujeitos a controle.
ETIÓPIA ATACA A SOMÁLIA
Quando um país invade ou bombardeia outro país, e a ONU permanece silenciosa, podemos ter a certeza de que o governo dos Estados Unidos está por trás disso.
PAÍS SANGRADO
As remessas de lucros e dividendos para fora do Brasil, de multinacionais e especuladores que operam no mercado de capitais brasileiro, triplicaram durante o governo Lula. Estas remessas foram de US$ 5,1 mil milhões de dólares em 2002 e agora, em 2006, saltaram para US$ 15,5 mil milhões (até Novembro, com as de Dezembro poderá chegar aos US$ 16 mil milhões).
CONTRATO ENTRE IRÃO E VENEZUELA É EM EUROS
O Irão assinou com a Venezuela o primeiro contrato denominado em euros entre os dois países, no valor de € 211 mihões. O contrato refere-se ao fornecimento de quatro navios petroleiros de 104 mil toneladas cada um. Ambos os países estão a reduzir a proporção de dólares americanos nas reservas dos seus bancos centrais, bem como nas respectivas transacções internacionais.
A notícia está em FARS .
A SOLUÇÃO ESTÁ NO BIGODE
A importância de ter um bigode no Iraque foi detectada pelo capitão Patriquin, dos Marines dos EUA. Numa apresentação Power Point destinada à tropa ele mostrou que o bigode é um importante apetrecho para o americanos poderem vencer a guerra naquele país. "Joe [soldado americano] deixou crescer um bigode porque percebe que os iraquianos gostam de pessoas com bigodes e têm dificuldades em confiar em pessoas que não os usam", afirmou o cap. Patriquin.
A brilhante análise deste capitão dos Marines pode ser vista em How to Win the War in Al Anbar .
LÍBANO E PALESTINA: COMPARAÇÃO DA POLÍTICA DOS EUA
  • Os EUA opõem-se a manifestações desarmadas no Líbano, mas na Palestina apoiam as manifestações armadas das gangs de Dahlan;
  • Os EUA não querem negociar com o Presidente do Líbano, mas na Palestina querem negociar apenas com o Presidente;
  • Os EUA dizem que o governo Saniura foi eleito democraticamente e deveria ser apoiado, mas opõem-se ao governo democraticamente eleito na Palestina e pedem a sua derrubada;
  • Os EUA clamam pelo desarmamento das milícias no Líbano, mas armam e financiam milícias na Palestina;
  • Os EUA opõem-se a eleições antecipadas no Líbano, mas apoiam eleições antecipadas na Palestina;
  • Os EUA opõem-se a um governo de unidade nacional no Líbano e também na Palestina — a ideia da unidade nacional parece incomodar os EUA;
  • Os EUA conclamam a Síria a não intervir no Líbano, mas querem que a Síria intervenha na Palestina a fim de apoiar os fantoches americano-israelenses;
  • Os EUA querem punir assassinos no Líbano, mas apoiam os assassínios israelenses e dos Dahlan na Palestina — e ali os assassinos recebem apoio financeiro e militar americano.
    VENEZUELA NA VANGUARDA DO CRESCIMENTO
    Em 2006 — pelo segundo ano consecutivo — a República Bolivariana da Venezuela terá das mais altas taxas de crescimento do o continente. É o que prevê o Balanço preliminar elaborado pela Comissão Económica das Nações Unidas para a América Latina e Caribe (CEPAL). A estimativa para o crescimento do PIB venezuelano em 2006 é de 10 por cento (em 2005 este fora de 9 por cento). No entanto, segundo a CEPAL o crescimento do PIB cubano (não está no gráfico) foi ainda mais elevado: previsão de 12,5 por cento em 2006 e 11,8 por cento em 2005.

    Taxas de crescimento do PIB na
						América Latina.
    10 DE DEZEMBRO: JORNADA DE LUTA NO LÍBANO
    Beirute, 10 de Dezembro.
    Domingo, 10 de Dezembro, foi uma jornada memorável para o povo libanês. Mais de um milhão e meio de patriotas reuniram-se no centro de Beirute a fim de exigir o afastamento do governo de Saniura. Dela participaram todas as forças políticas libanesas, excepto os colaboracionistas dos Estados Unidos & Israel. Entretanto, continua, pela segunda semana, o sit-in diante do palácio do governo.
    OS MUITO RICOS
    Existem 499 possuidores de riqueza no mundo com fortunas de valor igual ou superior a mil milhões de dólares, segundo o estudo "A distribuição mundial da riqueza familiar" elaborado por investigadores da Universidade das Nações Unidas. O top da riqueza mundial estava assim decomposto no ano 2000:
    Riqueza
    (US$ 10 6 )
    Número
    1 13 568 229
    10 451 809
    100 15 010
    1000 499
    O estudo revela que os 2% dos adultos mais ricos do mundo possuem mais da metade de toda a riqueza mundial. Ele pode ser descarregado aqui (PDF, 1167 kB).
    FASCISMO ELECTRÓNICO NOS EUA
    A partir de 4 de Dezembro toda a pessoa que entrar ou sair dos Estados Unidos será avaliada, sem o seu conhecimento, como ameaça terrorista . Os resultados serão mantidos durante 40 anos pelo US Department of Homeland Security. Trata-se do Automated Targeting System. Os dados contidos nas fichas permanecerão secretos para os cidadãos afectados — só polícias e autoridades poderão ter acesso aos mesmos. A notícia está em AFP .
    1245 VOOS INFAMES SOBRE A EUROPA
    A CIA efectuou 1245 voos no espaço aéreo europeu, segundo a minuta de um relatório do Parlamento Europeu obtida pela ABC News.
    O relatório é o resultado de um ano de investigação quanto aos voos e prisões secretas da CIA na Europa.
    Citando registos de uma reunião informal de ministros de negócios estrangeiros europeus e da NATO em Dezembro último, que incluíam a secretária de Estado Condoleezza Rice, a minuta do relatório conclui que "estados membros tiveram conhecimento do programa de rendição extraordinária e de prisões secretas".
    Em relação a Portugal, o relatório diz o seguinte:
    "Toma nota do grupo de trabalho interministerial estabelecido em 26 de Setembro de 2006 pelo Ministério português dos Negócios Estrangeiros a fim de examinar os procedimentos seguidos e as possíveis fraquezas no sistema em relação a aviões operados pela CIA em aeroportos portugueses;
    "Exprime séria preocupação quanto às 91 escalas feitas por aviões operados pela CIA em aeroportos portugueses que em muitas ocasiões vinham ou iam para países ligados a circuitos de rendição extraordinária e de transferência de detidos; deplora as escalas em Portugal de aviões que se confirmou terem sido utilizados pela CIA, em muitas ocasiões, para a rendição de Ahmed Agiza, Mohammed El-Zari, Bisher Al-Rawi, Jamil El-Banna, Abou Elkassim Britel, Khaled El-Mazri, Binyam Mohammed, Abu Omar e Maher Arar; está particularmente preocupada com o facto de que dos voos acima, três tiveram origem ou destino em Guantanamo; encoraja fortemente as autoridades portuguesas a efectuarem novas investigações destes voos".
    A íntegra do relatório encontra-se em:
    http://abcnews.go.com/images/International/european_report2_clean.pdf
    IMPOSTURA E MISTIFICAÇÃO
    O imperialismo agita falsos problemas para esconder os verdadeiros, por ele próprio provocados. O envenenamento do planeta com urânio empobrecido caminha a passos largos. Centenas de toneladas deste veneno químico, físico e radiológico já foram ou continuam a ser espalhados no Iraque, Afeganistão, Líbano e antiga Jugoslávia. O urânio empobrecido tem uma semi-vida de muitos milhões de anos e não será possível limpá-lo da face da Terra. O dano é irreversível. O imperialismo e os seus acólitos, como Israel e a Grã-Bretanha, estão a praticar uma política de extermínio da vida no Planeta Terra. Como afirma Leuren Moret , basta uma tempestade de areia no Iraque para que num par de dias esse pó com efeitos teratogénicos esteja na estratosfera, sobre a Europa e os Estados Unidos.
    Contudo, este problema vital para os destinos de todas as espécies existentes no nosso planeta está absolutamente ausente dos medias corporativos que se proclamam "de referência". É como se não existisse. Eles mentem-nos por omissão. O silenciamento é deliberado. São cúmplices da catástrofe ecológica e biológica agora em curso, provocada pelo militarismo ensandecido dos EUA.
    Mas o que nos diz a desinformação praticada pelos tais medias auto-proclamados "de referência"? Entretem-nos com tretas, enganam-nos com mistificações em escala maciça. É o caso da impostura do aquecimento global , de que nos despejam doses cavalares. Fazem terrorismo com um problema inventado e escondem aqueles realmente existentes, e gravíssimos, como o envenenamento planetário pelo depleted uranium. Por sua vez, políticos tão ignorantes quanto os jornalistas que escrevem tais estórias, fartam-se de repetir as ladainhas do International Panel of Climate Change (IPCC).
    Ainda agora, o sr. Al Gore produziu um filme a propagandear o dito "aquecimento global" (confundindo problemas climatológicos com problemas ambientais). Mas este senhor – que posa como progressista e foi candidato à presidência dos Estados Unidos – nunca abriu a boca contra as invasões do Iraque, do Afeganistão, do Líbano, da ex-Jugoslávia, com todo o seu cortejo de crimes de lesa humanidade.
    A barragem avassaladora da desinformação provoca um défice de consciência quanto aos problemas reais que estão em causa. Não é nada fácil combate-lo.
    DISCURSO DE CHAVEZ NA ONU
    Para ouvir o discurso do Presidente Hugo Chávez na 61ª sessão da Assembleia Geral da ONU, em 20 de Setembro de 2006, clique chavez_onu_2006.mp3 com o botão direito do rato para descarregar (3677 kB).
    Para assistir, com imagem, clique em youtube.com .
    NÃO AO SILENCIAMENTO DO MASSACRE
    .
    Os crimes da entidade sionista contra o povo palestino continuam. E os media que se dizem "de referência" continuam a silenciá-los. Ou, pior ainda, a apresentar como uma guerra legítima aquilo que é um massacre unilateral contra um povo desarmado. O Centro Palestino pelos Direitos Humanos relata hora a hora a ofensiva assassina da tropa israelense, efectuada com o apoio do governo bushista. Ver em
    http://www.pchrgaza.org/

    AS DORES QUE NÃO PARAM O MUNDO
    " (...) O que eu invejo, doutor, é quando o jogador cai no chão e se enrola e rebola a exibir bem alto as suas queixas. A dor dele faz parar o mundo. Um mundo cheio de dores verdadeiras pára perante a dor falsa de um futebolista. As minhas mágoas que são tantas e tão verdadeiras e nenhum árbitro manda parar a vida para me atender, reboladinho que estou por dentro, rasteirado que fui pelos outros. Se a vida fosse um relvado, quantos penalties eu já tinha marcado contra o destino? (...)
    Mia Couto, in O fio das missangas , Editorial Caminho, Lisboa, 2004, 148 pgs., ISBN: 972-21-1611-8
    O COBIÇADO PETRÓLEO DE TIMOR
    O petróleo do Mar de Timor desperta a cobiça australiana. O primeiro-ministro Howard actua como se lhe pertencesse e como se Timor fosse uma província sua e não um país independente. Alkatiri, primeiro-ministro de Timor, é um patriota. Ele quer por este petróleo em concurso internacional, quer que empresas de outros países – como a China e o Japão – possam também competir, possivelmente com melhores condições. Mas o seu homólogo australiano não quer concorrência. Daí o golpe de estado preparado há muito e agora consumado com o afastamento de Alkatiri. A atitude do presidente Xanana Gusmão foi no mínimo ambígua.
    Ver Timor Leste: o golpe que mundo não percebeu , de John Pilger e Porque a Austrália quer uma mudança de regime em Timor Oriental , de Nick Beams.
    IRÃO ADVERTE EUA:
    INTERRUPÇÃO DO ABASTECIMENTO DE PETRÓLEO

    "Se fizerem o movimento errado em relação ao Irão, os fluxos de energia nesta região ficarão certamente em perigo", advertiu domingo dia 4, em discurso televisionado, o ayatollah Ali Khamenei, líder supremo do Irão.
    Os responsáveis iranianos anteriormente afastavam a ideia de utilizar o petróleo como arma no impasse nuclear imposto pelo Ocidente. Mas este discurso, agora, sugere que o quarto maior exportador de petróleo do mundo poderá interromper o abastecimento se for pressionado.
    "Vocês [os americanos] não são capazes de garantir os fluxos de energia nesta região", afirmou o supremo líder iraniano.
    Khamenei, no seu discurso, não se referiu explicitamente ao enriquecimento do urânio mas disse: "Estamos comprometidos com os nossos interesses nacionais e quem quer que os ameace experimentará a cólera afiada desta nação". Ele louvou também os esforços dos cientistas nucleares do país no desenvolvimento autónomo da tecnologia nuclear.
    Ver também: O Irão tem direito à auto-defesa .
    OS ESQUADRÕES DA MORTE NO IRAQUE
    Quem está por trás dos esquadrões da morte no Iraque? Este flash movie mostra quem são os seus autores intelectuais e como a sua experiência ganha na América Central foi transportada para aquele martirizado país:
    http://www.cryingwolf.deconstructingiraq.org.uk/index.html
    BOLSA DE PETRÓLEO IRANIANA
    Teerão, 27/Abril — O ministro do Petróleo iraniano, Kazem Vaziri Hamaneh, afirmou que o lançamento da Bolsa de Petróleo (Oil Stock Exchange) está na sua etapa final e arrancará na próxima semana.
    A declaração foi produzida no Qatar, onde compareceu a fim de participar na 10ª Assembleia Geral da Agência Internacional de Energia e para consultas com estados membros da OPEP.
    Hamaneh rejeitou afirmações que lhe foram atribuídas no sentido de que a nova bolsa derrubaria o dólar americano e a economia dos EUA. A notícia está em
    http://www.iribnews.ir/Full_en.asp?news_id=212024
    BOMBAS NUCLEARES
    Clique aqui para assistir à simulação das consequências de um ataque ao Irão com bombas nucleares anti-bunker (Nuclear Bunker Buster Bomb), feita pela Union of Concerned Scientists.

    O MUNDO "NÃO PODE ATENDER À PROCURA DE PETRÓLEO"
    Christophe de Margerie, um dos principais responsáveis da Total – a quinta maior empresa de petróleo do mundo –, reconheceu publicamente que não é possível produzir petróleo suficiente para atender às projecções de procura da próxima década. As suas declarações foram publicadas na edição de 8 de Abril do jornal londrino The Times .
    Aquele alto responsável francês afirmou que "números como 120 milhões de barris por dia jamais serão alcançados" e criticou a Agência Internacional de Energia da OCDE por prever uma procura de 121 milhões b/d em 2030. Além disso, considerou que o mundo enfrenta não só um problema de reservas como também de capacidade de extracção.
    Estas declarações do administrador da Total somam-se a declarações anteriores de responsáveis da Chevron e da Repsol reconhecendo explicitamente a existência do pico petrolífero de produção. Há poucos dias, também o US Army Corps of Engineering reconheceu a existência do pico petrolífero. Só a União Europeia (e o governo português) é que ainda não acordaram.
    JF

    OS MEDIA DELES NÃO MOSTRAM ESTAS IMAGENS
    Já há cerca de 17 mil mutilados estadunidenses da guerra do Iraque. No entanto, os media corporativos não os mostram. Nos EUA, ou em Portugal, é como se não existissem. Os media pasteurizados da classe dominante esmeram-se na arte da desinformação e do encobrimento da realidade.
    As imagens destes pobres mutilados, recrutados entre as classes sociais baixas dos EUA, são chocantes. Elas mostram o custo humano da guerra bárbara que o imperialismo desencadeou no Iraque. Mas, ao serem vistas, não se deverá esquecer que as principais vítimas destes três anos de guerra estão entre o heróico povo iraquiano e não na tropa agressora. As imagens estão em:
    http://www.voltairenet.org/article136827.html
    (impróprio para pessoas sensíveis).

    SALVAR OS PROFESSORES IRAQUIANOS
    Um aspecto pouco conhecido da tragédia que engolfa o Iraque é a liquidação sistemática dos seus académicos. Mais de 250 professores foram assassinados e centenas de outros desapareceram. As camadas médias e intelectualmente mais preparadas do país, que se recusaram a ser cooptadas pelo invasor estadunidense e seus acólitos locais, estão a ser dizimadas.
    A petição abaixo foi lançada pelo Tribunal de Bruxelas, com o apoio de numerosas organizações e personalidades de muitos países. Para assiná-la vá a
    http://www.petitiononline.com/Iraqacad/petition.html
    O CUSTO DA GUERRA DO IRAQUE
    Os custos financeiros reais da guerra do Iraque para o governo dos EUA podem elevar-se até a US$2 x 10 12 (trillions), afirma Joseph E. Stiglitz, em estudo agora publicado. Este valor é superior em mais de 10 vezes àquele que fora considerado no início da guerra.
    O estudo do Prof. Stiglitz, prémio Nobel de Economia, pode ser visto em:
    http://www2.gsb.columbia.edu/faculty/jstiglitz/Cost_of_War_in_Iraq.pdf
    GREENSPAN RECONHECE O PICO PETROLÍFERO
    Alan Greenspan, então presidente do banco central dos EUA, reconheceu publicamente a realidade do pico de produção petrolífera numa conferência dada em Tóquio a 17 de Outubro. Ele também considerou que doravante já não existe folga entre a oferta e a procura no mercado do petróleo, o que se reflecte no preço do barril.
    "(...) a produção a partir das reservas de petróleo convencional (...) está destinada a atingir o pico", afirmou Greenspan. O presidente do Federal Reserve, que se vai reformar em Janeiro próximo, manifestou esperança no desenvolvimento de novas fontes de energia, "especialmente as fontes de petróleo não convencional". Assim, concluiu, "nós, e o resto do mundo, teremos sem dúvida de viver com as incertezas da geopolítica e de outras dos mercados petrolíferos.
    O discurso de Greenspan está em:
    http://www.energybulletin.net/9871.html
    REPSOL TAMBÉM RECONHECE O PICO
    A Repsol YPF, a principal companhia petrolífera espanhola, reconheceu formalmente a realidade do pico petrolífero. O reconhecimento foi feito por um dos seus directores durante a última conferência da European Association of Geoscientists and Engineers, o qual apresentou ali o seguinte gráfico do declínio:

    A notícia está em http://www.crisisenergetica.org/

    CHEVRON RECONHECE O PICO
    A Chevron — uma das maiores companhias petrolíferas do mundo — já reconhece explícita e publicamente o pico petrolífero. A companhia está a publicar anúncios nos media que dizem coisas como esta:
    "Levou 125 anos para usarmos o primeiro trilião de barris de petróleo. Usaremos o trilião seguinte em 30 anos. A energia será uma das questões definidas deste século. Uma coisa é clara: a era do petróleo fácil está acabada" (sic).
    A Chevron, além disso, solicita a ajuda do público a fim de racionalizar o uso do petróleo e abriu o sítio web http://www.willyoujoinus.com/ (será que você se juntará a nós?) destinado a promover o diálogo acerca dessas questões.
    Devagar e lentamente o mundo começa a despertar para a realidade da Curva de Hubbert, do pico petrolífero e do esgotamento inexorável que se seguirá.
    Só em Portugal é que o governo ainda não acordou: insiste em iniciar agora a construção de um novo aeroporto de raíz a ser inaugurado em 2015 ! — ano em que o tráfego aéreo mundial já estará claramente em declínio. Ver o artigo Esgotamento do petróleo, tráfego aéreo e construção de novos aeroportos , de John Busby.
    IMPEDIR O NOVO E RUINOSO
    AEROPORTO DE LISBOA

    O governo insiste na construção de um novo aeroporto para Lisboa. Ele seria inaugurado por volta de 2015, ou seja, muito depois do pico petrolífero. Assim, investir na construção de um novo aeroporto — seja qual for a sua localização (Ota ou alhures) — constitui um erro gigantesco e ruinoso para a economia nacional. Portugal não precisa de qualquer novo aeroporto (nem provavelmente qualquer outro país do mundo).
    Após o pico de Hubbert , e a consequente alta do preço do petróleo, o volume de tráfego aéreo em todo o mundo irá estagnar e até mesmo regredir. Não se justifica, portanto, estar a gastar quantias enormes na construção de um aeroporto a partir do zero. Trata-se de um desperdício de recursos tão colossal que legará uma pesada dívida às futuras gerações de portugueses.
    Este governo, se tivesse lucidez, deveria de imediato aplicar os recursos que dispõe numa política geral de substituição do petróleo por gás natural e outros meios energéticos em todos os sectores de actividade — a começar pelos transportes.
    A factura petrolífera do país em 2005 (quando o preço médio do barril de Brent ainda era de US$ 55,07) foi de 6.690 milhões de dólares, ou seja, um aumento de 42,7% em relação a 2004. E em 2006 o preço médio do Brent continua a aumentar (ver preços de referência nesta coluna, mais abaixo).
    Para um governo que se queixa do défice orçamental — e que faz os portugueses pagarem por isso — tal iniciativa é aberrante. Ela revela, além disso, uma ignorância espantosa acerca da realidade energética mundial.
    É urgente criar um movimento de opinião pública que impeça a consumação deste novo crime de lesa economia nacional. Portugal está farto de maus investimentos que o arruinam, provocam défices e prejudicam a sua população. Os interesses nacionais estão acima dos interesses de empreiteiros de obras públicas.
    À ESPERA DE MILAGRES
    Para o governo Sócrates, a solução dos problemas económicos portugueses depende da concretização de milagres sucessivos ao longo de vários anos. O seu Programa de Estabilidade e de Crescimento: 2005-2009 , que joga no lixo o Programa Eleitoral e o Programa de Governo, apresenta entre as suas "hipóteses subjacentes" (pg.72, sic) a seguinte evolução dos preços do barril de petróleo (Brent):
    2005: US$50,1
    2006: US$50,3
    2007: US$49,0
    2008: US$47,0
    2009: US$46,0
    Verifica-se assim que, para o governo português, os preços do barril não só não irão aumentar como ainda — oh milagre! — irão reduzir-se.
    É uma pena que nenhum dos ministros do governo tenha tido tempo para assistir à importante conferência internacional realizada em Lisboa pela ASPO , em 19-20/Maio/2005. Mas ainda podem sanar as suas lacunas quanto ao conhecimento do mundo real: as comunicações ali apresentadas estão em
    http://www.cge.uevora.pt/aspo2005/abstracts.php .
    Ver abaixo, nesta coluna, a evolução dos preços de referência em 2005.
    PETIÇÃO INTERNACIONAL PARA PROIBIR
    AS ARMAS COM URÂNIO EMPOBRECIDO


    Clique a imagem para assinar.
    COMBATENTES BOLIVARIANOS
    Clique para ampliar.
    Clique a imagem para ampliá-la.

    A DEPAUPERAÇÃO DA AMÉRICA LATINA
    A transferência líquida de recursos da América Latina para o exterior subiu para 77,82 mil milhões de dólares em 2004, informa a Comissão Económica das Nações Unidas para a América Latina. Em 2003 este montante fora de US$34,38 mil milhões; em 2002 de US$40,98 mil milhões; e em 2001 de US$2,89 mil milhões.
    Clique aqui para ver os dados desagregados por país.
    O PREÇO DO PETRÓLEO
    A tendência estrutural para a alta do preço do petróleo é inelutável. As causas básicas para isto estão na Curva de Hubbert , no pico petrolífero, na diminuição das reservas mundiais, no facto de os maiores campos petrolíferos do mundo estarem próximos do pico, no não planeamento do consumo deste recurso finito, na anarquia do mercado capitalista, no desperdício absurdo dos países desenvolvidos (a começar pelos EUA), no gigantesco fracasso militar dos EUA no Iraque. No entanto, nada disto transparece nos media ditos 'de referência' que continuam a desinformar os seus leitores com dados conjunturais e desenquadrados do contexto geral.
    Os piores cegos são aqueles que não só não querem ver como também desinformam os outros acerca da realidade. O não reconhecimento da realidade impede a adopção das medidas que se impõem.
    Barril de petróleo, preços de referência


    Texto do protocolo
    ENCONTRO INTERNACIONAL
    'CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE'

    Leia a declaração aprovada em 25/Set/04 no plenário do Encontro Internacional "Civilização ou Barbárie", em Serpa:
    DECLARAÇÃO DE SERPA , français , español , English

    As comunicações (nas línguas originais) disponíveis para descarregamento encontram-se em: COMUNICAÇÕES

    Encontro Internacional "Civilização ou Barbárie"
    "Civilization or Barbarism" — International Meeting
    O programa de trabalhos desenvolvido encontra-se em: Programa



    PREVISÃO DE US$125 POR BARRIL
    A produção mundial de petróleo atingirá o seu pico nos próximos dois anos e a seguir começará a definhar, remetendo os preços para cerca de US$125 por barril. A previsão é do dr. Sansan Ali Bakhtiari, perito iraniano em petróleo, que a convite do governo australiano fez uma palestra acerca das reservas mundiais de petróleo.
    O dr. Bakhtiari considera que a falta de segurança económica afectará as taxas de fertilidade de países pouco povoados como a Austrália. "Penso que a grande mudança terá, muito em breve, impacto sobre a população", afirmou. Assim, acrescentou "eu não construiria muitas escolas adicionais: haverá menos crianças". Além disso, "não construiria aeroportos hoje: haverá muito menos viagens pois elas ficarão demasiado caras".
    A POLÍCIA NAS BIBLIOTECAS
    O bibliotecário adverte...
    "ADVERTÊNCIA
    "Embora a Biblioteca de Santa Cruz faça todos os esforços para proteger a sua privacidade, sob a Lei Pública Federal 107-56, USA PATRIOT ACT, os registos dos livros e de outros materiais emprestados por esta biblioteca podem ser obtidos por agentes federais.
    "Aquela lei federal proíbe os funcionários da biblioteca de o informarem se agentes federais obtiveram registos sobre a sua pessoa. Questões acerca desta política deveriam ser dirigidas ao Procurador Geral John Ashcroft, Departamento da Justiça, Washington, D.C. 20530".

    NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO
    As últimas notícias do Iraque estão no
    Iraqi Resistance Report e em
    Link para a Uruknet.
    Clique a imagem abaixo para assinar a mailing list da Uruknet:
    Email para o webmaster da Uruknet.

    CRIMES NEFANDOS DE LESA-HUMANIDADE
    As imagens apresentadas nesta video-animação são chocantes. Elas mostram os crimes de guerra cometidos no Iraque, no Kosovo e no Afeganistão por meio de munições fabricadas com urânio empobrecido (depleted uranium). O encobrimento destes factos tem sido uma política sistemática por parte dos medias do mundo ocidental, portugueses inclusive. Por sua vez, a chamada 'comunidade internacional' finge ignorar os crimes do governo dos EUA tal como no passado fingiu ignorar os crimes da Alemanha hitleriana.
    http://www.bushflash.com/pl_lo.html


    A CONTAGEM
    Clique aqui para ver o calendário oficial das mortes de militares americanos no Iraque .
    Quanto aos mortos iraquianos, os invasores não se dão ao trabalho de contar. Os criminosos não se importam com as suas vítimas.
    http://cryptome.org/mil-dead-iqw.htm


    Saque a descoberto sobre o resto do mundo.

    EUA: UMA ECONOMIA COM PÉS DE BARRO
    Para saber o montante da (colossal) dívida pública americana neste exacto instante, clique aqui .




    "...sob certas condições, os capitalistas privados inevitavelmente controlam, directa ou indirectamente, as principais fontes de informação (imprensa, rádio, educação). É então extremamente difícil, e na maior parte dos casos na verdade quase impossível, para o cidadão individual chegar a conclusões objectivas".

    Albert Einstein, no seu ensaio de 1949   Porquê o socialismo .

    "As acções alcançaram o que parece ser um patamar permanentemente alto". Irving Fisher, Professor of Economics, Yale University, 1929.

    São cada vez maiores os activos que se esfumam...

    Liberdade para os cinco de Miami, nas garras do imperialismo

    Henry Kissinger: "O desafio básico é que a chamada globalização é realmente um outro nome para o papel dominante dos Estados Unidos". Palestra no Trinity College, Dublim, 12/Out/99.

    solidariedade com o povo palestino

    Goya, O massacre de 3 de Maio de 1808

    O mestre de Bush:
    "Com voz ou sem ela, o povo pode sempre ser levado a submeter-se à vontade dos dirigentes. É fácil. Tudo o que se tem de fazer é dizer-lhe que está a ser atacado, e denunciar os pacifistas por falta de patriotismo e por exporem o país ao perigo".
    Reichsmarschal Hermann Goering, comandante da Força Aérea Nazi (Luftwaffe), nos Julgamentos de Nuremberg.

    Goya, O sono da razão

    Em 1996, depois de cinco anos de sanções e de persistentes bombardeamentos contra o Iraque, o repórter da CBS Lesley Stahl fez a seguinte pergunta à embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Madeline Albright:
    — Ouvimos dizer que meio milhão de crianças morreu (em consequência da política americana contra o Iraque). Valeu a pena pagar esse preço?
    Resposta de Madeline Albright:
    — Nós pensamos que valeu a pena.


    Ver um crime com calma é cometê-lo.
    José Martí


    Porque resistir.info
    (documento de posição)

    Email: resistir[arroba]resistir.info

    Tradutores

    resistir.info é feito por voluntários não remunerados. Mas as tarefas são muitas e o pessoal que nele trabalha não chega. Assim, resistir.info gostaria de ter colaboradores benévolos que pudessem efectuar traduções de boa qualidade (do inglês, francês e espanhol) para o português. Os leitores de resistir.info que se identifiquem com as suas ideias e que tenham disponibilidade para colaborar queiram por favor entrar em contacto. resistir.info agradece que leiam previamente a página de normas .



    APOIO AO RESISTIR.INFO
    Os amigos que desejarem apoiar este sítio estão convidados a preencher a ficha de inscrição na Associação Resistir.Info. Os seus estatutos constam aqui .



    Estatísticas

    Normas p/ artigos


    ASSINE A
    Monthly Review
    UMA DAS MELHORES REVISTAS DO MUNDO
    Assinaturas on line dão direito a 20% de desconto.



    Se comprar livros ou outros produtos à Amazon.fr através do motor de pesquisa abaixo resistir.info poderá receber uma pequena remuneração.
    Rechercher:
    Logo Amazon
    LIVROS A ENCOMENDAR
  • Ignacio Ramonet, Fidel Castro - Biografia a duas vozes , Campo das Letras, Porto, 2006, 632 pgs., ISBN 989-625-120-7.
  • Vicente Romano, A formação da Mentalidade submissa , Deriva Editores, Porto, 2006, 165 pgs., ISBN 972-9250-20-0
  • Noam Chomsky, Hegemony or Survival , Penguin, 2004, 320 pgs., ISBN: 0141015055
  • John Pilger, 'Freedom Next Time' , Bantam Press, Londres, 2006, 352 pgs., ISBN: 0593055527
  • Jared Diamond, Collapse: How Societies Choose to Fail or Survive , Penguin Books, Londres, 2006, 576 pgs., ISBN 0-140-27951-2
  • Marta Harnecker, Hugo Chávez: Um homem, um povo , Campo das Letras, Porto, 2006, 228 pgs., ISBN 989-625-040-5
  • The Oil Depletion Protocol , New Society Publishers, Setembro/2006, 208 pgs., ISBN 0865715637
  • Georges Labica e Gérard Bensussan, Dictionnaire critique du marxisme , Quadrige/PUF, Paris, 1999, 1240 pgs, ISBN 2130498728


    Recomende este sítio.
    Clique o botão para recomendar este sítio.


  • O declínio do dólar… e dos Estados Unidos , por Jorge Beinstein, 18/Jan

    Quem domina os Estados Unidos? , por James Petras, 17/Jan

    A estratégia da tensão: O terrorismo não reinvindicado da NATO , por Daniele Genser, 16/Jan

    Bush prepara-se para intensificar a guerra no Iraque , por Sara Flounders, 15/Jan

    Governo dos EUA rouba activos cubanos , por MRE de Cuba, 15/Jan

    Carta aberta ao Sr. Álvaro Uribe Velez, Presidente da Colômbia , por personalidades signatárias, 15/Jan

    A 3ª versão do PEC vai agravar ainda mais as desigualdades em Portugal , por Eugénio Rosa, 14/Jan

    O uso perverso da linguagem , por Vicente Romano, 12/Jan

    Bufão aos 60 anos , por CECAC, 11/Jan

    Os Estados Unidos estão insolventes , por Chris Martenson, 10/Jan

    O impacto do pico petrolífero sobre a segurança alimentar , por Caroline Lucas e outros, 09/Jan

    Legalizar o consumo da droga: única alternativa séria para eliminar o narcotráfico , por FARC-EP, 08/Jan

    Drogas ilícitas e globalização , por Maria Lúcia Karam, 08/Jan

    Os medicamentos vendidos de Fevereiro a Abril de 2007 irão custar mais € 7,7 milhões aos portugueses , por Eugénio Rosa, 07/Jan

    Vinte centimos , por Alberto Cruz, 05/Jan

    A construção do império económico: A centralidade da corrupção , por James Petras, 04/Jan

    A estratégia mediática estadunidense 1945-2005 , por René Naba, 03/Jan

    Fundos comunitários: €4.602 milhões não foram utilizados até ao fim de 2005; mais de €603 milhões não foram pagos às empresas , por Eugénio Rosa, 02/Jan

    Saudações de ano novo , por FARC-EP, 31/Dez

    Não chorem por Saddam , por Asad AbuKhalil, 30/Dez

    A tentativa pífia do imperialismo americano de imitar a História de Roma , por Jorge Almeida, 29/Dez

    Maquiavel em todo o seu esplendor , por Gonçalo Tilman Gusmão, 28/Dez

    O lado escuro da medicina nanotecnológica , por Silvia Ribeiro, 27/Dez

    A encruzilhada boliviana , por Guillermo Almeyra, 26/Dez

    Estes natais sinistros , por Gabriel García Márquez, 25/Dez

    Os espanhóis e os portugueses , por Friedrich List, 25/Dez

    O CSNU em breve lamentará a sua decisão , por Mahmoud Ahmadinejad, 24/Dez

    Bush desenvolve armas ilegais de guerra biológica para uso ofensivo , por Sherwood Ross, 22/Dez

    Biocombustíveis:   Biodevastação, fome & falsos créditos de carbono , por Mae-Wan Ho, 21/Dez

    As vacas leiteiras das dívidas pessoais: A indústria do cartão de crédito e o capitalismo predatório , por Charles Sullivan, 20/Dez

    Imperialismo nu: A busca norte-americana da hegemonia global , por John Bellamy Foster, 19/Dez

    Dois pesos e duas medidas na Lei do OE2007: Tira a trabalhadores e pensionistas, mas mantém e até cria novos benefícios fiscais para uma minoria já privilegiada , por Eugénio Rosa, 18/Dez

    Colômbia: Uma aliança para salvar o país , por Iván Marquez, 18/Dez

    A queda da União Soviética , por Fidel Castro, 15/Dez

    Venezuela: Avança a ideia do partido revolucionário único , por Prensa Latina, 14/Dez

    A formação da mentalidade submissa , por Vicente Romano, 13/Dez

    Chips espiões , por Silvia Ribeiro, 12/Dez

    Pico petrolífero: as quatro etapas da transição , por Ali Morteza Samsam Bakhtiari, 11/Dez

    Estabelecendo os limites do jornalismo de invasão , por John Pilger, 08/Dez

    México: Rumo a um estado de excepção? , por Carlos Fazio, 07/Dez

    Socialismo ou neo-desenvolvimentismo , por Claudio Katz, 06/Dez

    Estado espanhol: Manifesto pela III República , por organizações várias, 05/Dez

    Líbano: Os EUA sustentam Saniura contra a cólera popular , por Marie Nassif-Debs, 05/Dez

    O segundo governo Lula e a desertificação social-liberal no Brasil , por Ricardo Antunes, 05/Dez

    O capital monopolista-financeiro , por John Bellamy Foster, 04/Dez

    O preço da electricidade em Portugal e na UE, os lucros da EDP e a ignorância do ministro da Economia , por Eugénio Rosa, 04/Dez

    Os "entraves" para o desenvolvimento, segundo o presidente Lula , por Comissão Pastoral da Terra, 02/Dez

    Baker para Bush: O jogo acabou , por Robert Dreyfuss, 01/Dez

    Biocombustíveis e transgénicos , por Silvia Ribeiro, 01/Dez

    Guerra contra o terrorismo ou guerra contra as liberdades? , por Jean Claude Paye, 30/Nov

    Debatendo guerra e paz atrás de portas fechadas: Conferência de Segurança da NATO em Riga , por Michel Chossudovsky, 29/Nov

    Carta aberta ao povo e ao governo dos EUA (e resposta às FARC) , por James Petras, 28/Nov

    A UE quer destruir a viticultura europeia , por Raoul Marc Jennard, 27/Nov

    Contribuições (para entender o que se passa no México) , por Carlos Fazio, 27/Nov

    O desemprego corrigido continua a aumentar com o governo do PS , por Eugénio Rosa, 26/Nov

    O significado do trabalho: Uma perspectiva marxista , por Harry Magdoff, 24/Nov

    O sistema do dólar e a realidade económica dos EUA no pós guerra , por F. William Engdahl, 23/Nov

    A queda das três torres do World Trade Center , por Arno Mansouri, 22/Nov

    Um conto de quatro previsões – Hubbert, Deffeyes, Yergin & Jackson , por Jeffrey J. Brown, 21/Nov

    México: A "Outra campanha" , por Pável Blanco Cabrera, 20/Nov

    Em 2006 o abandono escolar aumentou em Portugal , por Eugénio Rosa, 20/Nov

    Morreu o inimigo de nove décimos da humanidade , por Stephen Gowans, 20/Nov

    A paranóia do dióxido de carbono , por Rui G. Moura, 20/Nov

    A história secreta da moeda norte-americana: o duplo padrão quanto às regras internacionais , por Ha-Joon Chang, 19/Nov

    O caminho para além do petróleo: doze teses , por Peter Goodchild, 19/Nov

    Euro, cinco anos depois: "Confirmam-se as consequências da perda de soberania monetária" , por Jerónimo de Sousa, 18/Nov

    Preparar-se-ão novas violências com a "iniciativa do Fitr"? , por Marie Nassif-Debs, 17/Nov

    Patriot Act: Universidades do Canadá procuram esconder o seu trabalho da espionagem americana , por Caroline Alphonso, 16/Nov

    Porque Bush quer confrontar a Coreia do Norte , por Gregory Elich, 15/Nov

    Ofensiva do Pentágono sobre a Internet , por Rosa Miriam Elizalde, 14/Nov

    "A necessidade da superação revolucionária do capitalismo não desapareceu" , por Jerónimo de Sousa, 13/Nov

    Saddam: Vamos agora acusar os cúmplices , por John Pilger, 13/Nov

    Um orçamento que não garante o crescimento económico e sem preocupações sociais , por Eugénio Rosa, 13/Nov

    Mais de 1000 soldados dos EUA assinam petição , por John Catalinotto, 12/Nov

    Oaxaca contra-insurgente , por Carlos Fazio, 11/Nov

    Carta aberta ao povo dos Estados Unidos , por FARC-EP, 10/Nov

    O dinheiro como um relacionamento social no capitalismo , por Michael Heinrich, 09/Nov

    O extermínio das empresas brasileiras , por Adriano Benayon, 08/Nov

    A doutrina Blair:   sangue e dinheiro , por John Pilger, 07/Nov

    A explosão da dívida e a especulação , por Fred Magdoff, 06/Nov

    Privatização e crise energética , por La Jornada, 05/Nov

    Sobre as brutalidades em Oaxaca , por Noam Chomsky, John Berger, Arundhati Roy, Antonio Negri, Naomi Klein, Howard Zinn, Eduardo Galeano, Alice Walker, Michael Moore, Tariq Ali, Mike Davis, John Pilger, Michael Hardt, Alessandra Moctezuma, Anthony Arnove, Bernadine Dohrn, Camilo Mejía, Roxanne Dunbar Ortiz, Daniel Berger, Danny Glover, David Graeber, Eve Ensler, Francis Fox Piven, Gloria Steinem, Gustavo Esteva, Jeremy Scahill, Mira Nair, Oscar Olivera, Roisin Davis, Starhawk e Wallace Shawn, 03/Nov

    A febre de Uribe , por Iván Márquez, 03/Nov

    A NOVA LEI DE BASES DA SEGURANÇA SOCIAL: o governo aceitou as exigências do PSD que Sócrates e Vieira da Silva tanto criticaram , por Eugénio Rosa, 02/Nov

    Nov/2006: Princípio da fase de impacto da crise sistémica global , por LEAP, 01/Nov

    México: As mãos sangrentas de Fox , por La Jornada, 31/Out

    O OE2007: Um orçamento de confronto com os trabalhadores e que vai determinar a degradação da Administração Pública e dos serviços essenciais que esta presta à população , por Eugénio Rosa, 30/Out

    Expor o coração apodrecido do império , por John Pilger, 30/Out

    Taser, a arma "não letal" que mata pessoas , por RAIDH, 27/Out

    O Pentágono precipita os europeus no caos afegão , por Thierry Meyssan, 26/Out

    Por uma doutrina militar e de defesa nacional bolivariana , por Jaime Cienfuegos, 25/Out

    Eleições no Brasil. Por que Lula? , por Marco Antônio Villela dos Santos, 25/Out

    Contra uma Internet imperial , por Bill Moyers e Scott Fogdall, 24/Out

    Ferimentos misteriosos indicam a utilização de uma nova arma por Israel , por Rory McCarthy, 23/Out

    Venezuela e China – Rumo a um mundo multipolar , por Michael Locker e Dave Hancock, 23/Out

    Coreia rejeita "resolução" do Conselho de Segurança da ONU , por RDPC, 22/Out

    Brasil: Que voto? , por Correio da Cidadania, 21/Out

    Na máquina do tempo , por Octavio Rodríguez Araujo, 21/Out

    O colapso da aventura no Iraque e o balanço dos crimes contra a humanidade , por Durval de Noronha Goyos, 20/Out

    "Agora voto em Lula" , por Francisco de Oliveira, 20/Out

    A Inquisição de Évora , por António Borges Coelho, 19/Out

    Guerra biológica? — Vacina contra o antrax para os soldados no Iraque, Afeganistão e Coreia do Sul , por Medical News Today, 19/Out

    Demasiado ocupados a manipularem a sua dignidade , por John Pilger, 18/Out

    O massacre dos iraquianos , por Eduardo Maia Costa, 18/Out

    A libertação total da Palestina e o retorno de todos os refugiados são um direito inalienável e imprescritível , por Georges Adda, 17/Out

    A Coreia do Norte e o duplo critério , por La Jornada, 16/Out

    A política salarial do governo PS para a Administração Pública só poderá determinar a sua degradação , por Eugénio Rosa, 16/Out

    Preço do petróleo manipulado a fim de reeleger Bush , por Dan Smith, 15/Out

    O "choque de civilizações" , por Thierry Meyssan, 13/Out

    Brasil: Fora Alckmin! , por PCB, 12/Out

    Eleições nos EUA: Justiça e perversão e a perversão da justiça , por James Petras, 12/Out

    Energia e evolução humana , por David Price, 11/Out

    Direitos humanos: Como os prisioneiros de Guantanamo foram vendidos , por Clive Stafford Smith, 11/Out

    A crise estrutural da política , por István Mészáros, 10/Out

    Toda a Colômbia clama por saídas políticas , por FARC-EP, 10/Out

    As dimensões do inferno , por Alejandro Marcó del Pont, 09/Out

    Marcha para a guerra: Concentração naval no Golfo Pérsico e no Mediterrâneo Oriental (2) , por Mahdi Darius Nazemroaya, 06/Out

    As propostas do governo para a Segurança Social agravam a situação e a discriminação das mulheres , por Eugénio Rosa, 06/Out

    Marcha para a guerra: Concentração naval no Golfo Pérsico e no Mediterrâneo Oriental (1) , por Mahdi Darius Nazemroaya, 05/Out

    Coreia reforça o seu poder dissuasor , por KCNA, 04/Out

    Império do petróleo: O saqueio capitalista e a luta pela África , por Michael Watts, 03/Out

    Colômbia: Carta aberta aos integrantes dos três ramos do poder público , por FARC-EP, 03/Out

    Líbano: Balanço da última agressão , por Georges Labica, 02/Out

    As graves desigualdades na repartição da riqueza em Portugal são um obstáculo ao desenvolvimento económico do país , por Eugénio Rosa, 02/Out

    Bush: permissão para torturar , por La Jornada, 01/Out

    Chávez, o diabo, Chomsky e os EUA , por Michael Albert, 29/Set

    Brasil: Ceder ou lutar? , por Plinio de Arruda Sampaio, 28/Set

    A nova guerra israelense contra o Líbano , por Marie Nassif-Debs, 28/Set

    EUA: Os media preparam a próxima guerra , por Norman Solomon, 27/Set

    Insultos papais , por Tariq Alí, 27/Set

    Quem beneficia com o tráfico do ópio do Afeganistão? , por Michel Chossudovsky, 27/Set

    Fidel Castro conta os momentos decisivos do golpe de estado contra Chávez , por Ignacio Ramonet, 26/Set

    A luta de classes à escala mundial , por Vicente Navarro, 25/Set

    Da barbárie colonial à política nazista de extermínio , por Rosa Amelia Plummelle-Uribe, 22/Set

    Discurso na Assembleia Geral da ONU: "Eles, governo dos EUA, são os extremistas" , por Hugo Chavez, 21/Set

    O apelo de Michael Perelman ao "fim da ciência económica" , por Eugene Coyle, 20/Set

    Editores pró-Israel até mesmo na Al-Jazeera! , por Khalid Amayreh, 18/Set

    Nenhuma notícia é fria , por John Pilger, 18/Set

    Uma nova fase na crise de Timor Leste , por Tom O'Lincoln, 17/Set

    A produtividade em Portugal está a diminuir, provocada pela quebra continuada no investimento , por Eugénio Rosa, 16/Set

    Petróleo: Subestimando a procura, superestimando a oferta , por Matthew Simmons, 15/Set

    Carta aberta das FARC aos integrantes da XIV Conferência do Movimento dos Países Não Alinhados , por Raúl Reyes, 14/Set

    Eleições presidenciais 2007 em França , por Danielle Bleitrach, 13/Set

    A atrocidade do 11/Set do império anglo-americano , por Larry Chin, 12/Set

    O lobby e a invasão israelense do Líbano: Os factos deles e os nossos , por James Petras, 12/Set

    A emboscada a Pinochet: Um acto de justiça , por Comandante Salvador, 11/Set

    Onde estava Osama no dia 11 de Setembro de 2001? , por Michel Chossudovsky, 11/Set

    Acerca dos cultivos ilícitos na Colômbia , por FARC-EP, 10/Set

    O bloqueio israelense contra o Líbano: Pretexto para legalizar a ingerência "internacional" , por Marie Nassif-Debs, 10/Set

    Haiti: Forças "da paz" brasileiras disparam sobre os pobres , por Judith Scherr, 10/Set

    Do incêndio do Reichstag ao 11 de Setembro , por Jerry Russell, 09/Set

    Pôr palavras na boca de Ahmadinejad , por Virginia Tilley, 08/Set

    Os árabes e Israel , por Maxime Rodinson, 07/Set

    Exército americano pondera redesenhar todo o mapa do Médio Oriente a fim de protelar o colapso global que se aproxima , por Nafeez Mosaddeq Ahmed, 06/Set

    Foi o 11/Set um trabalho interno? , por Kim Bredesen, 05/Set

    O retorno do povo ao poder , por John Pilger, 04/Set

    Reforma da Segurança Social: 17 perguntas e respostas , por Eugénio Rosa, 04/Set

    Será que você realmente não vê? , por Amira Hass, 03/Set

    O impacto da agressão israelense na agricultura libanesa , por Fakhr Dakroub, 02/Set

    Brasil: A reeleição e a política econômica , por Carlos Lessa, 01/Set

    Que papel para a nova FINUL? , por Marie Nassif-Debs, 31/Ago

    Bagdade e as "info guerras" (II) , por Malcom Lagauche, 31/Ago

    Bagdade e as "info guerras" (I) , por Malcom Lagauche, 30/Ago

    O pico petrolífero e a queda da União Soviética , por Douglas B. Reynolds, 29/Ago

    As meras coincidências do dr. Meraz , por Silvia Ribeiro, 28/Ago

    Rex 84: O plano para a lei marcial nos Estados Unidos , por Allen L Roland, 28/Ago

    As armas utilizadas e os alvos atingidos pelos bombardeamentos israelenses , por Leuren Moret, 25/Ago

    Rússia e aliados da Ásia Central efectuam jogos de guerra em resposta às ameaças americanas , por Michel Chossudovsky, 25/Ago

    Jogos de guerra iranianos: Exercícios, testes e ensaios ou preparação e mobilização para a guerra real? , por Mahdi Darius Nazemroaya, 24/Ago

    Boicotar Israel! , por Virginia Tilley, 23/Ago

    Colapso — Como as sociedades optam entre o fracasso e a sobrevivência , por Jared Diamond, 22/Ago

    Venezuela: O caminho para além da sobrevivência, tornar a economia social uma alternativa concreta , por Michael A. Lebowitz, 21/Ago

    Para além da comparação , por Gilad Atzmon, 21/Ago

    Será que a agressão americano-israelense contra o Líbano cessará após a aprovação da Resolução 1701 pelo Conselho de Segurança? , por PCL, 19/Ago

    A ameaça real que enfrentamos é Blair , por John Pilger, 18/Ago

    Israel não estava à espera disto , por Robert Fisk, 17/Ago

    "Mas isso é disparatado!" , por Georges Galloway, 16/Ago

    Combater Jim Crow em Israel , por Mike Whitney, 16/Ago

    Quem ganhou e quem perdeu no Líbano , por Asad AbuKhalil, 15/Ago

    Agora as queixas dos derrotados , por Debka, 15/Ago

    Al-Manar: Da censura aos bombardeamentos , por Thierry Meyssan, 15/Ago

    A globalização neoliberal , por Fidel Castro, 14/Ago

    A Resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU: Porque nenhum libanês deveria aceitá-la , por Asad AbuKhalil, 12/Ago

    O suposto complot de Londres e o terrorismo de Estado que não recebe sanções , por Lisandro Otero, 12/Ago

    O baixo nível de escolaridade e de qualificação em Portugal não melhorou em 2005 , por Eugénio Rosa, 12/Ago

    O modo de pensar da Casa Negra americana , por Khaled Haddadeh, 11/Ago

    O "Segundo 11 de Setembro" do Pentágono , por Michel Chossudovsky, 11/Ago

    Golpe de Estado e intervenção militar: O novo plano de Bush para derrubar as instituições cubanas , por Salim Lamrani, 11/Ago

    A proximidade do apocalipse , por Noam Chomsky, 10/Ago

    Sangue e esperança , por John Pilger, 09/Ago

    Forças israelenses utilizam armas mortais novas e desconhecidas – de 'energia directa', agentes químicos e/ou biológicos – num ensaio macabro da guerra futura , por Prof. Paola Manduca, 08/Ago

    A desarabização da Liga Árabe , por Nicola Nasser, 08/Ago

    A montanha que pariu um rato , por Marie N. Debs, 07/Ago

    Regras básicas para escrever acerca do Médio Oriente nos media "de referência" , por Mona Baker, 07/Ago

    Declaração de intelectuais sobre a Palestina e o Líbano , por Arundhati Roy, Tariq Ali, Noam Chomsky, Eduardo Galeano, Howard Zinn, Ken Loach, John Berger, 07/Ago

    "Que desgraça e que degradação!" , por Khaled Haddadeh, 06/Ago

    Um modelo de crescimento económico baseado na redução dos salários nominais , por Eugénio Rosa, 05/Ago

    Líbano: Avaliação dos desenvolvimentos recentes , por PCL, 04/Ago

    O banco central dos EUA: O templo e os seus segredos sujos , por Stephen Lendman, 04/Ago

    Peak Oil: A crise global que se aproxima e o declínio da aviação , por Alex Kuhlman, 03/Ago

    "Expulsar o embaixador americano no Líbano" , por Khaled Hedadeh, 02/Ago

    Cães raivosos assolam o Líbano , por James Petras, 02/Ago

    A fabricação do pânico climático , por Rui G. Moura, 02/Ago

    Intervenção do secretário-geral do PCL , por Khaled Hedadeh, 01/Ago

    Einstein, a bomba e o FBI , por Jean Pestieau, 01/Ago

    Império: guerra e propaganda , por John Pilger, 31/Jul

    Bush & Blair querem repetir o fiasco de 1982 , por Patrick Cockburn, 31/Jul

    O que faz a banca para não pagar impostos e para ocultar os lucros reais que obtém? , por Eugénio Rosa, 31/Jul

    Apelo ao enfrentamento do ocupante israelense, para defender a nossa terra e o nosso povo , por PCL, 30/Jul

    Timor Leste: nação ou protectorado australiano? , por Tim Anderson, 30/Jul

    A guerra ao Líbano e a batalha pelo petróleo , por Michel Chossudovsky, 28/Jul

    A batalha pelo sul do Líbano , por Robert Fisk, 27/Jul

    A cadeia de televisão Al Manar, a face mediática do Hezbollah , por María Laura Avignolo, 26/Jul

    A guerra que o Hezbollah está realmente a combater , por Kaveh L Afrasiabi, 26/Jul

    Carta ao primeiro-ministro do Líbano , por Mike Whitney, 26/Jul

    O congresso de Roma sobre o Líbano: Rice já prepara o "após guerra" para as transnacionais , por PCL, 25/Jul

    O México descobre a luta de classes: eleições e perspectivas económico-sociais , por José C. Valenzuela Feijóo, 24/Jul

    Israel lança gases venenosos sobre aldeias no sul do Líbano , por Wayne Madsen Report, 23/Jul

    Ajuda solicitada: Que espécie de armas causa estes danos? , por Hanady, 22/Jul

    Como os media cobrem Israel , por John Pilger, 21/Jul

    Não se está a dizer a verdade quando se afirma que as propostas do governo não reduzem significativamente o valor das pensões , por Eugénio Rosa, 21/Jul

    O povo dispensável do Líbano , por Mike Whitney, 20/Jul

    "O ataque dos Hezbollah? Foi o único acto de solidariedade com Gaza" , por Tanya Reinhart, 20/Jul

    Líbano: deter o massacre , por La Jornada, 19/Jul

    O Banco Mundial contra a biosegurança , por Silvia Ribeiro, 18/Jul

    O Novo Aeroporto de Lisboa e a escassez de petróleo , por Demétrio Carlos Alves, 17/Jul

    Bombardeamentos israelenses podem levar à escalada da guerra no Médio Oriente , por Michel Chossudovsky, 16/Jul

    Negócios com privados fazem disparar despesas no SNS , por Eugénio Rosa, 16/Jul

    Problemas da construção do socialismo , por Alberto Anaya Gutiérrez, Alfonso Ríos Vázquez, Arturo López Cándido, José Roa Rosas, 14/Jul

    Condições das classes trabalhadoras na China , por Robert Weil, 13/Jul

    O desperdício capitalista nos transportes , por Michael Dawson, 12/Jul

    Será que Cheney está a apostar no colapso económico? , por Mike Whitney, 11/Jul

    O projecto de diploma do governo sobre o subsidio de desemprego , por Eugénio Rosa, 10/Jul

    Palestina: Um silêncio repugnante , por Atilio Boron, 10/Jul

    Acusam Chávez, mas o populista é Lula , por Éric Toussaint, 09/Jul

    Aspectos de classe nos Estados Unidos , por John Bellamy Foster, 07/Jul

    "Ajustamento súbito desregulado", novo eufemismo para colapso. Quão próximos estaremos dele? , por Margaret Legum, 06/Jul

    O amadurecimento de Matt Simmons, um banqueiro consciente do pico petrolífero , por Jan Lundberg, 05/Jul

    Uma reflexão teórica sobre as relações entre natureza e capitalismo , por João Valente Aguiar, 04/Jul

    De borbulha em borbulha: A irresistível ascensão do ouro , por Jorge Beinstein, 03/Jul



    Artigos anteriores publicados por resistir.info:

  • Em 2002 e 2003
  • Em 2004
  • Em 2005
  • Em 2006 (até 30/Junho)


    L i n k s
    Outros sítios web a visitar

    Acerca do 11 de Setembro (compilação de links feita pelo Prof. Michel Chossudovsky)