Contra o envio de tropas brasileiras para o Haiti
—Sete razões para NÃO enviar tropas brasileiras

por Pedro Otoni [*]

Manifestação em S. Paulo. 1) A Autodeterminação dos Povos é um Direito Universal que deve ser respeitado e defendido por toda a humanidade. Os Estados Nacionais não possuem legitimidade nem legalidade para intervir em conflitos internos de outras nações. No caso Brasileiro, este Princípio Fundamental é acolhido pela Constituição Federal em seu artigo 4° inciso III. Logo enviar tropas brasileiras para o Haiti significa ferir a autodeterminação dos povos e desrespeitar o ordenamento jurídico de nosso país.

2) O golpe aplicado sobre governo haitiano eleito de Jean-Bertrand Aristide, foi explicitamente arquitetado pelo Estados Unidos, a fim de avançar na sua estratégia de dominação para a América Latina. Guantânamo (Cuba), Viequez (Porto Rico), Curaçao e Aruba são bases militares norte-americanas no Caribe que exemplificam o interesse daquele país nesta região. Com o objetivo de intensificar a presença militar nas Antilhas, os EUA utilizam o caos estalado no Haiti, gerando pelas políticas neoliberais implementadas pelo o governo de Aristide, para fechar o cerco contra os principais opositores de Washington na América Latina, a Venezuela Bolivariana e Cuba Socialista também localizadas na geografia caribenha. Portanto, o golpe no Haiti faz parte da iniciativa militar ianque de controle social no Caribe. Enviar tropas brasileiras para participar deste atentado contra o povo haitiano é legitimar a postura imperialista dos Estados Unidos.

3) As chamadas “forças de paz” não passam de tropas de invasão, é assim no Afeganistão, no Iraque e agora no Haiti. A chamada “defesa da democracia” pelos EUA, está levando o povo iraquiano à convulsão social. É este modelo de democracia que desejamos para o Haiti e outras nações do mundo? Enviar tropas para o Haiti e invadir um país e reprimir o povo.

4) O povo haitiano vive em profunda miséria, possui o direito á revolta. Contudo quem organizou e agora se beneficia com o golpe são as velhas oligarquias haitianas, aliadas dos gringos, que perderam a direção do país na última década. Estas oligarquias financiaram grupos de extermínio para executar líderes populares haitianos na década de 90, base de apoio de Aristide, e agora executam um golpe de Estado. Qual paz será estabelecida no Haiti? A Pax Romana, a paz do conquistador, a paz das elites que fizeram da primeira nação independente das Américas a mais pobre do continente?

5) Como aconteceu com a Polônia, a Itália, a Espanha, Honduras e Inglaterra na invasão do Iraque; o Brasil não terá controle estratégico do seu efetivo militar em território haitiano, estará sob o controle dos generais do U.S. Army, será um fantoche no jogo político-militar de Bush, 147O soldados brasileiros estarão oprimindo um povo irmão e morrendo em nome da bandeira de Tio Sam. Por que aceitar a liderança da invasão? Os EUA e a França, cada um a sua maneira, usam da vaidade de nosso governo para atingir seus fins estratégicos. O Brasil sonhando com uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU aceita entrar na disputa por este espaço dentro da lógica estabelecida pela Plutocracia Ianque. Ou seja, aceita com “honra”, nas palavras do porta-voz da presidência, participar da invasão do Haiti, a fim de prova sua confiabilidade em relação aos objetivos estratégicos do Capitalismo internacional, mais especificamente os do EUA.

6) Desejamos construir a solidariedade latino-americana, a união dos povos de nosso continente na perspectiva de construção de um projeto popular para nossas sociedades. A atitude de enviar tropas para o Haiti rompe com este curso histórico, pois fere o princípio da solidariedade latino-americana. Esta ação rompe com o princípio do respeito ao povo irmão que sofre hoje com a subjugação imperial. Nossa solidariedade deve ser um processo baseado na construção permanente de medidas de integração social, cultural, política e econômica que respeite a opinião popular em suas particularidades, não deve ser uma manifestação militar imposta pela agenda norte-americana. Pois a invasão do Haiti atinge todos os povos da América Latina, enfraquece nossas posições enquanto bloco político e econômico com interesses comuns. Enfraquece, sobretudo Cuba e Venezuela, que são ainda mais pressionadas militarmente com a presença de mais tropas imperiais no Caribe.

7) Ajudar o povo haitiano é denunciar o golpe de direita engendrado pelos EUA, ajudar o povo haitiano é construir na prática uma solidariedade permanente e horizontal, sem dominadores nem dominados.

[*] Do Núcleo de Estudos Marxistas (Brasil). Email: pedrootoni@yahoo.com.br

O original encontra-se em http://www.nucleomarxista.org/haiti.htm


Este artigo encontra-se em http://resistir.info .

14/Mai/04