As assimetrias regionais em Portugal e a situação no Montepio

por Eugénio Rosa [*]

RESUMO DESTE ESTUDO

Neste estudo, utilizando dados sobre o “Poder de compra concelhio” do INE, mostramos que: (1) Continuam a existir grandes desigualdades no poder de compra dos portugueses a viver nos diferentes concelhos do país (em 2013, e são os últimos dados disponíveis, segundo o INE, o poder de compra médio de um habitante do concelho de Lisboa, o concelho mais desenvolvido, era ainda 3,7 vezes superior ao de um habitante do concelho de Cinfães, que era o concelho menos desenvolvido do país); (2) A soma do poder de compra dos habitantes do concelho de Lisboa correspondia, em 2013, a 10,2% do poder de compra da população de todo o país (o concelho do Porto representava apenas 3,62%); (3) Entre 2007 e 2013, a desigualdade de poder de compra entre os portugueses a viver nos diferentes concelhos diminuiu não porque a riqueza criada no país tenha aumentado e beneficiado mais os habitantes dos concelhos menos desenvolvidos (entre 2007 e 2013, o PIB real por habitante diminuiu 7% no nosso país), mas devido à redução muito significativa do poder de compra dos habitantes dos concelhos mais desenvolvidos, quando comparado com a média nacional, devido ao disparar do desemprego, ao congelamento e mesmo redução de salários que atingiram mais estes concelhos; (4) Apesar de constar do programa do atual governo a criação de " uma unidade de missão para a valorização do interior, na dependência direta do Primeiro-Ministro", esta " unidade" só foi criada em Nov/2016 (Resolução do Conselho de Ministros 72/2016) com muitas boas intenções mas sem meios como se conclui da análise da Resolução e da execução do "Portugal 2020".




A SITUAÇÃO NO MONTEPIO:
Assembleia geral de associados marcada para o dia 22 de Dezembro 2016, às 21 horas no edifício do Montepio na rua do Ouro, Lisboa.
Faço um apelo para que os associados que queiram defender as suas poupanças e o mutualismo não faltem.

Tomás Correia e Vítor Melícias marcaram a assembleia geral de associados do Montepio em plena quadra do Natal. E não a divulgam nos órgãos da Associação Mutualista (Revista Montepio e Newsletter). Limitam-se a anunciar em dois jornais, que a esmagadora maioria dos associados não lê, e fazem isso porque a lei obriga. O dia escolhido para a realização da assembleia foi o dia 22 de Dezembro, um dia muito próximo do Natal. O objetivo é claro: que participem um número reduzido de associados, e que assembleia seja dominada por quem os apoiam. E isto para que a sua gestão desastrosa que levou o Montepio à situação em que se encontra não seja debatida pelos associados e pedidas responsabilidades.

Questões fundamentais, como a transformação da Caixa Económica Montepio em Sociedade Anónima, o que abre futuramente a porta ao domínio do capital privado, e a não apresentação das contas consolidadas de 2015, que continuam por divulgar, não constam da ordem de trabalhos. E isto apesar de violar os Estatutos (artº 36º da Caixa Económica e artº 25, alínea g da Associação Mutualista) que obrigam que qualquer alteração na Caixa a uma autorização da assembleia de associados, e os artº 6º do Decreto-Lei 158/2009 e artº 7º do Decreto-lei 36-A/2011, que impõem a divulgação das contas consolidadas.

O Ministério do Trabalho, da Solidariedade e Segurança Social apesar de avisado, nada faz o que mostra que o atual ministro, Vieira da Silva, está também conivente com estas práticas ilegais e com a ocultação das contas da Associação Mutualista aos associados.

Recentemente, Tomás Correia enviou uma newsletter aos associados, mas não informou os associados da realização da assembleia, apenas referiu que a Caixa Económica Montepio iria ser transformada numa Sociedade Anónima por imposição do Banco de Portugal. No entanto, "esqueceu-se" de informar os associados por que razão o Banco de Portugal impõe essa transformação. É a consequência da gestão desastrosa da administração de Tomás Correia na Caixa Económica que causou, desde 2010, mais de 1.600 milhões € de imparidades (credito concedido que depois não se conseguiu receber), cerca de 698 milhões de prejuízos, e que obrigou a Associação Mutualista já a recapitalizar a Caixa Económica, com poupança dos associados, com 1.370 milhões €. E agora já não há mais dinheiro para aplicar (recapitalizar) na Caixa Económica. Mas uma explicação detalhada consta da nossa Informação nº 4/2016 aos associados que está disponível no site www.eugeniorosa.com , na pasta "MONTEPIO" para os associados que se queiram informar.

A convocatória e os documentos para a assembleia geral de 22/12/2016 estão disponíveis em www.montepio.pt/...

NÃO FALTEM. Só com a participação dos associados é que conseguimos defender as nossas poupanças e o mutualismo. E depois não digam que não foram informados.

As diferenças de poder de compra e, consequentemente, de nível de vida entre portugueses a viver nos diferentes concelhos do país é, em muitos casos, maior que as diferenças existentes entre Portugal e os países mais desenvolvido da União Europeia. Destas últimas, fala-se e critica-se, mas das primeiras pouco se fala e muito pouco se faz para as eliminar. Os diversos governos fazem promessas que constam mesmo dos seus programas mas cujos resultados, depois, são de efeitos reduzidos ou mesmo nulos

Na pág. 155 do programa do atual governo consta a seguinte promessa: "O governo criará uma unidade de missão para a valorização do interior, na dependência direta do Primeiro-Ministro, tendo como responsabilidades criar, implementar e supervisionar um programa nacional para a coesão territorial, bem como promover o desenvolvimento do território do interior". No entanto, apesar disso, esta " unidade de missão para valorização do interior" só foi criada em Novembro de 2016 (Diário da República 1ª série, nº 226, de 22/11/2016), com um conjunto grande de boas intenções (são 164 medidas/intenção, sem contar outros desafios e objetivos), que arriscam a ter efeitos reduzidos devido à falta de afetação de meios. Para concluir isso basta ter presente a seguinte situação concreta. Se analisarmos os dados mais recentes sobre a execução do "Portugal 2020", financiado pela União Europeia com cerca de 25.000 milhões €, concluímos que, apesar de terem passado 2 anos após o seu inicio, a taxa de execução é inferior a 5%. E se desagregamos mesmo o valor aprovado (cerca de 47%) que é muito superior ao executado (5%) por regiões constatamos que as regiões menos beneficiadas continuam a ser as regiões menos desenvolvidas do país, tal como sucedia no passado. (exs.: Alto Tâmega: 0%; Douro: 1%; Trás os Montes: 1%; Beiras e Serra da Estrela: 1%; mas a AM do Porto: 18%; no sul: Alto Alentejo: 0%; Baixo Alentejo: 1%; Lezíria do Tejo: 1%: etc.). É evidente que com este tipo de distribuição regional dos fundos comunitários as assimetrias regionais e concelhias não diminuirão, até terão tendência para aumentar.

AS ASSIMETRIAS REGIONAIS E CONCELHIAS CONTINUAM ENORMES EM PORTUGAL SEGUNDO OS DADOS PUBLICADOS PELO INE

O INE publica periodicamente um estudo sobre o "Poder de compra concelhio". O último é referente a 2013, embora só tenha sido publicado em 2015. São os dados dessa publicação que vamos utilizar para mostrar as profundas desigualdades que continuam a existir entre os portugueses que vivem nas diferentes regiões e nos diferentes concelhos do país. Dessa publicação retiramos os dados que constam do quadro 1, que se referem aos 10 concelhos mais desenvolvidos e aos 10 concelhos menos desenvolvidos do país mas que são suficientes para mostrar as profundas desigualdades que continuam a existir dentro do país, embora pareça que não causem preocupações aos sucessivos governos (os media também têm dado pouca atenção a este tipo de desigualdades).

No fim deste estudo, em ANEXO, para que os portugueses a viverem nos outros concelhos do país possam comparar a situação do seu concelho com a média nacional, incluímos uma lista com todos os concelhos do país em que, para cada um, se apresenta a percentagem que o poder de compra de cada habitante representa em relação ao poder de compra médio de um habitante de Portugal (coluna "Indicador per capita" ) e também a percentagem que a soma do poder de compra dos habitantes de cada concelho representa em relação ao poder de compra total do país (coluna " Percentagem do poder de compra total do país "). E para se poder analisar a evolução que se tem verificado nesta área incluímos dados de 2007 (inicio da crise) e de 2013 (último ano disponível).

Quadro 1.

Portanto, os dados do INE do quadro 1 revelam que, em 2013, o poder de compra médio de um habitante do concelho de Lisboa correspondia a 207,9% do poder de compra "per capita" nacional (por outras palavras, era 2,07 vezes superior à media nacional) e o concelho de Lisboa concentrava 10,202% do poder de compra da população de todo país. Enquanto isto sucedia em relação ao concelho de Lisboa, o poder de compra médio de um habitante do concelho de Cinfães, que era o concelho menos desenvolvido, correspondia apenas a 56,54% do poder de compra médio "per Capita" de Portugal, e a soma do poder de compra dos habitantes de do concelho de Tabuaço correspondia somente a 0,034% do poder de compra total da população portuguesa.

Se a comparação for feita entre o concelho de Lisboa e o concelho de Cinfães conclui-se que o poder de compra médio de um habitante do concelho de Lisboa era, em 2013, 3,7 vezes superior ao poder de compra médio de um habitante do concelho de Cinfães, e que o poder compra da população do concelho de Lisboa era 300,1 vezes superior ao poder de compra de toda a população do concelho de Tabuaço. Há razão para afirmar que as desigualdades existentes entre os portugueses que vivem nos diferentes concelhos do País são ainda maiores do que as que existem entre Portugal e os países mais desenvolvidos da União Europeia. Estas últimas provocam, e bem, criticas e mesmo protestos; mas as primeiras, entre portugueses por viverem em concelhos diferentes, já não causam protestos e a mais das vezes são branqueadas pelo silêncio e a passividade, incluindo da maioria dos próprios órgãos de comunicação social.

ENTRE 2007 E 2013, AS ASSIMETRIAS ENTRE CONCELHOS DIMINUÍRAM FUNDAMENTALMENTE À CUSTA DA QUEBRA ENORME DOS MAIS DESENVOLVIDOS

Um outro aspeto que interessa analisar são as variações do poder de compra dos habitantes de cada concelho, em relação à media nacional, nos concelhos mais desenvolvidos e nos concelhos menos desenvolvidos no período 2007-2013, ou seja, depois do inicio da crise. Para isso, comparamos o poder de compra por habitante em 2007 e 2013 dos 10 concelhos desenvolvidos e dos 10 concelhos menos desenvolvidos do país, e calculamos a variação positiva ou negativa verificada. Os resultados obtidos constam do quadro 3. No entanto, para uma melhor compreensão da evolução registada nesse quadro interessa analisar antes os dados do Eurostat constantes do quadro 2.

Quadro 2.

Entre 2007 e 2013, nomeadamente depois de 2010 com a politica recessiva de austeridade violenta imposta pela "troika" e pelo governo PSD/CDS verificou-se em Portugal, segundo o Eurostat, uma quebra muito acentuada da riqueza criada por habitante, o que determinou também uma quebra no poder de compra médio por habitante a nível nacional. No entanto, esta quebra distribui-se de uma forma desigual pelos diferentes concelhos do país, tendo alguns, nomeadamente os mais desenvolvidos, sido atingidos mais fortemente pelo aumento brutal do desemprego e por cortes mais acentuados nos salários e pensões o que causou uma queda muito acentuada do poder de compra médio nesses concelhos, como revelam os dados do INE do quadro 3.

Quadro 3.

O concelho de Lisboa foi um dos mais atingidos pela crise, e embora o poder de compra médio "per Capita" no país tenha diminuído como consequência da crise, a quebra no poder médio dos habitantes deste concelho foi enorme já que, em relação à média do país, registou uma quebra de - 27,83%; outro concelho também fortemente atingido foi o de Cascais onde a quebra de poder de compra alcançou -30,15% em relação à média nacional. Nos concelhos menos desenvolvidos, como o de Cinfães e Tabuaço, embora possa ter havido uma quebra no poder de compra dos habitantes destes concelhos devido à crise, ela poderá ter sido inferior à média do país, o que pode explicar que, em relação a esta, se tenha verificado uma variação positiva como os dados do quadro 3 revelam. Por isso, é de admitir que a melhoria que revelam os dados do quadro 3 seja mais aparente do que real até porque o poder de compra médio dos trabalhadores e pensionistas diminuiu significativamente durante este período.

16/Dezembro/2016

[*] edr2@netcabo.pt
ANEXO

Poder de compra do habitante de cada concelho em relação à média do País e percentagem que o poder de compra total de cada concelho representa em relação ao poder de compra total do País

Nº Or.
REGIÕES E CONCELHOS
Indicador per Capita (% poder de compra do habitante do concelho em relação média do País)
2007
Percentagem de Poder de Compra total do País
2007
Nº Or.
REGIÕES E CONCELHOS
Indicador per Capita (% poder de compra do habitante do concelho em relação média do País)
2013
Percentagem de Poder de Compra total do País
2013
  Portugal -País 100,00 100,000   Portugal (País) 100 100
1 Concelho de Lisboa (o mais desenvolvido) 235,74 11,095 1 Concelho de Lisboa (o mais desenvolvido) 207,91 10,202
2 Oeiras 172,95 2,793 2 Oeiras 180,73 2,991
3 Porto 170,50 3,562 3 Porto 169,85 3,62
4 Cascais 155,74 2,742 4 Faro 132,31 0,778
5 Grande Lisboa 147,87 28,211 5 Coimbra 130,32 1,712
6 Alcochete 144,81 0,229 6 S. João Madeira 130,12 0,27
7 Faro 141,55 0,783 7 Sines 128,03 0,172
8 Porto Santo 139,92 0,058 8 Cascais 125,59 2,511
9 Coimbra 139,13 1,798 9 A. M. Lisboa 125,13 33,691
10 Montijo 137,64 0,534 10 Aveiro 123,5 0,915
11 Lisboa 136,85 36,198 11 Matosinhos 120,95 2,026
12 Funchal 135,44 1,266 12 Alcochete 115,29 0,204
13 Aveiro 134,02 0,926 13 Funchal 111,92 1,16
14 Sº.João Madeira 131,69 0,270 14 Maia 111,12 1,449
15 Matosinhos 127,88 2,037 15 Évora 111,02 0,586
16 Sines 127,61 0,164 16 Azambuja 110,75 0,239
17 Almada 121,41 1,900 17 Almada 107,4 1,759
18 Évora 118,94 0,617 18 Setúbal 105,89 1,205
19 Albufeira 118,22 0,425 19 A. M. Porto 105,07 17,542
20 Portimão 117,39 0,545 20 Albufeira 104,64 0,402
21 Maia 115,23 1,500 21 Beja 104,02 0,349
22 Amadora 114,73 1,874 22 Braga 104 1,814
23 Grande Porto 113,59 13,709 23 Portalegre 103,63 0,238
24 Setúbal 113,03 1,315 24 Ponta Delgada 103,61 0,683
25 Ponta Delgada 112,95 0,683 25 Amadora 103,59 1,742
26 V. Franca Xira 112,00 1,478 26 Leiria 103,18 1,247
27 Entroncamento 111,98 0,225 27 Montijo 102,83 0,532
28 Loures 111,60 2,065 28 Vila Real 102,42 0,501
29 Beja 110,80 0,361 29 Espinho 101,96 0,297
30 Espinho 110,53 0,313 30 Castro Verde 101,89 0,071
31 Loulé 110,13 0,672 31 Santarém 101,67 0,592
32 Mafra 109,89 0,711 32 Portimão 101,61 0,537
33 Pen.de Setúbal 108,33 7,987 33 Entroncamento 101,45 0,199
34 Azambuja 108,07 0,222 34 Barreiro 100,54 0,744
35 Barreiro 107,46 0,792 35 Marinha Grande 99,98 0,371
36 Portalegre 107,28 0,243 36 Vila Nova Gaia 99,31 2,884
37 Braga 105,44 1,739 37 Sintra 99,08 3,608
38 Palmela 103,96 0,605 38 Porto Santo 98,82 0,05
39 Benavente 103,94 0,271 39 Loulé 98,62 0,658
40 Algarve 103,65 4,162 40 Vila Franca Xira 98,17 1,31
41 Lagos 103,42 0,278 41 Caldas da Rainha 98,05 0,486
42 Baixo Mondego 102,28 3,201 42 Guarda 97,9 0,385
43 Marinha Grande 101,99 0,370 43 Bragança 97,09 0,323
44 Sesimbra 100,73 0,477 44 Mafra 96,9 0,746
45 Vila Nova Gaia 100,40 2,932 45 Palmela 96,85 0,592
46 Caldas da Rainha 99,92 0,495 46 Viseu 96,61 0,912
47 Leiria 99,87 1,203 47 Castelo Branco 96,45 0,503
48 Santarém 99,66 0,600 48 Algarve 96,38 4,089
49 Odivelas 98,70 1,407 49 Figueira da Foz 95,73 0,561
50 Sintra 98,21 4,046 50 Sobral de Monte Agraço 95,54 0,094
51 Vila Real 97,11 0,460 51 Região Coimbra 95,4 4,098
52 Vila do Conde 96,71 0,702 52 Torres Novas 95,38 0,33
53 Figueira da Foz 96,59 0,575 53 Vila do Conde 95,27 0,729
54 Campo Maior 96,20 0,075 54 Vila Real Stº António 95,01 0,174
55 Castelo Branco 96,12 0,491 55 Santiago do Cacém 94,94 0,271
56 Seixal 96,11 1,570 56 Vendas Novas 94,94 0,107
57 R. A. Madeira 95,46 2,218 57 Benavente 94,17 0,27
58 Bragança 94,61 0,307 58 Torres Vedras 94,12 0,715
59 Santiago Cacém 94,55 0,264 59 Viana do Castelo 93,91 0,786
60 Vila Real de Santo António 94,39 0,164 60 Sesimbra 93,6 0,452
61 Grândola 94,16 0,125 61 Região Leiria 93,2 2,602
62 Torres Vedras 93,72 0,681 62 Póvoa de Varzim 93,07 0,562
63 Santa Cruz 93,65 0,317 63 Campo Maior 92,37 0,074
64 Alenquer 92,96 0,400 64 Arruda Vinhos 92,26 0,125
65 Cartaxo 92,52 0,218 65 Região Aveiro 92,1 3,233
66 Viseu 91,86 0,853 66 Angra do Heroísmo 92,08 0,309
67 Guarda 91,70 0,382 67 Norte 92,03 32,164
68 Vendas Novas 91,39 0,105 68 Seixal 92,03 1,434
69 Torres Novas 91,38 0,319 69 Loures 92 1,843
70 Arruda Vinhos 90,97 0,103 70 Lezíria do Tejo 91,66 2,164
71 Angra Heroísmo 90,72 0,300 71 Alentejo Litoral 91,53 0,852
72 Alentejo Litoral 90,53 0,820 72 Alentejo Central 91,36 1,422
73 Lezíria do Tejo 90,52 2,125 73 Mealhada 91,32 0,177
74 Pinhal Litoral 90,32 2,273 74 Estremoz 91,23 0,12
75 Alentejo Central 89,74 1,436 75 Alenquer 91 0,376
76 Nazaré 89,00 0,122 76 Odivelas 90,63 1,307
77 Tavira 88,36 0,211 77 Abrantes 90,43 0,326
78 Viana do Castelo 88,35 0,760 78 Faial 90,29 0,13
79 Vila Viçosa 88,29 0,072 79 Horta 90,29 0,13
80 Oeste 88,10 3,003 80 Trofa 89,67 0,332
81 Póvoa de Varzim 87,78 0,549 81 Oeste 89,5 3,091
82 Estremoz 87,52 0,121 82 Cartaxo 89,48 0,21
83 Elvas 87,46 0,184 83 Alentejo 89,43 6,375
84 Peniche 87,36 0,235 84 Santa Maria 89,38 0,049
85 Alentejo 87,33 6,258 85 Vila do Porto 89,38 0,049
86 Lagoa 87,26 0,200 86 Constância 89,36 0,035
87 Olhão 87,15 0,360 87 Guimarães 89,34 1,339
88 São Miguel 87,00 1,092 88 Nazaré 89,32 0,125
89 Abrantes 86,90 0,330 89 Tavira 89,3 0,219
90 Baixo Vouga 86,81 3,267 90 Rio Maior 89,24 0,18
91 Norte 86,24 30,419 91 Centro 89,21 19,517
92 Faial 85,95 0,126 92 Lagos 89 0,262
93 Horta 85,95 0,126 93 Valongo 88,97 0,812
94 Beira Interior Sul 85,88 0,598 94 Ílhavo 88,69 0,327
95 Almeirim 85,68 0,184 95 Ovar 88,63 0,467
96 Terceira 85,42 0,449 96 Cávado 88,05 3,452
97 Santa Maria 85,08 0,045 97 Alcanena 87,99 0,113
98 Vila do Porto 85,08 0,045 98 Aljustrel 87,8 0,075
99 Ovar 85,03 0,462 99 Reguengos de Monsaraz 87,78 0,089
100 Ílhavo 84,83 0,326 100 Elvas 87,73 0,187
101 Covilhã 84,14 0,416 101 Almeirim 87,6 0,197
102 Moita 84,02 0,565 102 Vila Nova de Famalicão 87,52 1,122
103 Constância 83,84 0,030 103 Grândola 87,4 0,126
104 Gondomar 83,80 1,365 104 Tomar 87,36 0,327
105 Centro 83,76 18,823 105 Vale de Cambra 86,71 0,186
106 R. A. Açores 83,62 1,922 106 Peniche 86,7 0,226
107 Valongo 83,08 0,749 107 Médio Tejo 86,61 2,006
108 Médio Tejo 83,01 1,808 108 Lagoa 86,53 0,189
109 Rio Maior 83,01 0,171 109 Águeda 86,51 0,391
110 Ponte de Sor 82,91 0,134 110 Santa Cruz Flores 86,44 0,019
111 Alcobaça 82,78 0,434 111 Batalha 86,19 0,131
112 Alto Alentejo 82,73 0,920 112 Covilhã 86,19 0,411
113 Batalha 82,71 0,124 113 R. A. Madeira 86,01 2,156
114 Castro Verde 82,56 0,061 114 Alcobaça 85,95 0,459
115 Tomar 82,55 0,329 115 São Brás de Alportel 85,76 0,087
116 Montemor-o-Novo 82,46 0,144 116 Valença 85,67 0,113
117 Cávado 82,29 3,188 117 Beira Baixa 85,45 0,702
118 Reguengos de Monsaraz 82,26 0,089 118 Terceira 85,43 0,464
119 Vila Nova de Famalicão 81,23 1,028 119 Montemor-o-Novo 85,38 0,138
120 Alcácer do Sal 80,96 0,101 120 Pombal 85,32 0,444
121 S. Brás Alportel 80,73 0,093 121 Alto Alentejo 85,32 0,934
122 Silves 80,30 0,272 122 São Miguel 85 1,13
123 Trofa 80,03 0,304 123 Madalena 84,87 0,049
124 Salvaterra Magos 79,90 0,161 124 Vila Viçosa 84,74 0,067
125 Entre Douro e Vouga 79,81 2,162 125 Santo Tirso 84,72 0,573
126 Baixo Alentejo 79,71 0,958 126 Santa Maria da Feira 84,7 1,138
127 Santa Maria da Feira 79,35 1,094 127 R. A. Açores 84,63 2,008
128 Águeda 79,09 0,372 128 Baixo Alentejo 84,57 1,002
129 Guimarães 78,92 1,209 129 Ponte de Sor 84,54 0,131
130 Lourinhã 78,56 0,188 130 Oliveira de Azeméis 84,51 0,549
131 Esposende 78,15 0,260 131 Vila Nova de Cerveira 84,41 0,074
132 Castro Marim 78,05 0,048 132 Velas 84,27 0,043
133 Vila Nova de Cerveira 77,76 0,064 133 Golegã 83,69 0,043
134 Santo Tirso 77,69 0,515 134 Ave 83,61 3,383
135 Golegã 77,69 0,041 135 Oliveira de Frades 83,58 0,081
136 Lamego 77,64 0,191 136 Ourém 83,44 0,364
137 Caminha 77,41 0,122 137 Mirandela 83,4 0,184
138 Cova da Beira 77,41 0,666 138 Albergaria-a-Velha 83,39 0,198
139 Mealhada 77,40 0,161 139 Estarreja 83,02 0,211
140 Madalena 76,81 0,046 140 Mangualde 82,94 0,155
141 Peso da Régua 76,68 0,125 141 Gondomar 82,76 1,33
142 Aljustrel 76,66 0,069 142 Peso da Régua 82,63 0,132
143 Sobral de Monte Agraço 76,48 0,075 143 Esposende 82,54 0,271
144 Vila da Praia da Vitória 76,44 0,149 144 Castelo de Vide 82,48 0,026
145 Mangualde 76,40 0,153 145 Lousã 82,34 0,137
146 Condeixa-a-Nova 76,27 0,125 146 Cantanhede 82,32 0,286
147 Valença 76,16 0,103 147 Oliveira do Bairro 82,23 0,185
148 Bombarral 75,86 0,099 148 Caminha 82,21 0,129
149 Óbidos 75,81 0,081 149 Porto de Mós 81,96 0,189
150 Ave 75,46 3,725 150 Lamego 81,78 0,204
151 Oliveira do Bairro 75,35 0,165 151 Condeixa-a-Nova 81,62 0,136
152 Oliveira de Azeméis 75,01 0,504 152 Viseu Dão Lafões 81,59 2,051
153 Albergaria-Velha 74,91 0,184 153 Chaves 81,52 0,318
154 Fronteira 74,81 0,023 154 Olhão 81,21 0,352
155 Lousã 74,62 0,132 155 Bombarral 81,09 0,1
156 Ourém 74,17 0,354 156 Anadia 81,09 0,22
157 Pombal 73,80 0,415 157 Moita 80,99 0,508
158 Chaves 73,65 0,307 158 Alto Minho 80,74 1,859
159 Coruche 73,27 0,137 159 Terras de Trás-os-Montes 80,44 0,876
160 Estarreja 73,06 0,195 160 Felgueiras 80,3 0,444
161 Almeida 72,90 0,050 161 Óbidos 79,92 0,09
162 Alpiarça 72,78 0,057 162 Mora 79,9 0,036
163 Vale de Cambra 72,56 0,167 163 Flores 79,88 0,029
164 Santa Cruz das Flores 72,13 0,017 164 Beiras e Serra da Estrela 79,8 1,735
165 Oliveira de Frades 71,71 0,072 165 Alcácer do Sal 79,39 0,096
166 Mirandela 71,41 0,172 166 Lourinhã 79,25 0,195
167 Cantanhede 71,33 0,262 167 São Roque do Pico 79,16 0,026
168 Minho-Lima 71,21 1,688 168 Salvaterra de Magos 79,1 0,168
169 Dão-Lafões 71,21 1,955 169 Pico 79,06 0,107
170 Alcanena 71,11 0,098 170 São Jorge 79,05 0,067
171 Beira Interior Norte 70,88 0,735 171 Almodôvar 78,69 0,054
172 Fundão 70,06 0,205 172 Vizela 78,21 0,179
173 Mora 69,89 0,035 173 Seia 78,12 0,178
174 Nelas 69,11 0,096 174 Fundão 78,05 0,211
175 Viana do Alentejo 69,02 0,037 175 Douro 77,96 1,491
176 Castelo de Vide 68,94 0,024 176 Moura 77,82 0,109
177 Odemira 68,92 0,166 177 Barcelos 77,22 0,885
178 Alter do Chão 68,81 0,023 178 Viana do Alentejo 77,16 0,041
179 Anadia 68,67 0,204 179 Paredes 76,84 0,64
180 Ferreira Alentejo 68,40 0,053 180 Fronteira 76,72 0,024
181 Velas 68,39 0,036 181 Nelas 76,68 0,101
182 Machico 67,98 0,135 182 Coruche 76,41 0,141
183 Douro 67,93 1,357 183 Almeida 76,28 0,048
184 Penafiel 67,90 0,460 184 Odemira 76,06 0,187
185 Pico 67,89 0,095 185 Alpiarça 75,76 0,055
186 Moura 67,88 0,104 186 Penafiel 75,65 0,518
187 Porto de Mós 67,87 0,160 187 Belmonte 75,65 0,048
188 Montemor-o-Velho 67,78 0,158 188 Machico 75,44 0,153
189 Cuba 67,68 0,030 189 Sever do Vouga 75,4 0,087
190 Almodôvar 67,27 0,046 190 Borba 75,36 0,052
191 Barcelos 67,25 0,789 191 Macedo Cavaleiros 75,3 0,11
192 Ribeira Grande 67,20 0,193 192 Oliveira do Hospital 75,3 0,147
193 Lagoa (R.A.A) 66,85 0,097 193 Fafe 75,21 0,36
194 Monforte 66,66 0,020 194 Paços de Ferreira 75,17 0,411
195 Mira 66,48 0,083 195 Mortágua 75,1 0,067
196 Crato 66,41 0,024 196 Silves 75,1 0,264
197 Felgueiras 66,34 0,368 197 Tondela 75,06 0,203
198 Paredes 66,34 0,542 198 Miranda do Douro 75,04 0,053
199 Alto Trás-os-Montes 66,33 1,351 199 Santa Comba Dão 74,98 0,08
200 Flores 66,32 0,026 200 Mira 74,81 0,088
201 Paços de Ferreira 66,29 0,350 201 Vila da Praia da Vitória 74,63 0,155
202 Seia 65,83 0,168 202 Sertã 74,38 0,11
203 Macedo de Cavaleiros 65,80 0,105 203 Santa Cruz 74,34 0,312
204 Borba 65,78 0,046 204 Ferreira Alentejo 74,31 0,058
205 Arraiolos 65,62 0,045 205 Ourique 74,21 0,037
206 Vidigueira 65,41 0,036 206 Cadaval 74,15 0,1
207 Serpa 65,32 0,096 207 Ansião 73,93 0,091
208 Redondo 65,27 0,041 208 Crato 73,85 0,025
209 Oliveira Hospital 65,25 0,133 209 Vagos 73,62 0,162
210 Sardoal 65,25 0,024 210 Chamusca 73,62 0,07
211 Vizela 65,17 0,149 211 Monção 73,56 0,133
212 Cadaval 65,15 0,090 212 Sardoal 73,55 0,027
213 Santa Comba Dão 65,03 0,075 213 Vila Nova de Poiares 73,45 0,05
214 Vila Nova Barquinha 64,96 0,050 214 Nisa 73,26 0,049
215 Vila Nova de Poiares 64,86 0,046 215 Marco de Canaveses 73,24 0,372
216 São Jorge 64,79 0,058 216 Amarante 73,18 0,387
217 Ourique 64,59 0,034 217 Vila Nova da Barquinha 72,85 0,051
218 Ribeira Brava 64,59 0,077 218 Castro Marim 72,83 0,046
219 Nisa 64,34 0,047 219 Montemor-o-Velho 72,8 0,181
220 Sousel 64,23 0,032 220 Avis 72,76 0,031
221 Aljezur 64,15 0,032 221 Alter do Chão 72,53 0,024
222 Murtosa 64,03 0,059 222 Soure 72,47 0,129
223 Corvo 63,90 0,003 223 Póvoa de Lanhoso 72,38 0,152
224 Corvo 63,90 0,003 224 Vidigueira 72,3 0,04
225 Fafe 63,73 0,322 225 Graciosa 71,8 0,03
226 São Roque do Pico 63,32 0,023 226 Stª Cruz da Graciosa 71,8 0,03
227 Miranda do Douro 63,09 0,044 227 Monforte 71,79 0,022
228 Vila Velha Ródão 62,78 0,021 228 Corvo 71,58 0,003
229 Tondela 62,66 0,182 229 Corvo 71,58 0,003
230 Sever do Vouga 62,64 0,075 230 Tâmega e Sousa 71,51 2,935
231 Ansião 62,58 0,080 231 Lajes do Pico 71,51 0,032
232 Mação 62,33 0,043 232 Sousel 71,48 0,033
233 Pinhal Interior Norte 62,27 0,807 233 Vila Velha de Ródão 71,43 0,023
234 Vila do Bispo 62,25 0,032 234 Alto Tâmega 71,4 0,625
235 Sertã 62,23 0,093 235 Arronches 71,37 0,021
236 Graciosa 62,21 0,029 236 Carregal do Sal 71,17 0,066
237 Santa Cruz da Graciosa 62,21 0,029 237 Murtosa 71,14 0,071
238 Serra da Estrela 61,95 0,280 238 Arraiolos 71,14 0,05
239 Carregal do Sal 61,61 0,062 239 Amares 71,13 0,127
240 Barrancos 61,57 0,010 240 Serpa 71,1 0,105
241 Marco de Canaveses 61,56 0,319 241 Calheta (R.A.A.) 70,95 0,023
242 Amarante 61,55 0,357 242 Penela 70,93 0,039
243 Alvito 61,37 0,016 243 Lagoa (R.A.A.) 70,87 0,1
244 Tâmega 61,34 3,239 244 Mação 70,86 0,047
245 Belmonte 61,27 0,045 245 Ponte de Lima 70,73 0,292
246 Vagos 61,09 0,138 246 Figueiró dos Vinhos 70,34 0,04
247 Chamusca 61,01 0,064 247 Gavião 70,28 0,026
248 Avis 61,00 0,029 248 Lajes das Flores 70,27 0,01
249 Monção 60,89 0,113 249 Arganil 70,23 0,079
250 Soure 60,65 0,118 250 Arouca 70,13 0,146
251 Arganil 60,50 0,073 251 Gouveia 70,08 0,09
252 Gavião 60,42 0,024 252 Redondo 70,02 0,046
253 Castanheira de Pêra 59,93 0,018 253 Miranda do Corvo 69,98 0,087
254 Lajes do Pico 59,70 0,027 254 Tarouca 69,96 0,053
255 Calheta (R.A.A.) 59,59 0,022 255 Vieira do Minho 69,93 0,084
256 Vila de Rei 59,55 0,018 256 Tábua 69,64 0,079
257 Tábua 59,28 0,069 257 Castanheira de Pêra 69,59 0,02
258 Marvão 59,20 0,020 258 São Pedro Sul 69,53 0,109
259 Idanha-a-Nova 59,17 0,058 259 Vila Nova de Foz Côa 69,43 0,047
260 Pinhal Interior Sul 59,14 0,229 260 Lousada 69,33 0,314
261 Lousada 59,11 0,264 261 Aguiar da Beira 69,29 0,035
262 Tarouca 59,06 0,046 262 Alvaiázere 69,12 0,047
263 Pinhel 58,71 0,055 263 Mogadouro 68,84 0,06
264 Pedrógão Grande 58,61 0,023 264 Aljezur 68,82 0,037
265 Gouveia 58,61 0,086 265 Pedrógão Grande 68,78 0,024
266 Arronches 58,51 0,018 266 Mourão 68,65 0,017
267 Manteigas 58,49 0,020 267 Proença-a-Nova 68,47 0,052
268 Ponte de Lima 58,48 0,246 268 Arcos de Valdevez 68,44 0,145
269 Mértola 58,39 0,041 269 Ferreira do Zêzere 68,37 0,055
270 Mortágua 58,34 0,056 270 Celorico da Beira 68,27 0,048
271 Alvaiázere 58,33 0,043 271 Vila Verde 68,23 0,313
272 Miranda do Corvo 58,11 0,075 272 Trancoso 68,07 0,062
273 Amares 57,72 0,107 273 Cuba 68,06 0,032
274 Ferreira do Zêzere 57,63 0,050 274 Alcoutim 67,72 0,017
275 Trancoso 57,32 0,056 275 Melgaço 67,54 0,057
276 Vila Franca do Campo 57,14 0,060 276 Idanha-a-Nova 67,53 0,059
277 Arouca 57,10 0,128 277 Moimenta da Beira 67,46 0,065
278 Lajes das Flores 56,55 0,008 278 Ribeira Grande 67,32 0,211
279 Póvoa de Lanhoso 56,44 0,128 279 Torre de Moncorvo 67,22 0,053
280 São Pedro do Sul 56,30 0,102 280 Mértola 67,14 0,044
281 Mesão Frio 55,93 0,023 281 Figueira Castelo Rodrigo 67 0,039
282 Proença-a-Nova 55,90 0,047 282 Marvão 66,98 0,022
283 Calheta (R.A.M.) 55,77 0,063 283 Ribeira Brava 66,84 0,083
284 Celorico da Beira 55,72 0,045 284 Góis 66,59 0,026
285 Figueiró dos Vinhos 55,61 0,036 285 Alvito 66,57 0,016
286 Góis 55,60 0,023 286 Castro Daire 66,56 0,094
287 Vila Verde 55,55 0,256 287 Vila Pouca de Aguiar 66,02 0,081
288 Pampilhosa da Serra 55,46 0,023 288 Vila Flor 65,94 0,041
289 Alfândega da Fé 55,40 0,028 289 Manteigas 65,9 0,021
290 Alandroal 55,27 0,032 290 Paredes de Coura 65,86 0,057
291 Melgaço 55,25 0,049 291 Vouzela 65,77 0,064
292 Penela 55,12 0,033 292 Cabeceiras de Basto 65,74 0,103
293 São Vicente 55,07 0,032 293 Montalegre 65,71 0,063
294 São João da Pesqueira 55,05 0,042 294 Alijó 65,66 0,072
295 Paredes de Coura 54,92 0,048 295 Pinhel 65,56 0,058
296 Figueira de Castelo Rodrigo 54,80 0,034 296 Barrancos 65,55 0,011
297 Porto Moniz 54,49 0,014 297 Sabugal 65,53 0,075
298 Portel 54,32 0,036 298 Povoação 65,45 0,039
299 Torre de Moncorvo 54,31 0,046 299 Terras de Bouro 65,15 0,043
300 Castelo de Paiva 54,29 0,086 300 Pampilhosa da Serra 65,06 0,027
301 Povoação 54,08 0,035 301 Ponte da Barca 64,87 0,073
302 Moimenta da Beira 54,03 0,056 302 Sátão 64,85 0,076
303 Vila Nova Foz Côa 54,01 0,041 303 Vila de Rei 64,83 0,021
304 Mogadouro 53,85 0,053 304 Penacova 64,74 0,091
305 Vouzela 53,62 0,059 305 São João da Pesqueira 64,71 0,047
306 Freixo de Espada à Cinta 53,52 0,020 306 Mesão Frio 64,5 0,026
307 Monchique 53,39 0,031 307 Alfândega da Fé 64,37 0,03
308 Ponta do Sol 53,39 0,042 308 Mêda 64,3 0,03
309 Alcoutim 52,82 0,016 309 Sabrosa 63,93 0,038
310 Vila Pouca Aguiar 52,46 0,074 310 Vila Nova de Paiva 63,8 0,031
311 Arcos de Valdevez 52,41 0,121 311 Alandroal 63,74 0,034
312 Sabrosa 52,30 0,033 312 Vimioso 63,67 0,027
313 Murça 52,23 0,031 313 Castelo Paiva 63,6 0,099
314 Castro Daire 52,23 0,082 314 Portel 63,56 0,038
315 Mourão 52,22 0,017 315 Vila do Bispo 63,56 0,032
316 Sátão 52,12 0,067 316 Armamar 63,49 0,037
317 Câmara de Lobos 51,98 0,176 317 Monchique 63,37 0,034
318 Fornos Algodres 51,92 0,026 318 Calheta (R.A.M.) 63,3 0,069
319 Penacova 51,84 0,082 319 Freixo Espada Cinta 62,94 0,022
320 Cabeceiras de Basto 51,83 0,086 320 Vila Franca Campo 62,69 0,068
321 Penamacor 51,79 0,028 321 Penedono 62,51 0,017
322 Vieira do Minho 51,63 0,069 322 Murça 62,18 0,034
323 Oleiros 51,58 0,029 323 Penamacor 62,1 0,032
324 Sabugal 51,47 0,066 324 São Vicente 61,91 0,032
325 Alijó 51,26 0,066 325 Oleiros 61,9 0,032
326 Vimioso 51,15 0,024 326 Valpaços 61,68 0,095
327 Terras de Bouro 51,13 0,037 327 Carrazeda Ansiães 61,53 0,036
328 Ponte da Barca 50,95 0,063 328 Mondim de Basto 61,39 0,043
329 Vila Flor 50,70 0,036 329 Boticas 61,22 0,032
330 Baião 50,45 0,099 330 Fornos Algodres 61,17 0,029
331 Armamar 49,83 0,034 331 Stª. Marta Penaguião 61,12 0,041
332 Aguiar da Beira 49,77 0,029 332 Porto Moniz 61,06 0,015
333 St.ª Marta Penaguião 49,74 0,038 333 Sernancelhe 61,03 0,033
334 Nordeste 49,62 0,025 334 Nordeste 60,93 0,029
335 Santana 49,55 0,039 335 Santana 60,62 0,042
336 Cinfães 49,30 0,095 336 Penalva do Castelo 60,38 0,044
337 Mondim de Basto 49,26 0,039 337 Vinhais 59,84 0,049
338 Meda 49,19 0,027 338 Ribeira de Pena 59,66 0,036
339 Montalegre 49,06 0,054 339 Baião 59,4 0,113
340 Boticas 48,74 0,027 340 Resende 59,11 0,062
341 Vila Nova Paiva 48,50 0,029 341 Ponta do Sol 58,55 0,049
342 Valpaços 48,29 0,085 342 Câmara Lobos 57,04 0,19
343 Resende 47,95 0,053 343 Celorico de Basto 56,64 0,108
344 Tabuaço 47,75 0,028 344 Tabuaço 56,63 0,034
345 Penedono 47,71 0,015 345 Concelho Cinfães (o concelho menos desenvolvido) 56,54 0,107
346 Carrazeda Ansiães 47,64 0,031        
347 Penalva do Castelo 47,58 0,038        
348 Celorico de Basto 47,55 0,089        
349 Sernancelhe 46,95 0,027        
350 Ribeira de Pena 46,34 0,031        
351 Concelho Vinhais (o menos desenvolvido) 45,88 0,041        
Nº vezes poder de compra de concelho de Lisboa é superior ao do concelho menos desenvolvido
5,1
  Nº vezes poder de compra de concelho de Lisboa é superior ao do concelho menos desenvolvido
3,7
 
Fonte: INE, Poder de compra concelhio – 2007/2013, 2015

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/
17/Dez/16